Times: Malmö (SUE), Metalist Kharkiv (UCR), Austria Viena (AUT) e AZ (HOL)
Craques: Jozt Altidores (M, AZ), Cleiton Xavier (M, Metalist), Daniel Andersson (D, Malmö) e Roland Linz (A, Austria Viena)
O confronto: Metalist x AZ Alkmaar – Os ucranianos não são bem vistos pelo AZ. Pelo Grupo E da última Liga Europa, o clube sofreu duas derrotas para o Dynamo Kiev e acabou eliminado. Da mesma forma, o Metalist não se favoreceu quando enfrentou o PSV pelo Grupo I. Depois de perder em casa, os ucranianos não saíram do empate em Eindhoven, mas ao menos alcançaram a segunda colocação da chave.
Definição do grupo: Esse ficou fácil

Em um grupo com várias forças medianas, o AZ é quem primeiro aparece como candidato à classificação. O quarto colocado na Eredivisie 2010/11 oscilou um pouco nas eliminatórias da Liga Europa, mas conseguiu carimbar a vaga. Pela segunda temporada seguida, o técnico é Gertjan Verbeek, que possui um elenco de recursos nas mãos. Romero e Sigthórsson foram negociados, mas Esteban Alvarado e Altidore têm suprido as ausências. Além disso, o meia Elm começou a temporada em alta, assim como o reforço norte-americano Jozy Altidore. O bom início no Campeonato Holandês também serve para empurrar o AZ um pouco mais adiante no terreno europeu – longe ainda, porém, de repetir 1981, quando o clube chegou à final da Copa da Uefa.

Em questão de nível de jogadores, o Metalist é o único a afrontar o AZ na chave. Ainda a camisa não pese tanto quanto a de outros compatriotas, como Dynamo e Shakhtar, o clube vem, ano a ano, reafirmando o seu potencial. Afinal, esta é a sexta participação dos ucranianos na Copa da Uefa/Liga Europa – a quinta consecutiva. Apesar de abusar um pouco dos empates, o time permanece invicto na atual temporada. São onze partidas, seis delas seladas com vitória. Nas qualificações do continental, por exemplo, a prova da força veio com a goleada por 4 a 0 sobre o Sochaux, mesmo jogando na França. Entre os bons valores do elenco estão vários sul-americanos, como Taison, Cleiton Xavier, Jonathan Cristaldo e os recém-contratados Marco Torsiglieri, José Ernesto Sosa e Juan Manuel Torres.

O Malmö, apesar de ostentar o título sueco, não vem bem nesta temporada. O clube não fez feio nas prévias da Champions, deixando para trás o Rangers. No nacional, entretanto, os Azuis estão apenas em oitavo. Entre as explicações para a queda está a saída do técnico Roland Nilsson, levado pelo Kobenhavn. Em um grupo sem tantas estrelas, o figurão é o zagueiro Daniel Andersson, que esteve em duas Copas do Mundo. Já o Austria Viena foi apenas o terceiro no Austríaco, mas computa a louvável marca de dez participações seguidas na Liga Europa. Tendo o mérito de ter eliminado o Gaz Metan, os Violetas contam com o talento de Ronald Linz, Zlatko Junuzovic e, principalmente, de Nacer Barazite, que já foi às redes oito vezes apenas nas preliminares no torneio continental.