Por que acompanhar o grupo

Há algumas atrações interessantes, além do Palmeiras. O Guaraní não tem um time tão técnico, mas se mostrou um feroz competidor nas fases preliminares. Mesmo sem tanta badalação, os outros dois integrantes do grupo gostam de jogar para a frente, como fez o Tigre desde a chegada de Néstor Gorosito e como indica o passado de Claudio Vivas, comandante do Bolívar, como auxiliar de Marcelo Bielsa. O time de Vanderlei Luxemburgo é claro favorito, mas pode tropeçar aqui ou ali enquanto ainda busca sua identidade.

Ambição na Libertadores

Palmeiras

Desde que retomou o protagonismo doméstico, o Palmeiras tenta fazer o mesmo no continente. Até agora, sem sorte. Teve uma eliminação na fase de grupos, outra nas oitavas de final, mais uma nas quartas. A melhor campanha foi em 2018, quando chegou às semifinais com Luiz Felipe Scolari, mas em poucos momentos pareceu que venceria o Boca Juniors. Com uma mudança de perfil nas contratações, agora mais cirúrgicas, o campeão de 1999 terá outro treinador com passado de sucesso no banco de reservas e espera que Vanderlei Luxemburgo brigue pelo título da Libertadores.

Guaraní

O Guaraní tornou-se participante frequente na Libertadores, entrando em sua sexta edição nas últimas sete temporadas. Parou três vezes nas fases preliminares e uma nas oitavas de final. Em outra, eliminou o Corinthians e o Racing antes de ser derrotado pelo River Plate nas semis. A atual campanha, após um ano ausente, já derrubou novamente o Corinthians e o Palestino do Chile. Pela fragilidade do grupo, pode sonhar em chegar ao mata-mata mais uma vez.

Bolívar

Não tem feito grande coisa na Libertadores desde que chegou às semifinais em 2014, igualando sua melhor campanha (1986). Parou duas vezes na fase de grupos e outra na preliminar. A altitude de La Paz pode ajudar a roubar alguns pontinhos e, em uma chave que está longe de ser das mais difíceis, talvez o coloque na briga.

Tigre

Está acostumado a chegar à Libertadores por caminhos pouco convencionais. Em 2013, fez a sua estreia devido à campanha na Copa Sul-Americana do ano anterior. Desta vez, conseguiu a proeza de conquistar a vaga por meio da Copa da Superliga Argentina na mesma temporada em que foi rebaixado por causa do promédio, o que levou a Conmebol a tentar, sem sucesso, mudar suas regras para barrá-lo. A reta final da Superliga foi muito boa, mas não está lá grande coisa na segunda divisão, o que o torna uma certa incógnita.

Como foram os últimos meses

Palmeiras

Ganhou a maioria dos jogos que deveria ganhar no Campeonato Paulista, perdeu feio do Red Bull Bragantino, colega de primeira divisão, e empatou os clássicos contra o São Paulo e o Santos em 0 a 0. O mais importante tem sido a presença de jovens das categorias de base e uma tentativa, ainda muito incipiente, de adotar um estilo mais ofensivo.

Guaraní

Guaraní passou pelo Corinthians na segunda fase da Libertadores

Ano passado não foi ótimo para o Guaraní, classificado pela tabela agregada do Clausura e do Apertura, em que ficou atrás de Olimpia, campeão dos dois turnos, Libertad e Cerro Porteño. Mas 2020 começou melhor. São quatro vitórias e um empate em seis rodadas da liga nacional, e a única derrota foi na verdade um 4 a 2 sobre o Olimpia, em que o time perdeu os pontos por extrapolar o número de estrangeiros, erro admitido pelo treinador Gustavo Costas. Está em quarto lugar e pode igualar o líder quando chegar aos mesmos sete jogos. Fez 5 a 0 no agregado contra o San José, passou por um duelo difícil contra o Corinthians na segunda fase e despachou o Palestino com duas vitórias.

Bolívar

A vaga veio por meio do título do Apertura, no primeiro semestre do ano passado. O Bolívar se manteve bem no Clausura, mas ficou quatro pontos atrás do campeão Jorge Wilstermann. Apesar de o torneio ter terminado em 28 de dezembro, devido a uma crise política que levou o caos às ruas do país, o novo Apertura começou em 22 de janeiro e já está em sua décima rodada. E o Bolívar lidera com seis vitórias, um empate e três derrotas, três pontos a mais que o Blooming, que tem um jogo a menos.

Tigre

Ruinzinhos. Não emenda duas vitórias seguidas desde agosto. Tem quatro triunfos e cinco derrotas nas últimas nove rodadas da segunda divisão, na qual ocupa o quinto lugar do Grupo B, a um ponto da zona dos playoffs da promoção.

Destaques individuais

Palmeiras

Dudu, do Palmeiras

Tudo no Palmeiras passa por Dudu. Quando as coisas estão dando errado, ele chama a responsabilidade para resolver. Quando estão dando certo, ele se destaca. Atuando pela esquerda, pela direita ou pelo meio, tem sido o jogador mais regular e decisivo do Palmeiras desde que chegou, em 2015. Uma das missões de Luxemburgo tem que ser justamente tornar o ataque alviverde mais multidimensional, sem depender tanto do atacante.

Guaraní

Remanescente da campanha de 2015, Fernando Fernández, antes reserva, agora é a referência do ataque do Guaraní, depois de voltar do México. Fez oito gols no Clausura do ano passado e já começou 2020 com mais quatro, dois contra o Esportivo e outros dois contra o Olimpia, aquele jogo em que o seu time perdeu os pontos por extrapolar o limite de estrangeiros.

Bolívar

Arce defendeu o Sport e o Corinthians no futebol brasileiro e passou até pela Rússia antes retornar à Bolívia para jogar no Oriente Pertolero. Em 2012, foi ao Bolívar e está lá desde então, atuando com regularidade e fazendo seus golzinhos. Está perto de 100 pelo Campeonato Boliviano.

Tigre

Dois caras estão no Tigre desde sempre, ambos com três passagens e 38 anos. Martín Galmarini, formado pelo clube, soma mais partidas no geral, mas Carlos Luna tem atuado um pouco mais, ainda entrando em quase todos os jogos, mesmo durante poucos minutos, e contribuindo com quatro gols, vice artilheiro do time na segunda divisão.

Señor Libertadores

Palmeiras

Nem sempre colocado entre os principais jogadores do Palmeiras, Willian quase sempre entrega. E tem experiência em Libertadores. Participou da campanha campeã do Corinthians em 2012, de outras duas pelo Cruzeiro e das últimas três com a camisa verde e branca. São 46 jogos no total, 30 desde o início.

Guaraní

A maior fonte de experiência é o goleiro uruguaio Jorge Bava, com nove participações na Libertadores – embora em três tenha jogado apenas uma vez – por Nacional, Libertad e Atlas Guadalajara, com o qual chegou às quartas de final. Foi contratado pelo Guaraní ano passado.

Bolívar

Quem tem mais experiência em Libertadores é Arce, mas, como ele também é o principal jogador do time, vale a menção a Fidencio Oviedo, meia de 32 anos, contratado do Deportivo Santaní com bagagem de Libertadores por Cerro Porteño, Libertad e Guarani.

Tigre

O volante Jorge Ortiz, 35 anos, tem uma longa carreira. Jogou a Libertadores em 2005 e 2008 pelo San Lorenzo, antes de brincar na Europa com a camisa do AIK, da Suécia. Voltou ao Arsenal de Sarandí, pelo qual participou outras duas vezes da competição sul-americana. Em 2014, contribuiu para a chegada do Lanús às quartas de final.

Novos reforços

Palmeiras

O perfil mudou. Os reforços no atacado de Alexandre Mattos deram lugar a contratações pontuais. Chegaram o lateral esquerdo Matías Viña, do Nacional, e o ponta Rony, do Athletico Paranaense. As principais novidades têm vindo das categorias de base, como Gabriel Menino e Gabriel Veron.

Guaraní

O principal reforço foi Raúl Bobadilla, atacante que passou bastante tempo na Alemanha vestindo as camisas de Borussia Monchengladbach e Augsburg. Estava ano passado no Argentino Juniors e já fez quatro gols em cinco jogos no Clausura. Outro nome interessante foi Nicolás Maná, que estava no Defensa y Justicia. Chegou também Rodrigo Fernández, pivô de uma trapalhada daquelas da diretoria do Guaraní. Na hora de fazer a inscrição na fase preliminar, seu nome foi trocado por Roberto Fernández, que estava com a seleção paraguaia sub-23 no Pré-Olímpico.

Bolívar

Oviedo foi um reforço experiente, trazido do Deportivo Santaní, mas o Bolívar também apostou em juventude. Foi às compras na seleção boliviana sub-23, da qual buscou o atacante Victor Abrego e o defensor Roberto Fernández, além de Jairo Quinteros, emprestado pelo Inter Miami, da Major League Soccer. Velho conhecido do torcedor santista, Emiliano Vecchio também chegou.

Tigre

Trouxe de volta Juan Cavallaro, que havia saído para o Unión de Santa Fé, após o rebaixamento, e arrebatou também o canhoto Facundo Melivillo, participante da campanha que levou o Central Córdoba à decisão da Copa da Argentina. O nome mais famoso é de Marcelo Larrondo, atacante com passagens por Torino, Rosario Central, River Plate e Defesa y Justicia. Estava no Unión La Calera, do Chile.

O técnico

Palmeiras

Quem diria que o Palmeiras iria de Mano Menezes para Jorge Sampaoli, com quem não conseguiu fechar, para Vanderlei Luxemburgo. Teoricamente, Luxa mantém o desejo por um futebol mais ofensivo, marca dos melhores momentos da sua carreira, mas faz tanto tempo que não consegue colocar em prática que precisa provar que pode voltar a ser um treinador de primeira linha.

Guaraní

Peregrino da bola, o argentino Gustavo Costas, 57 anos, foi campeão nacional em quatro países sul-americanos. Levantou taças pelo Alianza Lima, Cerro Porteño, Barcelona de Guayaquil e Independiente Santa Fé. Teve passagens por Arábia Saudita e México e desembarcou no Guaraní ano passado. Como jogador, defendeu o Racing, o qual treinou duas vezes, sem o mesmo sucesso que encontrou em outros países.

Bolívar

Marcelo Bielsa com Claudio Vivas no Athletic

Discípulo e auxiliar fiel de Marcelo Bielsa, Claudio Vivas ainda não teve muito destaque como treinador principal. Pelo Banfield, em 2015, conseguiu classificação à Copa Sul-Americana por meio da Liguilla, mas foi demitido pouco depois após uma sequência de maus resultados. Passou pelo Sporting Cristal antes de assumir o Bolívar no lugar de César Vigevani para esta temporada.

Tigre

Néstor Gorosito assumiu o Tigre em fevereiro e comandou uma grande recuperação, que quase salvou o clube do rebaixamento no promédio da Superliga Argentina. Teve 11 vitórias, três empates e duas derrotas. Depois, conquistou o primeiro título do clube em uma competição de alto nível, na Copa da Superliga. Ainda mais importante, ficou para disputar a segunda divisão e tentar o acesso. Essa missão ainda está difícil no momento.