Times: PSV Eindhoven (HOL), Legia Varsóvia (POL), Hapoel Tel-Aviv (ISR) e Rapid Bucareste (ROM)
Craques: Ola Toivonen (A, PSV), Miroslav Radovic (M, Legia), Apoula Edel (G, Hapoel), Ovidiu Herea (M, Rapid)
O confronto: PSV x Legia Varsóvia – Os holandeses não trazem boas lembranças ao Legia Varsóvia. Afinal, foi o Feyenoord quem brecou a melhor campanha dos poloneses na história da Copa dos Campeões, em 1970. O Legia, que eliminara Saint-Étienne e Galatasaray, acabou parando ante o clube de Roterdã nas semifinais da competição.
Definição do grupo: Exército de um time só

Em um grupo sem tantas equipes tradicionais, o PSV é o grande favorito à classificação, ainda que o histórico recente esteja longe de lembrar as conquistas do clube no passado. Na última temporada, os Boeren chegaram até as quartas de final, quando foram goleados pelo Benfica e deram adeus à disputa. Desta vez, após o terceiro lugar na Eredivisie, o clube passou sem maiores dificuldades pelo Ried, emplacando goleada por 5 a 0 no Philips Stadion após ficar no 0 a 0 durante o jogo de ida. Para ajudar, os holandeses se mexeram bem durante a pré-temporada, trazendo jogadores jovens e de qualidade, como Wijnaldum e Mertens, artilheiro do Campeonato Holandês com sete gols em cinco jogos.

Disputando o rótulo de segunda força da chave está o Legia Varsóvia, time polonês com mais participações em torneios da Uefa. Terceiro colocado no último campeonato nacional, o clube vem embalado por resultados interessantes na fase de classificação, quando deixou para trás Gaziantepspor e Spartak Moscou. O elenco possui oito jogadores da seleção local, entre eles o veterano Michal Zewlakow. O destaque até aqui, entretanto, é o meia Miroslav Radovic, autor de três gols em três partidas pela Liga Europa.

Um pouco mais abaixo vem o Hapoel Tel-Aviv. Vice-campeão israelense, o time perdeu o ótimo goleiro Vincent Enyeama (substituído pelo camaronês Edel, ex-PSG), além do meia Eran Zahavi e do atacante Itay Shechter. Sem as suas principais referências em campo, a equipe passou por maus bocados nas fases eliminatórias, quando perdeu para os inexpressivos Vaduz e Ekranas Panevezys e ainda assim alcançou a classificação. O Rapid Bucareste, por sua vez, aposta em uma base já consolidada, o que vem dando certo nestes primeiros meses de temporada – o time é o vice-líder do Campeonato Romeno. Contando com uma defesa bem estruturada, os Feroviarii passaram fácil pelo Slask Wroclaw antes de chegar à fase de grupos.