O meio-campista Ilkay Gündogan, do Manchester City, admitiu que seria justo que o Liverpool fosse declarado campeão da Premier League, caso não seja possível retomar a temporada. Os Reds estão 25 pontos à frente do segundo colocado, o próprio City, mas a liga foi suspensa no dia 13 de março. Ainda não se sabe o que irá acontecer, se a temporada poderá ser retomada e nem se teremos futebol ainda este ano.

O futebol está suspenso até o dia 30 de abril, mas neste momento, imaginar que será possível retomar no começo de maio é um cenário excessivamente otimista. É possível que os jogos só sejam retomados no final de junho, ou mesmo chegar a agosto e emendar uma temporada na outra.

Perguntado pela ZDF sobre a possibilidade do Liverpool ser declarado campeão, Gündogan disse que seria justo. “Para mim, seria okay, sim. Você tem que ser justa como esportista”, disse o alemão. Para o jogador, a possibilidade de terminar a temporada, sem ter rebaixamento, seria algo que causaria polêmica.

“Há opiniões diferentes. Para os clubes que tiveram uma temporada muito boa, obviamente não seria bom que seja cancelada agora. Por outro lado, para clubes que não estão indo bem e talvez estejam na zona de rebaixamento, abandonar a temporada obviamente os agradaria”, analisou Gündogan.

Por estar na Alemanha, onde vários clubes acertaram com seus jogadores cortes nos salários neste período de crise, como o Borussia Mónchengladbach, Borussia Dortmund, Schalke 04 e Bayern de Munique. A ZDF perguntou então se Gündogan aceitaria a mesma medida, o camisa 8 do Manchester City não teve dúvidas.

“É claro que eu acho okay, isso nem precisa dizer”, afirmou Gündogan. “Eu estava parcialmente acompanhando daqui e, para ser honesto, mas, para ser sincero, não há discussão sobre isso na Inglaterra ainda”.

“Talvez porque os clubes ingleses seja, um pouco mais fortes financeiramente que os clubes na Alemanha no momento, mas os clubes amadores em particular não acharão fácil e já não é fácil agora, então é claro que faz sentido falar sobre os salários dos jogadores”, continuou o jogador.

“Eu não sei quem tem a palavra final nesta decisão. Por outro lado, se um jogador diz ‘não, eu não quero isso, eu trabalhei duro por isso, eu quero meu salário’, então isso pode ir na direção oposta”, declarou o jogador. “Para mim, pessoalmente, seria okay para ser sincero, você tem que ser tolerante e se há jogadores que são contra isso, então também é uma situação aceitável”.