Arsenal
Arsenal

Borussia Dortmund

Galatasaray

Anderlecht
O cenário esperado

Arsenal e Borussia Dortmund são os grandes favoritos a ficarem com as vagas para as oitavas de final, e as circunstâncias atuais acabam colocando os ingleses um passo à frente para ficar na liderança da chave. Os dois estreiam jogando entre si, no Signal Iduna Park, o que poderia conferir o favoritismo ao Dortmund nesta primeira “final” do grupo. Mas a lesão de Reus na parada internacional, além dos desfalques de Nuri Sahin, Gundogan, Hummels e Blaszcskykowski, dificulta a vida de Jürgen Klopp. O Anderlecht, da Bélgica, deverá ser o adversário do qual todos os times precisam tirar pontos, enquanto o Galatasaray deverá ficar com o terceiro lugar e a vaga na Liga Europa.

O cenário possível

Aproveitando o fato de que o Borussia Dortmund inicia com alguns desfalques importantes e contra um adversário forte como o Arsenal, o Galatasaray, que estreia contra Anderlecht, na Turquia, pode largar na frente e segurar uma classificação difícil, mas não impossível, às oitavas de final. O elenco é qualificado, e se Cesare Prandelli conseguir encaixar seu trabalho rapidamente, pode dar trabalho para ingleses e alemães na fase de grupos. Além disso, uma combinação de resultados não tão impensável poderia colocar os turcos na próxima fase. Dos confrontos contra o Dortmund, o Galatasaray joga o primeiro em casa, circunstância favorável neste grupo. Além disso, o Gala e o Arsenal se enfrentam na última rodada. Caso as coisas cheguem indefinidas neste momento, os Gunners, possivelmente mais confortáveis na tabela, podem não fazer tanta força para vencer os turcos, que seriam um possível adversário mais fraco, na teoria, para se enfrentar em um eventual confronto de mata-mata.

Jogador-chave
Marco Reus, do Borussia Dortmund (AP Photo/Kerstin Joensson)
Marco Reus, do Borussia Dortmund (AP Photo/Kerstin Joensson)

Marco Reus

O Borussia Dortmund começa sua campanha na Liga dos Campeões desfalcado justamente do jogador que mais faz a diferença em seu elenco atual. Na temporada passada, ainda contando com Lewandowski, já era possível notar a diferença no time sem o camisa 11. O momento em que isso ficou mais evidente foi após a lesão curta que teve em março. Após voltar, alavancou o nível do time a outro patamar para a reta final da Bundesliga. Na competição, aliás, Reus fez 16 gols e deu assistência para outros 14, em 30 jogos disputados. Teve, portanto, média de uma participação em gol por partida e  esteve envolvido diretamente em 37,5% dos gols marcados pelo Dortmund no campeonato. Os números são ótimas, mas quem vê o atleta sabe que sua contribuição não se limita apenas a eles. Seu estilo de jogo vertical, de bom passe e ainda melhor criação de jogadas através da individualidade, deixa o Dortmund muito mais contundente que sem ele.

Fique de olho
Türk Telekom Arena, em Instambul, estádio do Galatasaray
Türk Telekom Arena, em Instambul, estádio do Galatasaray

Galatasaray em casa

A torcida do Galatasaray tem um ritual conhecido como “bem-vindos ao inferno”. O nome faz jus ao ambiente com o qual os torcedores recebem seus adversários, desde a chegada dos times estrangeiros ao aeroporto até ao clima arrebatador que criam nas arquibandas da Türk Telekom Arena. Como equipe, o Gala é mais fraco que Arsenal e Dortmund, na teoria, mas conta com sua torcida e sua força em casa como fatores para diminuir essa diferença. O desempenho lá é bom: 13 vitórias em 17 jogos no último Turcão. Além disso, abre a campanha como anfitrião, contra o Anderlecht, faz o primeiro jogo com o Dortmund também em Istambul e termina a fase de grupos em casa. As circunstâncias de mando de campo foram solidárias com os turcos na hora da definição da tabela.

O brasileiro
Felipe Melo, volante do Galatasaray (AP Photo)
Felipe Melo, volante do Galatasaray (AP Photo)

Felipe Melo

Embora sua imagem entre o torcedor aqui no Brasil ainda esteja manchada quatro anos após a eliminação para a Holanda na Copa da África do Sul, Felipe Melo se consolidou como um dos jogadores mais importantes e frequentes no time titular do Galatasaray. Lá seu papel segue sendo de cão de guarda à frente da defesa. Seu jeito exaltado às vezes acaba por deixar o time na mão, com alguma expulsão, que não é rara para ele. No entanto, esse espírito brigador casa bem com a paixão do torcedor turco, e o brasileiro é idolatrado pela massa do Gala. Na Turquia, Felipe Melo desenvolveu-se também ofensivamente, aparecendo com alguma frequência lá na frente para auxiliar nos ataques, e como um líder, um porta-voz do time dentro das quatro linhas.

A contratação
Welbeck foi apresentado pelo Arsenal
Welbeck foi apresentado pelo Arsenal

Danny Welbeck, pelo Arsenal

Danny Welbeck não é nenhum craque, mas foi o nome que o Arsenal conseguiu encontrar no fim da janela para preencher o lugar de Olivier Giroud, que se contundiu e ficará três meses sem poder atuar. Embora tenha sido alvo de muitas críticas em seu tempo no Manchester United, existe a aposta de que Welbeck possa, de alguma maneira, repetir a história de Daniel Sturridge, que fracassou em Manchester City e Chelsea, mas encontrou um futebol de alto nível ao se transferir para o Liverpool. Tempo para isso o novo Gunner tem, afinal ainda está com 23 anos. Alguns ex-jogadores do United, como Gary Neville, Beckham e Ferdinand, criticaram a venda do atacante, acreditando que ele ainda não tenha atingido seu potencial, que seria bastante alto. No início de sua trajetória no Arsenal, Welbeck deverá ter oportunidade para provar isso. Os dois gols na vitória da Inglaterra contra a Suíça, pelas Eliminatórias da Euro, pouco após vestir a camisa do time londrino pela primeira vez, empolgou o torcedor gunner.

Veja outros grupos do guia da Champions League