Não dá para dizer que La Liga é um campeonato acirrado como a Premier League, por exemplo. A disputa pelo título já foi equilibrada. Hoje, se concentra em apenas três times. Isso sem contar que o Atlético de Madrid voltou a brigar com Barcelona e Real Madrid há, mais ou menos, cinco anos. No entanto, a competitividade está sendo retomada aos poucos. E é importante pontuar que as últimas edições da Champions League e da Liga Europa foram dominadas por times da Espanha. Seguida da ascensão do Atleti no cenário nacional (e continental também), estão se mostrando cada vez mais dispostos a subir na tabela o Sevilla, o Villarreal, o Athletic Bilbao e até o próprio Valencia, que não foi tão bem na temporada passada, mas não deixa de ser um time em evolução.

VEJA TAMBÉM: Guia da Premier League 2016/17: time a time, quem vai brigar pelo que

Diante da expectativa em relação a quem vai levar a melhor no campeonato, que sempre é, de forma ou de outra, bastante previsível, trouxemos uma análise time por time, separados em três grupos. O primeiro é BRIGA NO ALTO, na qual falamos de times que, como de praxe, vão brigar pelas primeiras posições na tabela, seja título ou ficar entre os classificados à Champions League. Este, claro, é o grupo mais badalado de equipes.

Tem também os ISENTÕES, aqueles que almejam ficar ali, naquele meio de tabela confortável, com alguns deles sonhando até com uma vaguinha em Liga Europa, quem sabe, já que, cada vez mais, a Espanha vem tomando conta de ambas as competições europeias. O Sevilla está aí para provar que de predominância os nervionenses triplamente entendem.

Por fim, temos o SALVE-SE QUEM PUDER, que, como o nome já indica, é aquele grupo que pensa nos pontos para sobreviver na primeira divisão. Alguns, temporada passada, escaparam, por pouco, de cair para a agora chamada La Liga 2. Outros, vem da segunda divisão com a esperança de fazer uma campanha razoável para se manter na elite do futebol espanhol. Então, vamos lá. Aproveite, critique e participe com a gente. A temporada está só começando.

BRIGA NO ALTO

Spain Soccer La Liga

Barcelona

O Barcelona é um time que nunca está fora da briga pela taça do campeonato espanhol. É o segundo maior vencedor da competição e o clube mais bem-sucedido dentro do país, tendo ganho mais títulos nacionais do que o rival Real Madrid. E as duas últimas temporadas foram dele. A liderança do Barça em 2015/16 foi ameaçada pelos merengues e pelo Atlético de Madrid. Isso por conta do tropeço do time da Catalunha, que não só fez os culés perderem muitos pontos seguidos, como também desestabilizou a equipe na Champions League e culminou na eliminação nas quartas de final. Agora, o time blaugrana visa o tricampeonato e a volta ao protagonismo na Europa.

Luis Enrique vai para sua terceira temporada sobre o comando técnico do time em que atuou por oito anos e foi campeão, como jogador, em seis ocasiões. Os encabeçados pelo treinador espanhol concentram maior parte de sua força no ataque, o qual é ordenado por Lionel Messi, Luis Suárez e Neymar. Mas, assim como o rival de Madri, também têm um baita de um meio-campo. A cabeça pensante, apesar de ser “velha”, ainda funciona muito bem. É Andrés Iniesta quem dita o ritmo da máquina que é o Barcelona. Com o auxílio de Ivan Rakitic, claro.

A grande novidade para esta temporada é que o Barcelona finalmente contratou um zagueiro. Trata-se do francês Samuel Umtiti, que vem de boa temporada no Lyon e de excelente campanha com seus companheiros da França na Eurocopa. E ele não foi o único francês que chamou a atenção dos culés. Lucas Digne, que pertencia ao PSG, mas cumprindo empréstimo na Roma, foi negociado por apenas € 2,5 milhões. Contratação que pode ser considerada pechincha, pois é um bom lateral-esquerdo e ainda é jovem (poderá se desenvolver no clube). O Barça ainda conta com a volta do meia-atacante Denis Suárez, que estava no Villarreal, e também comprou André Gomes do Valencia, português que esteve no elenco campeão da Euro deste ano.

Real Madrid

O Real Madrid é, desde sempre, um time favorito ao título. É a equipe que mais levantou a taça do campeonato espanhol e o maior campeão continental. Por ser um clube de muita tradição, com uma história gloriosa e que esbanja dinheiro, apenas um grande tropeço administrativo tiraria a soberania dos merengues. Na temporada passada, brigaram até a última rodada com o maior rival, o Barcelona, para conquistar La Liga pela 33ª vez. Porém, não deu para faturar o bicampeonato e um doblete, já que venceram a Champions League também. Nesta temporada, vão entrar com tudo para voltar ao topo da Espanha após quatro anos.

O time comandado por Zinedine Zidane é forte da defesa ao ataque. Desde Keylor Navas, que, em 2015/16, após quase ter servido de moeda de troca para que David de Gea fosse para o Santiago Bernabéu, fechou o gol do Real e fez uma campanha impecável. Até a linha de frente, comandada pelo eficiente trio ofensivo formado por Gareth Bale, Karim Benzema e Cristiano Ronaldo, o qual foi responsável por 71% dos 110 gols marcados pela equipe merengue na última temporada de La Liga. O ataque é uma máquina, mas talvez não fosse tudo isso sem a participação de Toni Kroos e Luka Modric, que tomam conta do meio-campo e cadenciam o jogo.

Para reforçar um elenco que já era firme, o Real Madrid tentou contratar Paul Pogba, mas perdeu a disputa para o Manchester United. No entanto, o meia Marco Asensio, que foi comprado pelo clube em 2014 e, em seguida, emprestado, retornou ao Bernabéu depois de uma temporada no Mallorca e uma no Espanyol. E ele tem se saído muito bem em seu recomeço com a camisa blanca. Álvaro Morata é outro que está de volta após duas temporadas na Juventus. Enquanto a janela de transferências não fecha, muito se fala que a contratação de Moussa Sissoko, que está louco para ir para o Real, está sendo estudada pelo clube como forma de suprir a “perda” de Pogba.

Portugal Soccer Champions League Final

Atlético de Madrid

Desde que Diego Simeone assumiu o cargo de treinador do Atlético de Madrid, os colchoneros subiram muito claramente de patamar. Terceira colocada na temporada passada, com apenas dois pontos atrás do rival da mesma cidade, a equipe de Madri foi uma referência defensiva não só no campeonato doméstico, como em toda a Europa. Foram apenas 18 gols concebidos em 38 rodadas. É bem capaz que depois de mais um fracasso diante dos merengues na Champions League, o Atleti busque com todas as forças a segunda taça do principal torneio nacional na era Simeone e o 11º título de La Liga da história colchonera.

Em 2015/16, os destaques do time foram a concentração e a consistência do coletivo. Mas é inegável a notoridade de Antoine Griezmann. E a evolução de Saúl Ñiguez. Tal como a bola que jogou Fernando Torres. Mas o ponto alto que colaborou para que o Atleti terminasse La Liga com o posto de equipe mais sólida ficou por conta das boas atuações dos jogadores da linha de fundo. E com Juanfran, Felipe Luis, Stefan Savic, José Giménez, Diego Godín e o goleiraço que é Jan Oblak, Cholo dará continuidade ao seu trabalho que foi impecável defensivamente na temporada passada.

Simeone se moveu para reforçar suas opções no ataque e conseguiu a aquisição do atacante Kevin Gameiro, vindo de boa campanha no Sevilla e por € 32 milhões. Além dele, o argentino Nico Gaitán, que era do Benfica, chega ao Calderón por € 25 milhões. Ambos terão que desenvolver rapidamente um entrosamento com Griezmann, o artilheiro e grande destaque do grupo, e, com isso, a expectativa sobre eles só tende a aumentar. Também se junta ao elenco o lateral direito Sime Vrsaljko, ex-Sassuolo, para fortificar ainda mais a retaguarda colchonera.

ISENTÕES
Sevilla

Depois dos três times favoritos ao título, o Sevilla de 2016/17 é o que mais esboça a possibilidade de ir longe no campeonato. Embora na temporada passada os nervionenses tenham conseguido a singela sexta colocação em La Liga, o time era muito bom. E, com as contratações feitas nesta janela de transferências, estará ainda mais fortalecido. Além da chegada de Ganso, que foi escolhido a dedo por Jorge Sampaoli e é uma peça que o treinador pretende usar mais próxima à linha de fundo, duas negociações que parecem ser muito boas são a do volante Matías Kranevitter e do atacante Luciano Vietto, ambos vindos do Atleti por empréstimo. Juntos ao capitão Vicente Iborra, Yevhen Konoplyanka, Franco Vázquez, Mariano e o resto, fazem o Sevilla de Sampaoli ser um time que parece bem interessante.

Spain Soccer La Liga

Athletic Bilbao

Outro time que promete brigar pela chance de ir a competições europeias, novamente, é o Athletic Bilbao. Os leones conseguiram a quinta colocação na tabela na temporada que passou, a qual, aliás, começaram a todo vapor, e se garantiram na fase de grupos da Liga Europa. Sem vencerem o campeonato espanhol há mais de três décadas, a equipe de Basco continuará sob o comando técnico de Ernesto Valverde rumo a mais uma campanha de sucesso. Claro que dentro das limitações do time e da liga, que ainda é muito desigual e previsível. Ainda que o Bilbao não tenha feito nenhuma contratação de peso para a campanha de 2016/17, continuará contando com a eficiência de Aritz Aduriz e Raúl García para marcar gols e assegurar uma vaga em um torneio continental.

Celta de Vigo

Comandado por Eduardo Berizzo pela terceira temporada seguida, o Celta de Vigo começa 2016/17 com uma enorme baixa: Nolito. O atacante foi extremamente importante para a garantia da sexta posição na tabela classificatória, mas agora seguiu sua carreira fora da Península Ibérica pela primeira vez na carreira. Embora não contem mais com o responsável pela maioria dos gols na campanha que passou, os Célticos crêem que Pione Sisto, jovem promessa vinda do Midtjylland, e José Naranjo, comprado do Gimnàstic, possam suprir, de alguma forma, a falta que Nolito fará no ataque do time de Vigo. Enquanto isso, é esperado que o zagueiro Gustavo Cabral e o lateral-direito Jonny continuem dando conta do recado e fazendo um papel defensivo até que bastante sólido.

Villarreal

O Villarreal vai muito além de “o time do Pato”. Até porque Alexandre Pato chegou após uma temporada em que o Submarino Amarelo conseguiu se firmar entre os quatro primeiros colocados e garantir uma vaga nos playoffs da Champions League. Ah, e chegou para acrescentar, como bem mostrou no primeiro jogo oficial pelo clube. Agora, a equipe será orientada tecnicamente por Fran Escribá, que chega ao Villarreal após não ter sido capaz de evitar a queda do Getafe para a segunda divisão e com a missão de dar continuidade ao bom trabalho de Marcelino García. Trabalho este que só foi exitoso graças boas performances como as do capitão e zagueiraço que é Mateo Musacchio, por exemplo. Além de Pato, as novas caras que buscarão o primeiro título de La Liga para o Villarreal são Roberto Soriano e Nicola Sansone, vindos da Sampdoria e Sassuolo, respectivamente.

VILLAREAL INTER MILAN

Valencia

O ex-assistente, agora técnico, Pako Ayestaran continuará à frente do Valencia nesta temporada após não ter conseguido salvar Los Che do desastroso 12º lugar na tabela em 2015/16 (trabalho herdado de Gary Neville). O time definitivamente não foi bem, apesar de contar com bons nomes, como o zagueiro Shkodran Mustafi, que foi muito bem pela Alemanha na Eurocopa, o centroavante e capitão Paco Alcácer, que não teve lá bons números na temporada que passou, mas é um jogador de personalidade e pode render muito mais do que aquilo, e o goleiro Diego Alves, que é uma das grandes estrelas de debaixo das traves da atualidade. Aliás, o futuro deste último no Valencia é incerto. É bem provável que Los Che percam aquele que fechou o gol por tantas vezes. Mas ganharam o atacante Nani, campeão da Euro vindo do Fenerbahçe.

Málaga

O Málaga do técnico Juande Ramos, que chega para substituir Javi Gracia, provavelmente será mais um time neutro, apesar de ter se mostrado ativo no mercado de transferências. Dpois de quase alcançarem a semifinal da Champions League em 2012/13, terem passado apuros, mas se “recuperado” na campanha de 2013/14 e conseguido o oitavo lugar no campeonato espanhol de 2015/16 mesmo tendo ficado na zona de rebaixamento por 13 rodadas, os boquerones não apresentam nenhuma perspectiva interessante para a temporada que começa agora. Pode ser que arranquem uma vaga para a Liga Europa ao final do campeonato, já que o técnico mudou e há novas caras no time. Os torcedores, pelo menos, estão confiantes quanto a isso. Até o momento, mais de 20 mil ingressos foram vendidos para a temporada.

Real Sociedad

Na temporada passada, a Real Sociedad começou a campanha com David Moyes no comando técnico da equipe. Porém, o escocês deixou o cargo e Eusebio Sacristán assumiu para garantir o nono lugar na tabela de classificação. Seu primeiro teste no time, contra o Sevilla, foi convicente e carimbou sua permanência e fez a diretoria erreala confiar nele. Mas a Real Sociedad não passou de uma equipe mediana em 2015/16. E em 2016/17 provavelmente não será muito diferente. A esperança de uma vaga na Liga Europa ou, até, Champions League, fica na conta do jovem Mikel Oyarzabal, que é visto como uma estrela em ascensão, e dos reforços: Willian José, Juanmi e Toño Ramírez.

Supporters cheer Real Sociedad at the end of the match against Barcelona during their Spanish La Liga soccer match at Anoeta stadium in San Sebastian, northern Spain, Saturday Sept. 10, 2011. Barcelona and Real Sociedad tied 2-2. (AP Photo/Alvaro Barrientos)

SALVE-SE QUEM PUDER
Las Palmas

Para o Las Palmas, a temporada passada não foi das piores. Tudo bem que terminaram o campeonato na 11ª posição. Porém, para os amarillos, foi um grande feito, levando em consideração que foi o melhor resultado da equipe desde 1979 e que eles não conseguiam ir para a primeira divisão desde 2002. Aliás, só conseguiram retornar à elite, ano passado, por conta dos playoffs da antiga Liga Adelante, agora La Liga 2. Os jogadores treinados por Quinte Setién, que continua no comando por mais uma temporada, que mais se destacaram foram o zagueiro Pedro Bigas, o meia Vicente Gómez e o meia-atacante Momo. Quanto às novas contratações, destaque para o atacante Kevin-Prince Boateng indo de graça do Milan para o Las Palmas e o lateral direito Michel Macedo, que estava no Almería.

Leganés

De passagem pela elite espanhola pela primeira vez em quase 90 anos de história, o Leganés do técnico Asier Garitano não chega em La Liga para brigar pelo título, tampouco para conseguir uma vaga na Champions ou Liga Europa. Se acontecer, será uma imensa zebra. O desafio do segundo colocado da segunda divisão em 2015/16 será se firmar entre os 17 primeiros colocados no campeonato. E os pepineros resolveram apostar em jogadores jovens, que têm bastante energia para gastar, para não deixar escapar a chance de estar entre Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid e etc. Gabriel, que era da Juventus, e Adrián Marín, do Villarreal, são dois dos que chegam ao Leganés para esta temporada.

Deportivo La Coruña

O La Coruña começa a temporada com um novo técnico, Gaizka Garitano, depois da catastrófica 15ª colocação e das humilhantes derrotas, incluindo a goleada por 8 a 0 aplicada pelo Barcelona, em pleno Riazor, na temporada passada. No entanto, o desafio continua sendo o mesmo de sempre: se manter em La Liga. Quer dizer, sempre, sempre, não. Os herculinos foram campeões espanhois em 1999/00 pela primeira e única vez. Época, inclusive, que Djalminha e Mauro Silva atuavam no clube da Galícia. Para esta campanha, o La Coruña contratou por empréstimo Marlos Moreno, cedido pelo City após o colombiano ter sido campeão e feito uma Libertadores excepcional pelo Atlético Nacional. Além dele, chegam ao clube o atacante da Romênia Florin Andone e o meia ofensivo Carles Gil, vindo do Aston Villa.

Alavés

O Alavés volta à primeira divisão após dez anos e com o status de campeão da antiga Liga Adelante. Mas isso não significa muita coisa. Afinal, será mais um time que brigará para despencar para a segunda divisão, já que a campanha passada passou longe de ser expressiva. Como treinador, Mauricio Pellegrino, que já foi assistente técnico no Liverpool e na Internazionale, tenta fazer o que pode com os albiazules e com os reforços que chegaram ao clube. No ataque, Gaizka Toquero, o artilheiro de apenas nove gols na temporada que passou, continuará sendo a esperança para que o time consiga abrir e ampliar o marcador. Ruben Sobrino (emprestado pelo Manchester City) é um dos que chegam para reforçar o time. Além dele, Marcos Llorente, outro que já passou pelo Real Madrid, também jogará com a camisa do Alavés.

Spain Soccer La Liga

Sporting de Gijón

Abelardo Fernández fará sua terceira temporada como técnico do Sporting de Gijón. Em 2015/16, o time rojiblancos escapou por muito pouco do rebaixamento, tendo terminado La Liga em 17º lugar. Apenas um ponto separava o Rayo Vallecano do Gijón no fim do campeonato. Sem novidades para esta temporada. A realidade do time das Astúrias não será distinta da temporada passada. Vai lutar para não voltar para a segunda divisão, da qual saiu não saiu campeão por dois pontos.

Eibar

O pequeno Eibar já vai para sua terceira temporada na elite do futebol espanhol. Apesar da 14ª posição na tabela em 2015/16, os armeros têm se segurado bem em La Liga. E a campanha de agora não será diferente das outras. Não há outro objetivo para a equipe basca além de sobreviver. Ander Capa, ala e lateral direito do time, teve um grande impacto no trabalho de permanência na primeira divisão comandado por José Luis Mendilibar. Além dele, a dupla de volantes Dani García e Gonzalo Escalante são a chave para que o Eibar tenha funcionado tanto ofensiva, quanto defensivamente. E é com estes e com reforços (o zagueiro Florian Lejeune, o atacante Bebé e o meia Pedro León) que Mendilibar contará em 2016/17.

Granada

Após fazer um trabalho muito interessante com o Rayo Vallecano, ainda que não tenha sido o suficiente para que o time escapasse da degola, Paco Jéme chega ao Granada para substituir José González, e, quem sabe, continuar ousando ofensivamente com as equipes que treina. A campanha graná de 2015/16 rendeu a péssima 16ª colocação na tabela e um saldo de gols vergonhoso (muito por conta das goleadas sofridas para os três grandes times do campeonato). O clube contratou, por empréstimo cedido pelo Chelsea, o meia-atacante Jérémie Boga, que tem só 19 anos de idade e chega ao Granada mais para se desenvolver pessoalmente do que para ajudar a equipe a voar alto.

Spain Soccer La Liga

Espanyol

Quique Flores dará uma nova cara aos catalães do Espanyol depois de uma 13ª colocação em La Liga passada. Com o novo treinador e novas contratações, o time definitivamente pode fazer mais do que tentar escapar do rebaixamento. O atacante Felipe Caicedo continua sendo a principal fonte de objetivos do time, mas a chegada dos meias José Reyes e José Jurado, do experiente zagueiro Martín Demichelis e do goleiro Roberto Jímenez ajudam a fortalecer as metas do técnico, que também tem muito a acrescentar com sua bagagem. A grande baixa talvez seja a saída do meia-atacante Marco Asensio para se juntar ao elenco do Real Madrid. Perda importante, mas que não influenciará negativamente nos resultados de 2016/17 em função das novas caras.

Betis

O Real Betis é um dos mais clubes mais antigos da Espanha, apesar de só ter conseguido vencer o campeonato uma vez, lá em 1935. Contudo, os béticos não fazem valer a tradição e, ultimamente, não batem mais de frente com o rival, o Sevilla. E é isso que eles almejam. Retomar o equilíbrio da rivalidade e, quem sabe, poder atingir uma vaga em competição continental. Com base no retrospecto na temporada passada (10º lugar na tabela depois de ter voltado da segunda divisão), é possível, sim, que a torcida sonhe com mais do que o meio que inclina para o fim da tabela. Tanto pelos bons nomes que compõem a equipe (o jovem Charly Musonda é o maior exemplo) quanto pela contratação do técnico uruguaio Gustavo Poyet, que trabalhou no AEK antes de pousar na Espanha.

Osasuna

O Osasuna volta à elite após duas temporadas na segunda divisão e depois de dois confrontos eletrizantes contra o Girona pelos playoffs da Liga Adelante. Enrique Martín Monreal comanda um elenco que também não disputará taça, nem acesso europeu. Com a venda de Mikel Merino para o Borussia Dortmund, considerado joia da casa, os rojillos de Navarra perderam uma importante peça para este recomeço em La Liga. Oriol Riera, do cedido pelo La Coruñae Juan Fuentes, ex-Espanyol são algumas das novidades em La Rosaleda.

Chamada Trivela FC 640X63