Guilherme ajudou o Lokomotiv a resistir à pressão do Atlético, liderada novamente por um ótimo João Félix

Com a ajuda do goleiro Guilherme, o Lokomotiv Moscou resistiu à pressão do Atlético de Madrid, especialmente no começo do segundo tempo, e conseguiu arrancar o empate por 1 a 1, em casa, apesar da ótima partida de João Félix, liderando as ações ofensivas dos colchoneros.

O ponto fora de casa não é um desastre para o Atlético de Madrid, pensando em classificação às oitavas de final, mas o deixa um pouco mais afastado do Bayern de Munique, que venceu as duas primeiras rodadas, incluindo o primeiro confronto direto, por 4 a 0, o que concede aos bávaros a vantagem em caso de empate em pontos.

O Lokomotiv Moscou tem se mostrado um adversário duro para os grandes. Fez o Bayern de Munique suar para vencer por 2 a 1 na rodada passada e agora conseguiu arrancar o empate, embora a produção ofensiva do Atlético de Madrid tenha sido bem animadora para um time que geralmente peca nesse quesito.

Aos 17 minutos, Saúl bateu de fora da área e Guilherme se esticou todo para espalmar a escanteio. Logo em seguida, porém, Héctor Herrera cruzou da esquerda para a entrada da área, e José Giménez desviou de cabeça para marcar o primeiro gol da partida. Nem deu muito tempo de comemorar. O árbitro francês Banoît Bastien achou pênalti quando o cruzamento de Fedor Smolov pegou no braço de Herrera, no limite da grande área. Após revisão do assistente de vídeo, Anton Miranchuk cobrou para empatar.

O Atlético de Madrid teve chances para voltar à frente antes do intervalo. Ángel Correa acertou o travessão, e Suárez pegou de primeira na segunda trave, mas mandou por cima, dando sequência à sua draga em jogos fora de casa pela Champions League – o último foi na primeira rodada da temporada 2015/16, contra a Roma, em setembro de 2015.

Os espanhóis pegaram embalo de verdade depois do intervalo, liderados por João Félix. Primeiro, ele sambou pela ponta esquerda e cruzou para Suárez cabecear, quase em cima da linha, quase sem ângulo. Guilherme interceptou o que acabou sendo mais um cruzamento do que uma finalização. Cinco minutos depois, o garoto português bateu de fora da área, e Guilherme conseguiu fazer uma maravilhosa defesa para evitar o golaço.

Félix exigiu outra defesa do goleiro com uma cabeçada perigosa da entrada da área. Outra, de Koke, acertou o travessão. Suárez marcou no rebote, mas, muito impedido, teve o seu gol anulado. Llorente conseguiu levar perigo com uma batida rasteira de fora da área, perto da trave, mas foi o último grande lance do Atlético antes de sua pressão arrefecer.

.

.