Hans Krankl pediu demissão do cargo de treinador da Áustria nesta quarta. Um dia antes, Freidrich Stickler, presidente da federação austríaca, anunciara que não prolongaria o contrato de Krankl, com duração até o final das eliminatórias. “Nestes três anos e oito meses, ele criou um time que seguiu sua liderança e jogou com o coração pela Áustria. Todos o agradecemos por isto. Mas Krankl não teve sucesso e alguma coisa precisava ser feita”, justificou Stickler, na terça.

“Foi uma honra treinar esta equipe. Desejo o melhor para a seleção e para o novo treinador. Porém, estou desapontado com esta decisão”, disse Krankl, referindo-se às circunstâncias de sua demissão. Em terceiro no grupo 6, com 12 pontos, a Áustria não tem mais chances de se classificar para a Copa do Mundo.

Para os dois últimos compromissos nas eliminatórias, contra Inglaterra (8 de outubro) e Irlanda do Norte (12 de outubro), a seleção deverá ficar sob os cuidados de Josef Hickersberger, atual treinador do Rapid Viena. “Estou honrado com o interesse, mas agora estou concentrado com a disputa da Liga dos Campeões. Ainda não discutimos maiores detalhes”, afirmou.


Os comentários estão desativados.