Atlético de Madrid
Atlético de Madrid

Juventus
Juventus

Olympiacos
Olympiacos

Malmö
Malmö
O cenário esperado

Atlético de Madrid, vice-campeão da última edição da Champions League e atual campeão espanhol, é o cabeça de chave e favorito do grupo. O time do técnico Diego Simeone perdeu muitos jogadores importantes, mas conseguiu repor até deixando o elenco mais forte. O seu grande adversário deve ser a Juventus. A campeã italiana, agora comandada por Massimiliano Allegri, tenta chegar ao mata-mata, como não conseguiu na última temporada. Os confrontos entre os dois devem definir a liderança do grupo. O time não perdeu nenhum jogador importante e contratou no mercado interno para fortalecer o elenco. O Olympiacos é a terceira força do grupo e jogar na Grécia deve trazer alguma dificuldade e é quem deve ficar com a vaga na Liga Europa. Já o Malmö é o time que ninguém pode perder pontos.

O cenário possível

Na temporada passada, a Juventus tropeçou contra o Kobenhavn ao empatar e viu a sua classificação ficar ameaçada. Na última rodada, perdeu para o Galatasaray e ficou fora. O Olympiacos, que costuma engrossar o caldo ao menos jogando em casa, pode fazer esse papel de complicar a vida de um dos favoritos, especialmente a Juventus. Assim, ficaria com a segunda vaga do grupo e jogaria o time italiano para a Liga Europa. O Malmö, bem, esse deve ser último de qualquer jeito.

Jogador-chave
Tevez comemora em Turim: essencial, como sempre (AP Photo/ Massimo Pinca)
Tevez comemora em Turim: essencial, como sempre (AP Photo/ Massimo Pinca)

Carlos Tevez

O atacante é o principal jogador da Juventus e é quem tem a maior capacidade de decidir as partidas pelo time de Turim. O seu desempenho deve ser determinante na campanha da Juve, que tem ambição de chegar longe no mata-mata. Na temporada passada, foi artilheiro do Campeonato Italiano com 19 gols em 34 jogos, além de oito assistências. No total, foram 48 jogos e 21 gols. Só que Carlitos não marcou na Champions League. Neste ano, será importante que ele marque e carregue a Juventus a um patamar mais alto na Europa. Com ele em grande forma, a Juventus é um time forte para dificultar até para os grandes times europeus, embora esteja em um patamar inferior aos favoritos.

Fique de olho
Malmö, finalista da Copa dos Campeões de 1979
Malmö, finalista da Copa dos Campeões de 1979

Malmö finalista

É a primeira vez que o Malmö irá jogar a fase de grupos da Champions League, mas a história do time na principal competição europeia tem uma final. Em 1978/79, quando ainda era Copa dos Campeões, o time caminhou até a final da competição. Na primeira fase, bateu o campeão francês, o Monaco, com empate por 0 a 0 fora e vitória por 1 a 0 em casa. Na segunda fase, enfrentou o forte time do Dynamo Kiev, na época ainda da União Soviética, e novamente empatou por 0 a 0 fora de casa e venceu em casa, desta vez por 2 a 0. Nas quartas, bateu o Wisla Krakov, da Polônia. Perdeu por 2 a 1 fora, mas goleou por 4 a 1 em casa. Na semifinal, bateu o Austria Viena, empatando fora por 0 a 0 e vencendo em casa por 1 a 0. Na final, disputada em Munique, o time sueco perdeu para o Nottiingham Forest por 1 a 0 e foi vice-campeão. Como os ingleses se recusaram a jogar o Mundial de Clubes, em uma época que os europeus não queriam mais vir jogar na América do Sul, o Malmö foi o representante na chamada Copa Intercontinental contra o Olimpia. No primeiro jogo, em Malmö, o time da casa perdeu por 1 a 0. Na volta, em Assunção, nova vitória paraguaia por 2 a 1 e o título garantido.

O brasileiro

Miranda

Miranda é um dos jogadores-chave do Atlético de Madrid de Simeone (AP Photo/Daniel Ochoa de Olza)
Miranda é um dos jogadores-chave do Atlético de Madrid de Simeone (AP Photo/Daniel Ochoa de Olza)

O melhor zagueiro na Europa em 2014/15, campeão espanhol, vice-campeão da Champions League. Miranda se tornou essencial na forte defesa do Atlético de Madrid armada por Simeone. O brasileiro teve atuações de altíssimo nível, foi especulado por muitos clubes – incluindo o Barcelona, que tanto precisa de zagueiros – e acabou ficando nos Colchoneros. Forte no jogo aéreo, tem ótimo posicionamento e é muito calmo. Características que ajudam o time a conseguir ter uma defesa tão elogiada por sua solidez. O mérito da defesa é de todo o sistema defensivo, que inclui até os atacantes, mas Miranda dá muita qualidade na última linha de marcação. Ficou fora da seleção brasileira que foi à Copa do Mundo, mas, aos 29 anos, esteve na primeira convocação de Dunga logo depois do Mundial. E tem potencial para ficar lá por alguns anos.

A contratação
Mitroglou voltou ao Olympiacos para tentar repetir o sucesso (Foto: divulgação)
Mitroglou voltou ao Olympiacos para tentar repetir o sucesso (Foto: divulgação)

Konstantinos Mitroglou, pelo Olympiacos

Ídolo do clube grego na temporada passada, quando ajudou o time a passar pela fase de grupos da Champions League, o atacante foi para o Fulham, que acabou rebaixado. Os ingleses queriam economizar o salário do jogador e o emprestaram de volta ao clube da sua terra, onde ele tenta recuperar a boa fase e se livrar das lesões. Na temporada 2013/14, fez 17 jogos na primeira metade da temporada e marcou 17 gols. Foi fundamental na campanha que levou a Grécia à Copa do Mundo e pode ser um ponto focal no ataque dos Piraeus, forte no jogo aéreo e bastante perigoso dentro da área.

Veja outros grupos do guia da Champions League