Ander Herrera não queria sair do Manchester United, mas seu contrato chegou ao fim, não foi alcançado um acordo para renová-lo, e o experiente meia espanhol acabou acertando com o Paris Saint-Germain, coroado campeão francês desta temporada depois que o governo francês suspendeu todos os eventos esportivos até setembro, título que Herrera nem comemorou.

As declarações foram dados em entrevista à ESPN, e, apesar das divergências, Herrera elogiou os dirigentes do Manchester United, um pouco na contramão da opinião que havia dado em novembro, quando disse que muitas vezes sentia que o futebol não era prioridade em Old Trafford.

“Quando olho para um ano atrás, minha intenção não era sair do Manchester United. Eu tive opiniões diferentes da diretoria, mas eu os respeito. Eu os respeito muito. Eles fazem as coisas pelo Manchester United e discordo das pessoas que dizem que não fazem. Eles realmente sofrem quando as coisas não dão certo e lutam para resgatar o Manchester United. Eu discordo de algumas das decisões que fazem, mas isso acontece no futebol”, afirmou.

“Tirando isso, eu os respeito. Tive uma grande relação com Ed Woodward (principal executivo do Manchester United) e com os donos. Não tenho nada a reclamar deles”, completou.

Aos 30 anos, após passagens por Zaragoza, Athletic e Manchester United, Herrera conquistou pela primeira vez uma liga nacional com o título do PSG na Ligue 1, mas as circunstâncias em que isso ocorreu o impediram de comemorar.

Quando o campeonato foi paralisado, o PSG tinha 68 pontos em 27 rodadas contra 56 em 28 do Olympique Marseille. “Para ser honesto, não comemorei. Eu amo futebol, mas eu amo jogar futebol e conquistar títulos em campo. Claro que é bom ter mais um título, mas não é a mesma coisa. Eu queria comemorar com nossos torcedores e companheiros”, afirmou.

“Acho que foi merecido porque tínhamos 12 pontos a mais que o Olympique, mas é o que é. Eu espero que possamos lutar pelos títulos das copas que ainda vamos jogar, em campo, com o torcedores, no estádio, e ver se poderemos lutar pela Champions League. Para ser honesto, é um pouco triste que meu primeiro título de liga seja assim”, encerrou.

Herrera teve problemas físicos e disputou apenas oito partidas da campanha do sétimo título francês do PSG em oito temporadas, seis vezes como titular. Fez um gol e deu uma assistência.