A Copa do Mundo de 2014 na verdade começou no dia 12 de junho, não no dia 13, dia que estamos publicando aqui a lembrança. Na época, parecia que tudo daria errado, até pela impressão da Copa das Confederações em 2013, ainda pegando resquício de Junho de 2013.  Em 2014, havia o temor do caos aéreo (que é quase cotidiano no Brasil), dos problemas de violência, de tudo que poderia dar errado. Mas não deu. Acabou que deu tudo certo, os aeroportos funcionaram bem, tudo correu lindamente e tivemos uma Copa perfeita. Ou quase.

Teve o 7 a 1, você vai lembrar. Sim, teve isso, foi algo certamente traumático. Mas a Copa foi tão legal, tão boa em tantos aspectos, que esse é só um detalhe. Tudo funcionou: os aeroportos, a logística, as hospedagens das seleções, os centros de treinamento e uma marca do brasileiro: a zoeira, total e completa, em todos aspectos.

Tivemos desde os primeiros dias das seleções por aqui os alemães interagindo com as pessoas na Bahia, amistoso da Itália com o Fluminense, Equador sendo recebido com festa em Viamão por brasileiros, festa de colombianos, marfinenses e tantas e tantas nacionalidades que se sentiram representadas por seus morados alojados no Brasil. Algo incrível de se ver e de se viver.

As cidades pegaram fogo, uma mistura de alegria e loucura que transformou os cavaleiros templários ingleses em guerreiros com suas garrafas de cerveja nas mãos, em Manaus. Russos perdidos em Cuiabá. Argentinos invadindo. Os vizinhos sul-americanos fazendo a festa. Os mexicanos calando os brasileiros em Fortaleza.

Vivemos dias incríveis naquele 2014. A Copa das Copas, lema que se usava na época, parecia só mais um slogan criado por políticos, mas ele se concretizou. Se tornou a Copa mais divertida, com a torcida fazendo graça nas arquibancadas e uma marca que será eterna.

Separamos algumas imagens daquela cobertura maluca que tivemos em 2014. Estivemos espalhados pelo Brasil para presennciar as maiores loucuras. E foi cada clique que eu vou te falar… Que Copa! OEEEEEA!