Times: Red Bull Salzburg (AUT), Slovan Bratislava (SVK), Paris Saint-Germain (FRA) e Athletic Bilbao (ESP)
Craques: Javier Pastore (M, PSG), Javi Martínez (M, Athletic de Bilbao), Petri Pasanen (D, Salzburg), Filip Sebo (A, Slovan Bratislava)
O confronto: Paris Saint-Germain x Athletic Bilbao – Apesar de nunca terem se enfrentado em torneios oficiais, os dois clubes têm uma ligação forte graças ao técnico Luis Fernández, um nome querido tanto em Bilbao quanto em Paris. O ex-jogador dos Bleus comandou o PSG no período mais vitorioso de sua história, durante a década de 1990. Na sequência, ele se mudou para o País Basco, onde levou o Athletic ao vice da Liga 97/98, a última grande campanha dos Leões no Campeonato Espanhol.
Definição do grupo: Esse ficou fácil

O favoritismo do Paris Saint-Germain não fica contido apenas ao Grupo F. Bancado pelos petrodólares do Qatar, o clube também possui um dos elencos mais caros da competição, turbinado por Pastore, Lugano, Menéz e outros galácticos, que totalizaram mais de 85 milhões de euros gastos na pré-temporada. Depois de um início ruim na Ligue 1, o PSG já alcançou quatro êxitos seguidos. O próximo passo agora é estender a boa fase para o resto da Europa. A equipe sonha em repetir os desempenhos de meados dos anos 90, quando levou a Taça das Taças e chegou às semifinais da Champions. Ainda que o Differdange não fosse o maior dos desafios na largada da atual Liga Europa, as duas vitórias obtidas já mostram a que vieram os franceses.

Maior candidato a atrapalhar o PSG, o Athletic Bilbao volta ao torneio após um ano de ausência. O time basco, aliás, conseguiu seu lugar na fase de grupos da forma mais fácil possível: com a eliminação do Fenerbahçe na Champions, o Trabzonspor foi escolhido o substituto e, sem adversários, o Athletic conseguiu a vaga automaticamente. O elenco, que já tinha Martínez, Llorente e Muniain, ainda ganhou o reforço de Ander Herrera. O meia, no entanto, se machucou e só deve voltar ao time no mês que vem. Dessa forma, a grande novidade está no banco de reservas, onde Marcelo Bielsa tenta aplicar as suas teorias – nos primeiros testes na Liga, de forma ainda não tão eficaz.

Mais atrás, o Red Bull Salzburg ainda não conseguiu a campanha impactante que sempre pretendeu no cenário continental. Na temporada passada, o clube sequer venceu na fase de grupos da Liga Europa. Evitando um novo papelão, os austríacos terão que se virar sem o brasileiro Alan, autor de 11 gols em 11 jogos nesta temporada, que rompeu os ligamentos do joelho e não foi inscrito. Já o Slovan Bratislava, mais que atual campeão eslovaco, é o time responsável pela eliminação da Roma – mesmo com os italianos dominando as duas partidas. A equipe, treinada por Vladimir Weiss, técnico da Eslováquia na Copa de 2010, tem como grande astro o atacante Filip Sebo, artilheiro do último campeonato local.