O rabo de cavalo não existe mais. Um pequeno preço a se pagar para vencer a doença. A quimioterapia privou Jonás Gutiérrez da sua marca registrada. Mas também lhe estendeu a vida. Curado do câncer no testículo que atrapalhou a sua carreira, o meia argentino voltou a emprestar a sua raça ao Newcastle. Foi nas oitavas de final da Copa da Liga Inglesa sub-21, mas o importante da partida não foi a goleada por 4 a 1 sobre o West Ham, nem a vaga às quartas. Foi o retorno de um dos jogadores favoritos da torcida.

LEIA MAIS: Mesmo perdendo, torcida do Newcastle zoa o Tottenham: “4 a 0, e ainda assim vocês não cantam”

 

Gutiérrez foi diagnosticado em 2013, antes de se transferir por empréstimo para o Norwich, em janeiro. Sua última partida foi em abril. Ele apenas divulgou a doença ao público em setembro, depois de ser operado. Voltou aos treinos do Newcastle para recuperar a forma física, não que precisasse de muito trabalho porque até correu uma maratona no período. Na última segunda-feira, com a braçadeira de capitão, atuou 88 minutos contra o West Ham e só foi substituído para receber os aplausos dos torcedores, inclusive o capitão Fabricio Coloccini e do técnico do rival Sunderland, Gus Poyet (estava vendo o filho Diego atuar pelo adversário).

Gutiérrez no Twitter agradeceu o apoio de todo mundo durante a doença e disse estar orgulhoso de poder voltar a jogar. Fez um bom jogo e agora aguarda a avaliação do técnico Alan Pardew para ser reincorporado aos titulares. “Estamos felizes por tê-lo de volta. Está em boa forma e esperamos que em duas ou três semanas possa voltar para o time principal. Está ansioso para recuperar o seu espaço, mas como qualquer outro jogador, preciso lhe dar a mesma oportunidade dos outros. Depende de Jonás, mas certamente será emocionante quando ele retornar”, disse.

Aos 32 anos, ainda tem lenha para queimar no time principal. Quer voltar a competir em alto nível, brigar por vitórias na Premier League e títulos para a torcida que o acolheu tão bem. Esse é o motor de um jogador de futebol profissional. Mas se não conseguir, tem o resto da vida para encontrar outros objetivos. Motivação acima do normal ele já mostrou que tem.

Você também pode se interessar por:

>>>> Sunderland amplia freguesia do Newcastle com gol aos 44 do segundo tempo

>>>> Mourinho bebeu do seu próprio veneno, e o Chelsea perdeu a invencibilidade


Os comentários estão desativados.