Ô, o asterisco voltou… Pela terceira temporada seguida, tudo indica que a edição 2012-13 do Campeonato Italiano terminará com a tabela marcando pontos negativos para alguns participantes. Por causa do escândalo de envolvimento de atletas com apostas ilegais, quatro times começam a temporada abaixo de zero: Siena (-6), Atalanta (-2), Torino (-1) e Sampdoria (-1). Mas o número de equipes punidas pode mudar com o passar dos meses e o desenrolar das investigações.

O Campeonato Italiano começa no próximo dia 25 de agosto, com Fiorentina x Udinese e Juventus x Parma. Pelo menos por enquanto, o torneio terá a transmissão apenas de Fox Sports e RAI aqui no Brasil. Na primeira parte do nosso guia, apresentamos da Atalanta à Lazio. Bom proveito!

Atalanta

Cidade: Bérgamo
Estádio: Atleti Azzurri d’Italia (24.642 lugares)
Treinador: Stefano Colantuono (3ª temporada)
Posição na temporada passada: 12º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Germán Denis (atacante)
Fique de olho: Moussa Koné (meia)
Principais reforços: Carlos Matheu (zagueiro, Independiente-ARG), Davide Brivio (lateral-esquerdo, Lecce) e Facundo Parra (atacante, Independiente-ARG)
Principais perdas: Andrea Masiello (lateral-direito, suspenso), Matteo Brighi (meia, Torino) e Massimo Mutarelli (meia, sem contrato)
Objetivo na temporada: um campeonato sem sustos
Time-base (4-4-1-1): Consigli; Matheu, Stendardo (Lucchini), Manfredini, Peluso; Schelotto, Cigarini, Carmona (Koné), Bonaventura; Maxi Moralez; Denis.

Duas derrotas nos últimos amistosos preparatórios para o campeonato não trazem os melhores presságios. Ainda mais se uma delas vem para a semiprofissional Cremonese. Mas os resultados não podem apavorar a Atalanta, que fez uma ótima temporada em 2011-12 e, pelo menos por enquanto, conseguiu segurar seus melhores jogadores. A base do time bergamasco é tão boa que quatro atletas estão na última convocação da Seleção Italiana: o meia Schelotto, o goleiro Consigli, o lateral-esquerdo Peluso e o atacante Gabbiadini. Entrar com dois pontos negativos pode representar um problema no fim do campeonato, mas há talento suficiente no meio-campo (para não falar dos gols de Denis) para que o time evite surpresas desagradáveis.

Bologna

Cidade: Bolonha
Estádio: Renato dall’Ara (39.444 lugares)
Treinador: Stefano Pioli (2ª temporada)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Gastón Ramírez (meia)
Fique de olho: Saphir Taïder (meia)
Principais reforços: Cesare Natali (zagueiro, Fiorentina), Tiberio Guarente (meia, Sevilla-ESP) e Gianluca Curci (goleiro, Roma)
Principais perdas: Marco Di Vaio (atacante, Montreal-CAN), Jean-François Gillet (Torino) e Gaby Mudingayi (meia, Inter)
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Time-base (3-4-2-1): Curci; Antonsson, Natali, Cherubin; Motta (Garics), Pérez, Taider, Morleo (Abero); Diamanti, Ramírez; Acquafresca.

Uma das grandes surpresas da temporada passada, o Bologna deve ter problemas para repetir a boa campanha. Os quatro pilares da equipe se foram. O artilheiro Di Vaio e o zagueiro Raggi saíram em fim de contrato, o goleiro Gillet pediu para ser negociado com o Torino e o volante Mudingayi partiu para a Inter. Os substitutos encontrados pela equipe não estão no mesmo nível. Resta à torcida esperar a permanência da dupla de criação do time titular. Diamanti até tende a ficar, mas o uruguaio Ramírez tem propostas milionárias e pode ser mais um a ir embora antes do campeonato. Caso ele diga adeus, seu substituto terá de ser encontrado no mercado, não no elenco.

Cagliari

Cidade: Cagliari
Estádio: Is Arenas (16.214 lugares)
Treinador: Massimo Ficcadenti (2ª temporada)
Posição na temporada passada: 15º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Radja Nainggolan (meia)
Fique de olho: Vincenzo Camilleri (zagueiro)
Principais reforços: Luca Rossettini (zagueiro, Siena), Marco Sau (atacante, Juve Stabia) e Danilo Avelar (lateral-esquerdo, Karpaty-BUL)
Principais perdas: Michele Canini (zagueiro, Genoa), Moestafa El Kabir (atacante, Mjällby-SUE) e Simone Gozzi (lateral-direito, Modena)
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Time-base (4-3-3): Agazzi; Pisano, Rossettini, Astori, Danilo Avelar (Agostini); Nainggolan, Conti, Dessena; Sau (Thiago Ribeiro), Pinilla, Cossu.

A aberração do Estádio Sant’Elia está, finalmente, fora do mapa do Campeonato Italiano. Sem “simpático estádio dentro de outro estádio”, como dizem alguns, o Cagliari mandará seus jogos na pequena Is Arenas, enquanto seu novo estádio não fica pronto. Depois de passar mais sustos do que o necessário no último ano, a equipe aposta na continuidade de Ficcadenti no comando sardo. As investidas no mercado têm sido modestas. Boa parte do orçamento do ano foi destinada à contratação em definitivo do atacante brasileiro Thiago Ribeiro, mesmo contra a vontade do atleta. Entre os recém-chegados, quem mais chama atenção é o atacante Sau, autor de uma Série B espetacular pela Juve Stabia, temporada passada.

Catania

Cidade: Catânia
Estádio: Angelo Massimino (20.266 lugares)
Treinador: Rolando Maran (estreante)
Posição na temporada passada: 11º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Francesco Lodi (meia)
Fique de olho: Keko (atacante)
Principais reforços: Lucas Castro (meia, Racing-ARG), Mirko Antenucci (atacante, Torino) e Alberto Frison (goleiro, Vicenza)
Principais perdas: Felipe Seymour (meia, Genoa), Juan Pablo Carrizo (goleiro, Lazio) e Marco Motta (lateral-direito, Bologna)
Objetivo na temporada: um campeonato sem sustos
Time-base (4-3-3): Frison; Alvarez (Potenza), Legrottaglie, Spolli, Marchese; Izco, Lodi, Almirón; Gómez, Bergessio, Castro.

Depois de várias temporadas vendendo seus jogadores mais valorizados, o Catania tem conseguido segurá-los. A equipe siciliana resistiu aos avanços pelo atacante Gómez, pelo zagueiro Spolli e pelo lateral-esquerdo Marchese e deve mantê-los pelo menos por pelo menos mais um ano para perseguir o sonho de chegar a alguma competição europeia, para fazer jus ao novo centro esportivo da equipe, um dos melhores do país, finalizado no ano passado. Para a missão, foi escolhido como treinador Rolando Maran, que estreará na Série A após comandar boas campanhas de Varese, Vicenza e Triestina na segunda divisão italiana.

Chievo

Cidade: Verona
Estádio: Marcantonio Bentegodi (42.160 lugares)
Treinador: Domenico Di Carlo (2ª temporada)
Posição na temporada passada: 10º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Stefano Sorrentino (goleiro)
Fique de olho: Isaac Cofie (meia)
Principais reforços: Paul Papp (zagueiro, Vaslui-ROM), David Di Michele (atacante, Lecce) e Marco Rigoni (meia, Novara)
Principais perdas: Michael Bradley (meia, Roma), Francesco Acerbi (zagueiro, Milan) e Paolo Sammarco (meia, Spezia)
Objetivo na temporada: um campeonato sem sustos
Time-base (4-3-1-2): Sorrentino; Sardo, Papp, Andreolli, Dramé; Luciano (Cofie), Luca Rigoni, Hetemaj; Marco Rigoni (Stoian); Pellissier, Di Michele.

A se manter a boa base do ano passado, o Chievo tende a fazer mais um campeonato bem-sucedido como coadjuvante, conseguindo aqui e acolá pontos suficientes para se manter na primeira divisão. As chegadas de Marco Rigoni e do jovem Stoian devem a solucionar o eterno problema da criação de jogadas no time de Verona. Para uma temporada sem sustos, porém, o atacante e capitão Pellissier terá de funcionar melhor do que no ano passado, quando marcou apenas oito golzinhos. A principal tarefa de Domenico Di Carlo será fazer funcionar a defesa, que perdeu o zagueiro Acerbi e o volante Bradley, que ajudava a filtrar os ataques adversários. O defensor romeno Papp pode ser uma boa surpresa.

Fiorentina

Cidade: Florença
Estádio: Artemio Franchi (45.809 lugares)
Treinador: Vincenzo Montella (estreante)
Posição na temporada passada: 13º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Stevan Jovetic (atacante)
Fique de olho: Michele Camporese (zagueiro)
Principais reforços: Borja Valero (meia, Villarreal-ESP), Alberto Aquilani (meia, Liverpool-ING) e Gonzalo Rodríguez (zagueiro, Villarreal-ESP)
Principais perdas: Riccardo Montolivo (meia, Milan), Valon Behrami (meia, Napoli) e Cesare Natali (zagueiro, Bologna)
Objetivo na temporada: chegar a alguma competição europeia
Time-base (3-1-4-2): Viviano (Neto); Roncaglia, Rodríguez, Nastasic; Pizarro; Cuadrado (Cassani), Aquilani, Borja Valero, Pasqual; Jovetic, El Hamdaoui (Fernández).

As más temporadas seguidas da Fiorentina finalmente serviram para sacudir a direção do time violeta, que resolveu intervir de forma contundente no mercado. Jogadores que já não rendiam tão bem pelo clube, como Montolivo e Gamberini, deixaram Florença, e foram substituídos por gente em busca de revanche depois de uma temporada ruim. Destaque para a dupla do Villarreal, Borja Valero e Rodríguez, contratados justamente para o lugar dos ex-capitães. Do provável time titular para a temporada, só Nastasic, Pasqual e Jovetic já estavam no elenco do ano passado. O atacante montenegrino, aliás, agora manda prender e soltar no Artemio Franchi. As rodadas vão tratar de dizer se isso é bom.

Genoa

Cidade: Gênova
Estádio: Luigi Ferrraris (36.685 lugares)
Treinador: Luigi De Canio (2ª temporada)
Posição na temporada passada: 17º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Sébastien Frey (goleiro)
Fique de olho: Ciro Immobile (atacante)
Principais reforços: Michele Canini (zagueiro, Cagliari), Andrea Bertolacci (meia, Lecce) e Julián Velázquez (zagueiro, Independiente-ARG)
Principais perdas: Rodrigo Palacio (atacante, Inter), Miguel Veloso (meia, Dinamo Kiev-UCR) e Giuseppe Sculli (atacante, Lazio)
Objetivo na temporada: um campeonato sem sustos
Time-base (4-3-3): Frey; Tomovic, Canini, Velázquez (Von Bergen), Antonelli; Kucka, Tozser (Anselmo), Bertolacci (Jorquera); Jankovic, Gilardino, Zé Eduardo.

Os anos passam, mas continua um tormento se arriscar a escalar o time-base do Genoa. Como é de hábito, o time lígure encheu o carrinho de compras com jogadores que não têm qualquer garantia de que vão funcionar no time titular. E mais uma penca de novos atletas devem despencar no elenco à disposição de Luigi De Canio até o fim de agosto, o que deve pelo menos garantir um campeonato com menos sustos do que o da temporada passada, no qual a equipe só se livrou do rebaixamento na última rodada. A missão do comandante será reestruturar o time titular sem o atacante argentino Palacio, que se mandou para a Inter e deixou um buraco no setor ofensivo.

Inter

Cidade: Milão
Estádio: Giuseppe Meazza (82.995 lugares)
Treinador: Andrea Stramaccioni (2ª temporada)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: Liga Europa (terceira fase preliminar)
Destaque: Wesley Sneijder (meia)
Fique de olho: Samuele Longo (atacante)
Principais reforços: Rodrigo Palacio (atacante, Genoa), Samir Handanovic (goleiro, Udinese) e Matías Silvestre (zagueiro, Palermo)
Principais perdas: Lúcio (zagueiro, Juventus), Mauro Zárate (atacante, Lazio) e Diego Forlán (atacante, Inter)
Objetivo na temporada: lutar pelo título
Time-base (4-3-2-1): Handanovic; Maicon (Jonathan), Silvestre, Samuel, Zanetti; Guarín, Cambiasso, Mudingayi; Palacio, Sneijder; Milito.

A reestruturação que a Inter ensaiou na temporada passada continua neste ano. O clube se livrou dos altos salários de Lúcio, Forlán, Zárate e Castaignos e ainda tenta negociar o goleiro Júlio César e o meia Stankovic até o fim de agosto. O lateral-direito Maicon também está na lista de negociáveis do treinador Andrea Stramaccioni, que ganhou a confiança do presidente Massimo Moratti e vai para sua primeira temporada completa como técnico profissional. Depois de “ressuscitar” gente como Milito e Cambiasso, o comandante escolheu com quais veteranos pretende trabalhar e fez pedidos de jogadores úteis, tais como os argentinos Silvestre e Palacio, que devem ser titulares. Lutar pelo título, como sempre pelas bandas de Milão, é obrigação. Conquistá-lo não passa de sonho distante.

Juventus

Cidade: Turim
Estádio: Juventus Stadium (41.000 lugares)
Treinador: Antonio Conte (2ª temporada)
Posição na temporada passada: 1º
Competição europeia: Liga dos Campeões (fase de grupos)
Destaque: Andrea Pirlo (meia)
Fique de olho: Richmond Boakye (atacante)
Principais reforços: Mauricio Isla (meia, Udinese), Kwadwo Asamoah (meia, Udinese) e Sebastian Giovinco (atacante, Parma)
Principais perdas: Alessandro Del Piero (atacante, fim de contrato), Marco Borriello (atacante, Roma) e Milos Krasic (meia, Fenerbahçe-TUR)
Objetivo na temporada: renovar o título italiano
Time-base (3-1-4-2): Buffon; Barzagli, Lúcio, Chiellini; Pirlo; Lichtsteiner, Vidal, Marchisio, Asamoah (De Ceglie); Vucinic, Matri (Giovinco).

Dificilmente a temporada poderia ter começado mais conturbada para a Juventus. Sem nem se envolver no escândalo de apostas ilegais, a equipe acabou tendo dois jogadores e o treinador julgados. Só Antonio Conte cumprirá pena, pelo menos por enquanto, de 10 meses de suspensão – mas o procurador responsável pelo caso já recorreu à absolvição do zagueiro Bonucci e do meia Pepe. Para completar, o título da Supercopa Italiana em uma partida de arbitragem contestável, com duas expulsões contestáveis, ajudou a esquentar o clima. No campo, porém, a primeira temporada desde 1992 sem Del Piero tende a ser mais tranquila do que a do ano anterior. Com a base mantida e bons reforços, a Velha Senhora não deve esbarrar em dificuldades insuperáveis para renovar o título da Série A.

Lazio

Cidade: Roma
Estádio: Olímpico (72.698 lugares)
Treinador: Vladimir Petkovic (estreante)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: Liga Europa (play-offs)
Destaque: Miroslav Klose (atacante)
Fique de olho: Ogenyi Onazi (meia)
Principais reforços: Éderson (meia, Lyon-FRA), Mauro Zárate (atacante, Inter) e Luis Pedro Cavanda (lateral-direito, Bari)
Principais perdas: nenhuma
Objetivo na temporada: conquistar uma vaga na Liga dos Campeões
Time-base (4-2-3-1): Marchetti; Konko, Biava (Diakité), André Dias, Radu; Cana, Ledesma; Candreva (Zárate), Hernanes (Éderson), Lulic; Klose.

A Lazio conseguiu o inimaginável: ser vaiada antes mesmo de a temporada começar. A equipe romana perdeu quatro amistosos seguidos na pré-temporada, para Siena, Torino, Galatasaray e Getafe. Pior do que isso, não conseguiu fazer gol em nenhum dos jogos, mesmo que Klose já esteja em boa forma. O estreante Vladimir Petkovic tem encontrado problemas para escalar o meio-campo e parte da ineficácia parte disso. Mas boa parte da culpa é da direção laziale, que só contratou um jogador até agora. Mas Éderson, o escolhido, tem problemas no joelho direito que devem fazê-lo perder o início da Série A. Se o mercado não for bem feito, a Lazio arrisca uma campanha bem abaixo das expectativas.

Pallonetto

– Traumatizada por erros capitais em tantos jogos decisivos, a Itália voltou a debater o tema durante a decisão da Supercopa Italiana, que reuniu Juventus e Napoli. “Uma das partidas mais vergonhosas do nosso futebol”, reclamou o jornal Corriere dello Sport. A arbitragem chefiada por Paolo Silvio Mazzoleni expulsou dois jogadores e o treinador do Napoli. Revoltado, o vice-campeão se recusou a receber as medalhas de prata.

– Cesare Prandelli convocou a Itália que enfrentará a Inglaterra na quarta-feira. Sem poder convocar jogadores de Napoli e Juventus, abriu-se espaço para o rejuvenescimento. Foram chamados 12 atletas que jamais vestiram a camisa azul: Perin (goleiro, Pescara), Consigli (goleiro, Atalanta), De Sciglio (lateral, Milan), Peluso (lateral, Atalanta), Acerbi (zagueiro, Milan), Poli (meia, Sampdoria), Schelotto (meia, Atalanta), Verratti (meia, Paris Saint-Germain), Destro (atacante, Roma), El Shaarawy (atacante, Milan), Fabbrini (atacante, Udinese) e Gabbiadini (atacante, Atalanta).

– É difícil entender como funciona a justiça esportiva italiana. Pior do que isso, só explicá-la. A mesma procuradoria que acertou uma suspensão de três meses pediu judicialmente 15 meses de gancho a Antonio Conte. O treinador da Juventus acabou afastado por 10 meses, mas até o fim do mês a corte de apelo pode reduzir o tempo para seis meses. Depois, uma conciliação pode limar a condenação para aqueles três meses iniciais.

– Continua a Copa da Itália. Com a entrada das equipes da Série B, foi disputado o segundo turno preliminar. A maior zebra foi a eliminação do Brescia, em casa, para a Cremonese, na prorrogação. Times que passaram recentemente pela Série A, como Livorno, Cesena, Novara e Lecce se classificaram sem dificuldades.