Na segunda parte do Guia da Serie A, chegamos ao dono do scuddetto, o Milan, que se prepara para brigar novamente para ficar com o título, como o time mais pronto e mais forte do Campeonato Italiano. Vemos também a Lazio, que fez boa campanha na temporada passada, fez boas contratações no mercado e tenta, desta vez, chegar à tão sonhada Liga dos Campeões. Quem também aparece por aqui é a a Roma de Luis Enrique, que trouxe bons reforços jovens e tentará se encontrar com a nova filosofia de trabalho e o seu novo dono, Thomas DiBenedetto. Além destes, Napoli e Udinese se remontam para tentar repetir nesta temporada o sucesso de 2010/11, quando chegaram à Liga dos Campeões e deixaram favoritos para trás.

Lazio

Nome:  Società Sportiva Lazio
Fundação: 9/jan/1900
Site oficial: http://www.sslazio.it/
Estádio: Olimpico (72.698 pessoas)
Técnico: Edoardo Reja
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga Europa
Destaque: Hernanes
Fique de olho: Tommaso Ceccarelli
Quem chegou: Miroslav Klose (A, Bayern Munique-ALE), Senad Lulic (D, Young Boys-SUI), Luis Pedro Cavanda # (D, Torino), Abdoulay Konko (D, Genoa), Lorik Cana (M, Galatasaray-TUR), Federico Marchetti (G, Cagliari), Juan Pablo Carrizo (G, River Plate-ARG), Marius Stankevicius (D, Valencia-ESP), Djibril Cissé (A, Panathinaikos-GRE)
Quem saiu: Riccardo Bonetto (D, Bassano Virtus), Mourad Meghni (M, Umm Salal-AGL), Stephan Lichtsteiner, (D, Juventus), Fernando Muslera (G, Galatasaray-TUR), Tommaso Berni (G, Braga-POR), Christian Manfredini (M, Sambonifacese), Mark Bresciano (M, Al Nasr-EAU).
Objetivo na temporada: Competição Europeia

A Lazio mostrou força no início da temporada passada, quando liderou e surpreendeu. Caiu de desempenho e brigou por uma das quatro vagas para a Liga dos Campeões até a última rodada, mas acabou ficando em quinto, o que é ótimo para um time que, um ano antes, brigou para não cair. Hernanes é o maior destaque do time como um meio-campista completo e principal articulador, ajudado por Stefano Mauri.

No ataque é que estão as novidades. Os dois homens de frente devem ser os novos contratados: Miroslav Klose, que veio o Bayern Munique, e o francês Djibril Cissé, que chegou do Panathinaikos. Ambos têm experiência internacional e qualidade, aumentando o poder de fogo do time – que antes contava com Tommaso Rocchi e Mauro Zárate como jogador de referência. Deve brigar por vaga na Liga Europa novamente.

Lecce

Nome: Unione Sportiva Lecce
Fundação: 15/mar/1908
Site oficial: http://www.uslecce.it/
Estádio: Via del Mare (36.285 pessoas)
Técnico: Eusebio Di Francesco
Colocação em 2010/11: 17º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: David Di Michele
Fique de olho: Andrea Bertolacci
Quem chegou: Alessio Esposito (D, Bologna), Moris Carrozzieri (D, Palermo), Rodney Strasser * (M, Milan), Souleymane Diamoutene # (D, Pescara), Juan Cuadrado * (M, Udinese), Christian Obodo * (M, Torino), Julio Sergio * (G, Roma), Luis Muriel * (A, Granada).
Quem saiu: Manuel Coppola # (M, Parma), Gianni Munari (M, Fiorentina), Simone Sini # (D, Roma), Antonio Rosati (G, Napoli), Andrea Rispoli # (D, Sampdoria), Alberto Giuliatto (D, sem clube), Ernesto Chevanton (A, Colón-ARG), Fabiano (D, Shandong-CHN), Giuseppe Vives (M, Torino), Jeda * (A, Novara), Gustavo (D, Botafogo-BRA).
Objetivo na temporada: Escapar do rebaixamento

A primeira temporada na primeira divisão foi um relativo sucesso. O time manteve-se na Serie A e, para 2011/12, o objetivo será o mesmo. Para isso, trouxe um jovem destaque do Milan, o leonês Rodney Stresser, de 21 anos, por empréstimo. Além dele, o goleiro Júlio Sergio, também por empréstimo, veio da Roma. O colombiano Juan Cuadrado, sem espaço na Udinese, é outro que tentará revitalizar a carreira nos Salentini. O artilheiro do time é o atacante David Di Michele, de 35 anos, que tentará com seus gols manter o time na divisão principal. O meia Andrea Bertolacci, de 21 anos, é um dos jogadores com mais potencial do elenco dos giallorossi.

O técnico Esebio Di Francesco, que veio do Pescara, terá a missão de fazer o time sofrer menos. Na temporada passada, o Lecce foi o primeiro time fora da zona do rebaixamento, em 17º. Com 11 vitórias, oito empates e 19 derrotas, a equipe escapou do rebaixamento por cinco pontos. Escapar do rebaixamento, porém, será uma missão muito difícil. O time é um dos maiores favoritos a voltar à Serie B.

Milan

Nome: Associazione Calcio Milan
Fundação: 16/dez/1899
Site oficial: http://www.acmilan.com/
Estádio: San Siro (80.074 pessoas)
Técnico: Massimiliano Allegri
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga dos Campeões
Destaque: Zlatan Ibrahimovic
Fique de olho: Stephan El Shaarawy
Quem chegou: Philippe Mexès (D, Roma), Taye Taiwo (D, Olympique de Marseille-FRA), Gianmarco Zigoni (A, Genoa), Stephan El Shaarawy (A, Padova), Gianmarco Comi (A, Torino), Antonio Nocerino (M, Palermo), Alberto Aquilani * (M, Liverpool-ING)
Quem saiu: Andrea Pirlo (M, Juventus), Marek Jankulovski (D, aposentadoria), Sokratis Papastathopoulos (D, Genoa), Alexander Merkel (M, Genoa), Dídac Vilà *(D, Espanyol), Michelangelo Albertazzi * (D, Getafe), Simone Verdi (A, Torino), Nnamdi Oduamadi * (A, Torino), Nicola Legrottaglie (D, Catania), Giacomo Beretta (A, Ascoli), Rodney Strasser *(M, Lecce).
Objetivo na temporada: título

Depois de quebrar a série de títulos da Internazionale na Serie A, o Milan chega com praticamente o mesmo elenco da temporada passada para tentar renovar o título. Além de manter o elenco, o Milan trouxe dois reforços importantes para a defesa, principal problema do time: o zagueiro Philippe Mexès e o lateral esquerdo Taye Taiwo, aumentando o leque de opções. O mesmo vale para Alberto Aquilani, que em princípio deve ser reserva, mas torna-se uma opção de qualidade para o elenco, mesmo caso de Antonio Nocerino, que veio do Palermo.

O técnico Massimiliano Allegri manteve o esquema tática, o 4-3-1-2, com Kevin-Prince Boateng como articulador do time, em uma função que se adaptou bem e tem sido destaque. O ataque continua muito forte, com Zlatan Ibrahimovic como maior nome, auxiliado por Robinho, Alexandre Pato, Antonio Cassano, Filippo Inzaghi e o jovem Stephan El Shaarawy. Com os rivais enfraquecidos, o Milan começa como principal candidato ao scudetto. Só que o time quer ir além: ir bem também em nível europeu, o que falta ao clube desde a campanha do último título, em 2006/07. Com tudo isso, sai na frente na busca pelo bicampeonato.

Napoli

Nome: Società Sportiva Calcio Napoli
Fundação: 1/ago/1926
Site oficial: http://www.sscnapoli.it/
Estádio: San Paolo (60.240 pessoas)
Técnico: Walter Mazzari
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga dos Campeões
Destaque: Edinson Cavani
Fique de olho: Federico Fernandez
Quem chegou: Federico Fernandez (D, Estudiantes_ARG), Marco Donadel (M, Fiorentina) e Mario Santana (M, Fiorentina), Blerim Dzemaili (M, Parma), Mariano Bogliacino # (M, Chievo), Antonio Rosati (G, Lecce), Luca Cigarini # (M, Sevilla), Leandro Rinaudo # (D, Juvenetus), Miguel Britos (D, Bologna), Gökhan Inler (M, Udinese), Samuele Dalla Bona # (M, Atalanta), Roberto Colombo (G, Triestina), Cristian Chavez (A, San Lorenzo-ARG), Goran Pandev * (A, Inter)
Quem saiu: Michele Pazienza (M, Juventus), Manuele Blasi (M, Parma) e Fabiano Santacroce * (D, Parma), Hassan Yebda # (M, Benfica), Emilson Cribari (D, Cruzeiro), Gennaro Iezzo (G, sem clube) e Matteo Gianello (G, sem clube), Luigi Vitale * (D, Bologna), Nicolao Dumitru # (A, Empoli), José Sosa (A, Metalist-UCR).
Objetivo na temporada: Liga dos Campeões

A temporada dos Partenopei foi marcante e o sucesso pode ser dividido. O técnico Walter Mazzari foi muito bem sucedido na montagem de um time, que tinha vários bons jogadores e mostrou um elenco capaz de brigar de igual para igual com os grandes times. Com a manutenção dos principais jogadores, a tendência é conseguir ao menos manter o desempenho e brigar novamente por vaga na Liga dos Campeões e até pelo título.

Edinson Cavani, que fez temporada excelente, é a aposta para o ataque. Neste setor, ainda terá o argentino Ezequiel Lavezzi, outro destaque da temporada, e a criatividade de Marek Hamsik. E ainda chegou Goran Pandev, que veio da Inter e dá opção pelos lados do campo. No meio, Mario Santana e Gökhan Inler chegam com potencial para estarem no time titular e reforçar o setor. Na defesa está a maior aposta da equipe. Federico Fernandez, que veio do Estudiantes, e tem passagem pela seleção sub-20 da Argentina. Deve ser reserva, ao menos no início, mas com potencial para ganhar mais espaço ao longo da temporada, com a disputa de três competições.

Novara

Nome: Novara Calcio
Fundação: dez/1908
Site oficial: http://www.novaracalcio.com/
Estádio: Silvio Piola (17.000 pessoas)
Técnico: Attilio Tesser
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Marco Rigoni
Fique de olho: Andrea Mazzarini
Quem chegou: Massimo Paci (D, Parma), Riccardo Meggiorini * (A, Bologna), Andrea Mazzarani * (M, Udinese), Takayuki Morimoto (A, Catania) e Simone Pesce (M, Catania), Pablo Granoche * (A, Chievo), Achille Coser (G, Ascoli) e Luigi Giorgi (M, Ascoli), Federico Massaccesi (M, Rimini), Santiago García * (D, Palermo), Paolo Hernán Dellafiore (D, Cesena), Ivan Radovanovic * (M, Bologna), Jeda * (A, Lecce)
Quem saiu: Pablo Gonzalez * (A, Palermo), Mavillo Gheller (D, Pavia), Andrea Parola (M, Piacenza), Kevin Strukelj (G, sem clube), Davide Drascek (M, sem clube), Cristian Bertani (A, Sampdoria), Emanuel Gigliotti * (A, San Lorenzo-ARG).
Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

Chegar à Serie A já é um grande feito para o Novara, que na temporada 2009/10 estava na Lega Pro Prima Divisione, a terceira divisão. Conseguiu o acesso, voltou à Serie B depois de 33 anos e surpreendentemente conseguiu subir para a Serie A ao bater o Padova no play-off. Conta com o meio-campista Marco Rigoni, 31 anos, que fez a carreira em equipes menores e defende os biancoazzurri desde 2009. Foi ele quem decidiu os dois confrontos dos play-offs, contra Reggina e Padova, em casa, marcando os gols decisivos e sendo o nome do jogo.

O time se reforçou trazendo o atacante Takayuki Morimoto, reserva do Catania e chamado de “Ronaldinho japonês”, Jeda, atacante brasileiro que veio do Lecce e Santiago García, emprestado pelo Palermo. O time terá missão difícil para manter-se na Serie A e tentará tirar proveito do gramado do seu estádio, Silvio Piola, que é artificial – onde os times não estão acostumados a jogar. É um dos favoritos ao descenso.

Palermo
Nome:  Unione Sportiva Città di Palermo
Fundação: 1/Nov/1900
Site oficial: http://www.ilpalermocalcio.it/
Estádio: Renzo Barbera (36.349 pessoas)
Técnico: Devis Mangia (interino)
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga Europa
Destaque: Fabrizio Miccoli
Fique de olho: Afriyie Acquah
Quem chegou:  Ádám Simon (M, Szombathelyi Haladás-HUN), Alexandros Tzorvas (G, Panathinaikos-GRE), Eran Zahavi (M, Hapoel  Tel-Aviv-ISR), Carlos Labrin (D, Huachipato-CHI), Eros Pisano (D, Varese), Mauro Cetto (D, Tolosa), Luca Di Matteo (M, Vicenza), Gianluca Di Chiara (M, Reggiana), Andrea Mantovani (D, Chievo), Ignacio Lores (M, Defensor-URU), Matías Silvestre (D, Catania), Rubinho # (G, Torino)
Quem saiu: Antonio Nocerino (M, Milan), Fabio Liverani (M, Lugano-SUI), Michele Paolucci # (A, Siena), Matteo Darmian * (D, Torino), Moris Carrozzieri (D, Lecce), Santiago García * (D, Novara), Pajtim Kasami (M, Fulham-ING), Dorin Goian (D, Rangers-ESC), Salvatore Sirigu (G, Paris Saint-Germain-FRA) e Javier Pastore (M, Paris Saint-Germain-FRA), Jasmin Kurtic *(M, Varese), Mattia Cassani * (D, Fiorentina), Cesare Bovo * (D, Genoa), João Pedro (M, Peñarol-URU)
Objetivo na temporada: Vagas europeias

Depois de uma das maiores vendas do mercado de verão europeu, o Palermo ainda busca encontrar um substituto para o meia Javier Palermo, que foi para o Paris Saint-Germain. Quem deve assumir o papel de criação é Josip Ilicic, mas será uma tarefa difícil. A aposta para o setor é Ignacio Lores, que veio do Defensor-URU para tentar ganhar seu espaço. Eran Zahavi, que veio do Maccabi Haifa, é outro que chega para a posição de Pastore, mas são apostas.

O grego Alexandros Tzorvas chega para tentar suprir a saída do goleiro Salvatore Sirigu, outro que foi para o PSG. O brasileiro Rubinho, que retorna de empréstimo ao Torino, é outro que reforça o setor. O problema é que a temporada começou com uma eliminação precoce da Liga Europa, contra o Thun, e a paciência de Maurizio Zamparini com Stefano Pioli não durou nem até o início da Serie A. O técnico foi demitido e é possível que o time até comece o campeonato sem técnico – Devis Mangia será apenas interino. O objetivo do time é tentar chegar à Liga Europa, mas isso só deve acontecer se a equipe conseguir um rápido entrosamento e as apostas darem certo – o que é difícil. Deve ficar apenas no meio da tabela.

Parma

Nome: Parma Football Club
Fundação: 27/jul/2013
Site oficial: http://www.fcparma.com/
Estádio: Ennio Tardini (27.906 pessoas)
Técnico: Franco Colomba
Colocação em 2010/11: 12º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Sebastian Giovinco
Fique de olho: Rolf Feltscher
Quem chegou: Alessandro Elia (A, Bologna), Graziano Pellè (A, AZ-HOL), Nicola Sansone (A, Bayern Munique-ALE), Danilo Pereira # (M, Aris-GRE), Gonçalo Brandão * (D, Siena), Manuele Blasi * (M, Napoli) e Fabiano Santacroce * (D, Napoli), Jonathan Biabiany * (A, Sampdoria), Jaime Valdes (M, Sporting-POR), Fabio Nunes * (A, Portimonense-POR), Matteo Rubin * (D, Torino), Sergio Floccari * (A, Lazio), Gianluca Musacci * (M, Empoli)
Quem saiu: Angelo (D, Siena), Amauri # (A, Juvenetus), Blerim Dzemaili (M, Napoli), Massimo Paci (D, Novara), Lorenzo Galassi * (M, Novara), Valeri Bojinov (A, Sporting), Marco Pisano (D, Vicenza), Antonio Candreva (M, Cesena)
Objetivo na temporada: meio da tabela

O Parma teve o desempenho surpreendente de Sebastian Giovinco como seu principal trunfo na última temporada. Agora, o novo camisa 10, comprado junto à Juventus, tem a missão de tentar dar mais estabilidade ao time. Para ajudá-lo nesta tarefa, o time contratou o atacante Jonathan Biabiany, que vem por empréstimo da Sampdoria, e Sergio Floccari, também emprestado, que vem da Lazio.

O Ducali espera que, nesta temporada, o time consiga melhorar um pouco o desempenho e ficar entre os dez primeiros colocados. Com o técnico Franco Colomba, que fez bom trabalho na temporada passada, o time tem boas chances de conseguir alcançar esse objetivo. Olho no lateral direito e zagueiro Rolf Feltscher, nascido na suíça, mas com origem venezuelana, que defendeu as seleções de base da Suíça com destaque e decidiu defender a Venezuela na categoria principal. O jogador, de 20 anos, é considerado uma promessa e deve ter mais chances nesta temporada.

Roma

Nome:  Associazione Sportiva Roma
Fundação: 22/jul/1927
Site oficial: http://www.asroma.it/
Estádio: Olimpico (72.698 pessoas)
Técnico: Luis Enrique
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga Europa
Destaque: Daniele De Rossi
Fique de olho: Erik Lamela
Quem chegou: Fernando Gago * (M, Real Madrid-ESP), Miralem Pjanic (M, Lyon-FRA), Pablo Osvaldo (A, Espanyol-ESP), Stefano Okaka # (A, Bari), Cicinho # (D, Villarreal-ESP), Gianluca Curci (G, Sampdoria), Bojan Krkic (A, Barcelona-ESP), Loic Nego (D, Nantes-FRA), José Ángel (D, Sporting de Gijón-ESP), Erik Lamela (M, River Plate-ARG), Gabriel Heinze (D, Olympique de Marseille-FRA), Maarten Stekelenburg (G, Ajax-HOL)
Quem saiu: Philippe Mexès (D, Milan), Paolo Castellini (D, Sampdoria), Guillerme Burdisso (D, Arsenal-ARG), Simone Loria (D, Bologna), John Arne Riise (D, Fulham-ING), Doni (G, Liverpool-ING),  Jérémy Ménez (A, Paris Saint-Germain-FRA), Júlio Sergio * (G, Lecce p), Mirko Vucinic (A, Juventus)
Objetivo na temporada: Liga dos Campeões

Depois que começar a temporada sendo eliminado pelo Slovan Bratislava na Liga Europa, a Roma do novo dono Thomas DiBenedetto tem um grande desafio para a temporada. O jovem técnico Luis Enrique, ex-jogador do Barcelona e que veio do time B dos catalães para comandar os giallorossi, terá que lidar com o capitão Francesco Totti, com quem já começou em pé de guerra. Mas terá à sua disposição alguns bons reforços, como o goleiro Maarten Stekelenburg, o volante Fernando Gago, o meia Miralem Pjanic e o zagueiro Simon Kjaer. Além deles, a promessa Erik Lamela chegou do River Plate, além dos atacante Bojan Krkic, do Barcelona, e Fabio Borini, do Parma, ex-Chelsea.

O problema que a Roma irá enfrentar é a sua juventude. Com tantos reforços jovens, o time deve oscilar, especialmente no começo, enquanto ainda se entrosa e se ajusta ao trabalho de Luis Enrique. Se em anos anteriores a Roma se caracterizou por inícios instáveis, desta vez este desempenho seria esperado. Só que o técnico espanhol já começa o trabalho pressionado pelo insucesso na Liga Europa e terá que fazer com que o grupos de jovens se encaixe rapidamente. Deve brigar por Liga Europa e, com alguma sorte se o time funcionar, até brigar por Liga dos Campeões.

Siena

Nome: Associazione Calcio Siena
Fundação: 1904
Site oficial: http://www.acsiena.it/
Estádio: Artemio Franchi (15.373 pessoas)
Técnico: Giuseppe sannino
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Simone Vergassola
Fique de olho: Milan Milanovic
Quem chegou: Francesco Bolzoni (M, Genoa), Ângelo (D, Parma), Paul Codrea # (M, Bari), Nicola Belmonte (D, Bari) e Alessandro Gazzi (M, Bari), Mattia Destro * (A, Milan), Zeljko Brkic * (G, Udinese), Paolo Grossi (A, Varese), Gabrielle Angella * (D, Udinese), Gaetano D’Agostino (M, Udinese), Emanuele Pesoli (D, Varese), Daniele Mannini (M, Sampdoria), Matteo Contini * (D, Zaragoza-ESP), Joel Acosta (A, Boca Juniors-ARG), Pablo González * (A, Palermo), Milan Milanovic * (D, Palermo)
Quem saiu: David Mounard (M, Salernitana), Alexandros Tziolis (M, Racing de Santander-ESP), Antonio Zito (D, Juve Stabia), Domenico Danti (A, Vicenza), Gianluca Sansome (M, Sassuolo), Mato Jajalo (M, Köln-ALE), Daniele Ficagna (D, sem clube), Michael Odibe (D, Arsenal Kiev-UCR), Sorin Radoi (A, Pavia), Alessandro Bettega (M, sem clube), Michele Fini (M, sem clube), Pedro Kamatà (M, sem clube), Salvatore Mastronuzio * (A, Spezia), Agostino Garofalo * (D, Bari), Michele Paolucci * (A, Vincenza), Lorenzo Del Prete * (D, Nocerina), Gonçalo Brandão * (D, Parma), Luigi Castaldo (D, Borgo a Buggiano), Filipe * (Varese), Filippo Bigeschi * (M, Poggibonsi), Gaetano Capogrosso * (D, Pavia), Giacomo Malquori * (D, Poggibonsi), Filippo Carobbio * (M, Spezia), Samuele Mugelli * (M, Borgo a Buggiano), Marco Di Crescenzo * (A, Borgo a Buggiano), Carlo Crociani * (D, Borgo a Buggiano), Federico Re *(M, Borgo e Buggiano), Matteo Calamai * (M, Carpi), Alessandro Iacobucci * (G, Sudtirol), Mariano Romano * (M, Monza Brinza), Ferdinando Coppola # (G, Milan), Francesco Bolzoni # (M, Genoa), Fabrizio Cacciatore # (D, Sampdoria)
Objetivo na temporada: escapar do rebaixamento

A estadia do Siena na Serie B durou apenas uma temporada e o time está de volta à primeira divisão. A missão, então, é tentar continuar nela nesta temporada. O time perdeu o técnico que levou os bianconeri ao acesso, Antonio Conte, que foi para a Juventus, e trouxe Giuseppe Sannino, que dirigia o Varese. Será a primeira experiência do técnico, de 54 anos, na Serie A.

O time deve manter os eu 4-4-2 com dois jogadores abertos no meio-campo. Um bom reforço para esse esquema é Daniele Mannini, que veio da rebaixada Sampdoria. Ainda no meio-campo o capitão Simone Vergassola é a referência, que tem qualidade para defender e atacar. Gaetano D’Agostino chega da Udinese depois de empréstimo à Fiorentina, onde não conseguiu se firmar. Deve ser titular. No ataque, o time trouxe uma aposta: Mattia Destro, que jogou a última temporada emprestado ao Genoa, mas pertence ao Milan. Aos 20 anos, o jogador terá mais uma chance para provar o seu valor. E o Siena apreciará suas boas atuações se elas forem suficientes para manter o time na primeira divisão, o que parece bem possível.

Udinese

Nome: Udinese Calcio
Fundação: 1896
Site oficial: http://www.udinese.it/
Estádio: Friuli (30.667 pessoas)
Técnico: Francesco Guidolin
Colocação em 2010/11:
Competição europeia: Liga dos Campeões
Destaque: Antonio Di Natale
Fique de olho: Gabriel Torje
Quem chegou: Danilo (D, Palmeiras-BRA), Diego Fabbrini (M, Empoli), Barreto (A, Bari), Antonio Floro Flores # (A, Genoa), Fabián Orellana # (M, Granada-ESP), Thierry Doubai (M, Young Boys-SUI), Abdoul Sissoko (M, Troyes-FRA), Neuton (D, Grêmio-BRA), Roberto Pereyra (M, River Plate-ARG), Gabriel Torje (M, Dinamo Bucareste-ROM)
Quem saiu: Steve Beleck (A, AEK-GRE), Bernardo Corradi (A, aposentadoria), Gabriele Angella * (D, Siena), Cristian Zapata (D, Villarreal-ESP), Jaime Romero (M, Granada), Gökhan Inler (M, Napoli), Alexis Sanchez (A, Barcelona-ESP), Juan Cuadrado * (M, Lecce), Germán Denis (A, Atalanta), Jonathan Mensah (D, Evian-FRA)
Objetivo na temporada: vagas europeias

A Udinese trouxe diversos jogadores, mas nenhum deles chegar para ser o titular absoluto do time. Todos irão buscar espaço. Os Friulani tentam repetir o sucesso da fórmula de trazer jogadores a baixo custo e transformá-los em estrelas, capazes de levar o time a disputar a parte de cima da tabela na Serie A e beliscar uma vaga em Copas Europeias. A aposta da vez é o “Messi Romeno”, Gabriel Torje, de 21 anos e Roberto Pereyra, 19 anos, do River Plate. Os dois jogadores devem ganhar chances no elenco dos Friulani para mostrar seu futebol.

Francesco Guidolin terá a dura missão de recriar o time que perdeu alguns dos seus jogadores mais importantes em cada setor. Cristian Zapata fez excelente temporada e, ainda que não fosse um primor de técnica, dava segurança à zaga. Gökhan Inler era uma peça-chave do meio-campo e será preciso encontrar alguém que faça o trabalho do suíço. No ataque. Alexis Sánchez foi para o Barcelona e o time perde um dos seus jogadores mais efetivos. Será difícil substituí-los, mas o desempenho do time contra o Arsenal, na maior parte do confronto da Liga dos Campeões, mostrou que o time é capaz de competir em alto nível. Deve brigar para ficar entre os cinco primeiros na Serie A.