O Monaco vive uma situação terrível na Ligue 1. Depois de 18 jogos, o time é o 19º colocado com 13 pontos, afundado dentro da zona do rebaixamento. E neste sábado, jogou contra o único time que está abaixo na tabela, o Guingamp, em casa. E perdeu por 2 a 0. No seu primeiro trabalho como técnico, Thierry Henry, ídolo do futebol francês e cria do Monaco, falou sobre a situação e como não conseguirá ter boas férias.

LEIA TAMBÉM: Vieira diz que às vezes tem que se segurar para não perder a paciência com Balotelli

“Nós queríamos sair da zona do rebaixamento antes da parada de inverno. Não foi o que aconteceu. Nós tivemos bons primeiros 20 minutos, então tivemos muita perda de confiança depois de duas ou três bolas perdidas. Nós tivemos a oportunidade de fazer 1 a 0 no segundo tempo. E no contra-ataque, Thuram marca”, disse Henry. “É ruim sair de férias assim. Eu não terei boas férias. Agora temos que trabalhar”.

Perguntado sobre o estado mental dos jogadores, Henry desconversou. “Eu não estou na cabeça dos jogadores. Nós conseguimos vencer jogando contra o Caen, Amiens. Mas lá, no segundo tempo, tivemos mais agressividade”, avaliou o treinador. A dificuldade da situação, porém, não assusta Henry. “Aconteceu na minha vida. Acontecerá de novo. Você tem que trabalhar e trabalhar. Os resultados não estão aqui. Ainda há muita coisa a ser feita. Este é o único ponto positivo da noite. Nós também temos que ver o que acontecerá com os machucados”.

Vice-presidente do Monaco: “Precisaremos de mais de dois jogadores”

“A crise é séria. Foi uma noite muito ruim. O mal é profundo, eu estou ciente disso. É bom que nos temos uma parada para analisar bem as coisas. Primeiro nós temos que recuperar os machucados, depois nos fortalecermos, e terceiro manter os jogadores que temos. Se conseguirmos fazer essas três coisas, sairemos dessa situação”, disse Vadim Vasilyev, vice-presidente do Monaco, depois do jogo deste sábado.

“Se a pausa de inverno será agitada? Não, eu acho que não. Mas em janeiro sim. Até esta noite nós pensávamos que não precisaríamos de mais de dois jogadores, mas eu estava errado. É difícil analisar de cabeça quente, eu tive contato com os torcedores. Eu entendo a decepção deles. Cabe a nós agir agora, avançar com o clube, porque a situação não é compatível com o Monaco. É claro que nós ainda acreditamos na permanência na Ligue 1, eu estou convencido que teremos sucesso. É muito mais difícil do que pensamos, mas eu não tenho dúvida”.

O Campeonato Francês para nas festas de fim de ano e só volta no dia 8 para jogos atrasados. O Monaco só volta a campo na primeira rodada efetivamente do ano, no dia 13. E terá um jogo duríssimo pela frente: Olympique de Marseille, fora de casa. Thierry Henry precisará realmente de algo muito melhor do que se viu até aqui.