O Torneo Final começou no último final de semana, mas não apresentou nenhuma surpresa. Talvez, apenas o retorno de Román ao Boca Juniors. River Plate, Lanús, Boca Juniors e Vélez Sarsfield, os candidatos ao título venceram. Das equipes que aposto no rebaixamento apenas o Quilmes perdeu. Entretanto, ainda há 18 rodadas pela frente e muitas emoções. Eis a segunda e última parte do guia.

LANÚS

Club Atlético Lanús (3 de janeiro de 1915)
Estádio Ciudad de Lanús, em Buenos Aires (capacidade 47 mil)
Título: 1 (Apertura 2007)
Última campanha:

O Granate é certamente um dos candidatos ao título e mostrou isso no Torneo Inicial. Agora, no Torneo Final, com o ganho de qualidade ofensivo após a chegada de Pochi Chávez e Blanco as chances aumentaram. Além disso, poderá focar exclusivamente no nacional. Embora o Lanús já venha despontando entre as equipes mais regulares do futebol argentino, os Mellizos Schelottos têm grande contribuição para o salto de qualidade da equipe.

Quem chegou: Ismael Blanco (Munique 1860/Alemanha) e Cristian Chávez (Boca Juniors)
Quem saiu: Diego Valeri (Portland Timbers/Estados Unidos), Gonzalo Castillejos (Barcelona/Equador), Leandro Díaz (Gimnasia y Esgrima de La Plata) e Matías Fritzler (Kayserispor/Turquia)

Time base: Agustín Marchesín; Carlos Araujo, Paolo Goltz, Oswaldo Vizcarrondo e Maxi Velázquez; Guido Pizarro, Diego González e Víctor Ayala; Silvio Romero, Mario Regueiro e Ismael Blanco. Técnico: Guillermo Barros Schelotto.

NEWELL’S OLD BOYS

Club Atlético Newells Old Boys (23 de novembro de 1903)
Estádio Marcelo Bielsa, em Rosário (capacidade 40 mil)
Títulos: 5 (Metropolitano 1974, 1987/88, 1990/91, Clausura 1992 e Apertura 2004)
Última campanha:

Após algumas fracas campanhas o NOB resolver apostar em nomes que tivessem identificação com o clube e, desde a chegada de Tata Martino, as coisas começaram a funcionar diferente. O time é sólido e ofensivo se conseguir melhorar o psicológico terá condições de brigar pelo título.

Quem chegou: Rinaldo Cruzado (Chievo Verona/Itália)
Quem saiu: Leonel Vangioni (River Plate), Alexis Machuca (Universidad Concepción/Chile), Leandro Torres (Santiago Wanderers/Chile) e Maurício Sperdutti (Palermo/Itália)

Time base: Nahuel Gusmán; Marcos Cáceres, Santiago Vergini, Gabriel Heinze e Milton Casco; Pablo Pérez, Hernán Villalba (Víctor Figueroa) e Lucar Bernardi; Martín Tonso, Ignacio Scocco e Maxi Rodríguez. Técnico: Gerardo Martino.

QUILMES

Quilmes Atlético Club (27 de novembro de 1887)
Estádio Centenario, em Buenos Aires (capacidade 30,2 mil)
Título: 1 (Metropolitano 1978)
Última campanha: 16º

Os Cerveceros precisam de mais do que força de vontade para evitar o descenso. Aliás, a equipe até que é esforçada, mas a falta de qualidade do plantel será um grande problema nesta luta. Deverá melhorar pouco em relação a classificação que obteve no Torneo Inicial e… até breve B Nacional.

Quem chegou: Gustavo Oberman (Argentinos Juniors) e Cristian Menéndez (Libertad/Paraguai)
Quem saiu: Gervasio Núñez (Rangers/Chile)

Time base: Emanuel Tripodi; Carlos Serrano, Olivera, Joel Carli e Ariel Goñi; Gustavo Oberman, Juan Manuel Cobo, Sebastián Romero e Jacobo Mansilla; Martín Cauteruccio e Cristian Menéndez. Técnico: Omar De Felippe.

RACING

Racing Club (25 de março de 1903)
Estádio Presidente Perón (Cilindro de Avellaneda), em Buenos Aires (capacidade 51,3 mil)
Títulos: 7 (1949, 1950, 1951, 1958, 1961, 1966 e Apertura 2001)
Última campanha:

Zubeldía tem feito um bom trabalho a frente da Academia. Entretanto, os dirigentes cometeram um dos erros mais primários da administração de um clube: vendeu os atletas mais destacados – Centurión e Hauche – e não reforçou o plantel a altura. (Bolatti é muito bom jogador, mas atua em outro setor) Logo, a Acadé de uma das favoritas, tornou-se a incógnita. Embora possa surpreender, já começa o Torneo Final em desvantagem.

Quem chegou: Mario Bolatti (Internacional/Brasil)
Quem saiu: Patrício Toranzo (livre), Ricardo Centurión (Anshi/Rússia)* e Gabriel Hauche (Chievo Verona/Itália)

Time base: Sebastián Saja; Iván Pillud, Fernando Ortiz, Matías Cahais e Claudio Corvalán; Pelletieri e Zuculini; Diego Villar, Luis Fariña e Mauro Camoranesi; José Sand. Técnico: Luis Zubeldía.

RIVER PLATE

Club Atlético River Plate (25 de maio de 1901)
Estádio Monumental Antonio V. Liberti (Monumental de Núñez), em Buenos Aires (capacidade 64 mil)
Títulos: 33 (1932, 1936, 1937, 1941, 1942, 1945, 1947, 1952, 1953, 1955, 1956, 1957, Metropolitano 1975, Nacional 1975, Metropolitano 1977, Metropolitano 1979, Nacional 1979, Metropolitano 1980, Nacional 1981, 1985/86, 1989/90, Apertura 1991, Apertura 1993, Apertura 1994, Apertura 1996, Clausura 1997, Apertura 1997, Apertura 1999, Clausura 2000, Clausura 2002, Clausura 2003, Clausura 2004 e Clausura 2008)
Última Campanha:

A chegada de Ramón Díaz trouxe outra atmosfera a Núñez. As contratações feitas pelos Millonários foram pontuais e podem ser chamadas de reforços. Em suma: o River decerto é um dos candidatos ao título, com a vantagem de poder focar, exclusivamente, na Primera División. Ponzio, no meio, e Mora, no ataque, são os caras do time. Trezeguet, apesar de “estrela”, é coadjuvante.

Quem chegou: Leonel Vangioni (NOB), Mauro Díaz (Unión Española/Chile), Adalberto Román (Palmeiras/Brasil) e Juan Manuel Iturbe (Porto/Portugal)
Quem saiu: Daniel Veja (livre), Andrés Ríos (Deportivo Cuenca/Venezuela), Luciano Vella (livre), Carlos Arano (livre) e Facundo Affranchino (San Martín de San Juan)

Time base: Marcelo Barovero; Gabriel Mercado, Adalberto Román, Jonathan Bottinelli; Carlos Sánchez, Leonardo Ponzio, Cristian Ledesma e Leonel Vangioni; Mauro Díaz; Rodrigo Mora e David Trezeguet. Técnico: Ramón Díaz

SAN MARTÍN DE SAN JUAN

Club Atlético San Martín (27 de setembro de 1907)
Estádio Ingeniero Hilario Sanchez, em San Juan (capacidade 23 mil)
Título: Não possui.
Última campanha: 17º

O Verdinegro já começa o Torneo Final como um grande candidato ao descenso. Reforçou a defesa com a contratação de Hoyos e, sobretudo, Ledesma, mas não será nada fácil se manter na Primera División. Entretanto, acredito que se salva, pois só três são rebaixados.

Quem chegou: Damián Ledesma (Rangers/Chile), Santiago Hoyos (Santos Laguna/México) e Facundo Affranchino (River Plate)
Quem saiu: Cristian Grabinski (Deportes Iquique/Chile), Matías Rudler (livre) e Guillermo Suárez (livre)

Time base: Luis Ardente; Santiago Hoyos, Damián Ledesma e Landa; Facundo Affranchino, Andrés Alderete, Damián Canuto (Francisco Alarcón) e Emmanuel Mas; García e Humberto Osorio. Técnico: Gabriel Perrone. 

SAN LORENZO

Club Atlético San Lorenzo de Almagro (1 de abril de 1908)
Estádio Pedro Bidegan (Nuevo Gasómetro), em Buenos Aires (capacidade 44 mil)
Títulos: 10 (1933, 1946, 1959, Metropolitano 1968, Metropolitano 1972, Nacional 1972, Nacional 1974, Clausura 1995, Clausura 2001 e Clausura 2007)
Último campanha: 11º

Cotado para o título pela imprensa argentina e, ainda assim, candidato ao descenso pelo promedio. Desta forma, o Ciclón inicia o Torneo Final. Entretanto, não acredito que será campeão, no máximo um oitavo lugar, e não será rebaixado. Uma coisa é certa, Pizzi terá muito trabalho para fazer a equipe jogar um futebol digno.

Quem chegou: Giancarlo Carmona (Sporting Cristal/Peru) e Mauro Cetto (Palermo/Itália)
Quem saiu: Nicolás Bianchi Arce (Pescara/Itália), Julio Furch (Arsenal de Sarandí), Martín Rolle (Arsenal de Sarandí) e Sebastián Luna (livre) 

Time base: Pablo Migliore; Gonzalo Prósperi, Pablo Alvarado, Santiago Gentiletti e Germán Voboril; Enzo Kalinski, Juan Mercier, Julio Buffarini e Ignacio Piatti; Luis Aguiar e Denis Stracqualursi. Técnico: Juan Antonio Pizzi.

TIGRE

Club Atlético Tigre (3 de agosto de 1902)
Estádio José Dellagiovanna, em Victoria (capacidade 28,6 mil)
Título: Não possui.
Último campanha: 19º

O Matador possui um plantel fraco, mas que se supera no jogo coletivo e no excesso de vontade. Aposta bastante em Botta, que é o lampejo de qualidade, para produzir jogadas de qualidade e gols. Com a disputa da Copa Libertadores, o Tigre não deverá passar do meio da tabela, o que pode ser um problema posteriormente com os promedios.

Quem chegou: Gabriel Peñalba (Argentinos Jrs) e Sebastián Rusculleda (Deportivo Quito/Equador)
Quem saiu: (Ninguém)

Time base:
Javier García; Noberto Paparatto (Alejandro Donatti), Mariano Echeverría, Lucas Orban; Martín Galmarini, Diego Ferreira, Gabriel Peñalba e Ramiro Leonel; Rubén Botta; Federico Santander e Ezequiel Maggiolo. Técnico: Nestor Gorosito

UNIÓN

Club Atlético Unión de Santa Fé (15 de abril de 1907)
Estádio 15 de Abril, em Santa Fé (capacidade 22,5 mil)
Título: Não possui.
Última campanha: 20º

Facundo Sava terá de operar um milagre para livrar os Tatengues do descenso. Pior: não tem plantel para isso, embora a equipe, desde sua chegada, mostre-se mais comprometida. Entretanto, não será o suficiente.

Quem chegou: Damián Lizzio (Bolívar/Bolívia)
Quem saiu: Maximiliano Lugo (Unión de Mar del Plata), Cristian Núñez (Boca Unidos) e Ricardo Mazacotte (livre)

Time base: Martín Perafán; Emmanuel Brítez, Juan Pablo Avendaño, Nicolás Correa e Mauro Maidana; Pablo Míguez, Marcelo Sarmiento (Nicolás Bruna) e Matías Donnet; Andrés Franzoia, Diego Jara e Brahian Alemán. Técnico: Facundo Sava.

VÉLEZ SARSFIELD

Club Atlético Vélez Sarsfield (1 de janeiro de 1910)
Estádio José Amalfitani, em Buenos Aires (capacidade 50,2 mil)
Títulos: 9 (Nacional 1968, Clausura 1993, Apertura 1995, Clausura 1996, Clausura 1998, Clausura 2005, Clausura 2009, Clausura 2011 e Inicial 2012)
Última campanha:

O Vélez é a equipe mais regular e eficiente do futebol argentino e, embora esteja disputando a Copa Libertadores, tem totais condições de tornar-se bicampeão nacional. E, diga-se, Gareca é o principal responsável pelo status que o time alcançou. A base do Fortín foi mantida e ganhou o reforço de peso, com a chegada de Fernando Gago.

Quem chegou: Fernando Gago (Valência/Espanha) e Juan Sabia (Argentinos Juniors)
Quem saiu: (Ninguém)

Time base: Sebastián Sosa; Fabián Cubero, Fernando Tobio, Sebastián Domínguez e Emiliano Papa; Iván Bella, Francisco Cerro, Fernando Gago; Federico Insúa; Lucas Pratto e Facundo Ferreyra. Técnico: Ricardo Gareca.

Confira a primeira parte do guia