A realidade é dura, e o futebol holandês sabe bem disso. Seria bom se, passada a campanha excelente feita na Copa do Mundo, houvesse a segurança de que os novatos jogariam o Campeonato Holandês, que começa no próximo dia 8 de agosto. Só que Janmaat já se foi, Martins Indi também, Stefan de Vrij está em vias de ir, nada impede que Daley Blind deixe o Ajax…

MAIS COLUNAS: Holanda na Copa: a impressão de quem viu a Oranje

Pois é: a Holanda já está acostumada a formar bons jogadores para que eles logo tomem outros caminhos. De todo modo, se a passagem de Louis van Gaal pela Oranje serviu para algo no futebol holandês, foi para tentar alertar os jovens atletas de que a ousadia em tentar campeonatos maiores logo pode queimar uma carreira.  Por isso, de certa forma, é bom ver que gente como Cillessen, Clasie, Kongolo, Wijnaldum e Depay ainda jogam (e provavelmente jogarão) a Eredivisie.

E cada vez mais os jovens holandeses só dão o passo seguinte quando estão com os pés firmes – como Siem de Jong, que só foi para um clube de um centro maior quando já não havia mais o que ganhar na Holanda. É com este clima de desilusão esperançosa que o país se prepara para o campeonato. Vamos para este guia, em três partes, começando com os clubes mais ameaçados pelo rebaixamento.

Escudo - Excelsior  Excelsior
Técnico: Marinus Dijkhuizen
Destaque: Jordy Deckers (goleiro)
Fique de olho: Rick Kruys (meio-campista)
Temporada passada: 3º colocado na segunda divisão, conseguiu o acesso na Nacompetitie
Copas europeias: Nenhuma
Objetivo: Salvar-se do rebaixamento
Principais chegadas: Daan Bovenberg (D, NEC), Marko Maletic (A, Stuttgart-ALE), Daryl van Mieghem (A, Telstar) e Tom van Weert (A, Den Bosch)
Principais saídas: Boy de Jong (G, Zwolle), Lucas Woudenberg (D, Feyenoord), Kevin van Kippersluis (A, Utrecht) e Lars Veldwijk (A, Nottingham Forest-ING)

Durante algum tempo, os Kralingers sempre foram vistos apenas como um clube-satélite para o Feyenoord, relação até oficial, tempos atrás. Não deixou de ser completamente assim, já que alguns jogadores do elenco até pertencem ao clube maior de Roterdã (um exemplo é o atacante Adil Auassar). Mas sem uma ligação oficial com o Feyenoord, a equipe tenta manter alguns jogadores experientes em termos de Eredivisie, como o meio-campista Kruys e o zagueiro Bovenberg, contratado recentemente. A perda de Veldwijk, goleador da segunda divisão na última temporada, pode ser sentida no ataque. A equipe terá de se fiar no ligeiro entrosamento que já tem.

Dordrecht Dordrecht
Técnico: Ernie Brandts
Destaque: Funso Ojo (atacante)
Fique de olho: Mohamed Hamdaoui (atacante)
Temporada passada: 2º colocado na segunda divisão, conseguiu o acesso na Nacompetitie
Copas europeias: Nenhuma
Objetivo: Salvar-se do rebaixamento
Principais chegadas: Filip Kurto (G, Roda JC), William Troost-Ekong (D, Groningen), Mart Lieder (A, RKC Waalwijk), Rick ten Voorde (A, Paderborn-ALE) e Mohamed Hamdaoui (A, Vitesse)
Principais saídas: Warner Hahn (G, Feyenoord), Matthew Steenvoorden (D, Feyenoord), Sem de Wit (D, ADO Den Haag), Paul Gladon (M, Sparta Rotterdam), Felitciano Zschusschen (A, Twente)

De volta ao Campeonato Holandês, após 19 anos de ausência, os “Cabeças de cabra” terão uma tarefa dificílima se quiserem a manutenção. Os resultados nos amistosos de preparação têm sido ruins, e o recém-chegadoo técnico Ernie Brandts tem um elenco que perdeu jogadores úteis na campanha do acesso, como o goleiro Warner Hahn e o meio-campista Paul Gladon. Para tentar solucionar o problema, Brandts aposta na ajuda que reforços como Hamdaoui, talento emprestado pelo Vitesse, podem dar ao capitão Funso Ojo, grande destaque ofensivo. Caso solucione a irregularidade dos tempos de Roda JC, o goleiro polonês Kurto pode obter êxito.

Escudo - Willem II Willem II
Técnico: Jurgen Streppel
Destaque: Charlton Vicento (atacante)
Fique de olho: Ben Sahar (atacante)
Temporada passada: Campeão da Eerste Divisie (segunda divisão)
Copas europeias: Nenhuma
Objetivo: Salvar-se do rebaixamento
Principais chegadas: Kostas Lamprou (G, Feyenoord), Fabian Sporkslede (D, Ajax), Maxim Deckers (D, FC Oss), Kevin Brands (M, Telstar) e Ben Sahar (A, Hertha Berlim-ALE)
Principais saídas: Kees van Buuren (D, Sparta Rotterdam), Mats van Huijgevoort (D, Den Bosch), Denny Landzaat (M, encerrou a carreira), Ruud Boymans (A, Utrecht), Norair Mamedov (A, Almere City)

Na temporada 2012/13, quando estavam na Eredivisie e viram que a queda era inevitável, os Tricolores trataram de se organizar desde então para a volta à segunda divisão. Prestigiaram o trabalho do técnico Jurgen Streppel, mesmo ficando atrás do Dordrecht por boa parte da temporada passada, e o título (e o retorno à elite) vieram como prêmio. Recebendo por empréstimo alguns jogadores de clubes grandes, como o goleiro grego Lamprou e o zagueiro Sporkslede, além do “foguete molhado” Ben Sahar, Streppel pode organizar um time esforçado para tentar escapar da queda. Precisará fortalecer a marcação.

Escudo - Nac Breda NAC Breda
Técnico: Nebojsa Gudelj
Destaque: Jelle ten Rouwelaar (goleiro)
Fique de olho: Erik Falkenburg (meio-campista)
Temporada passada: 15º
Copas europeias: Nenhuma
Objetivo: Salvar-se do rebaixamento
Principais chegadas: Rémy Amieux (D, RKC Waalwijk), Joeri de Kamps (D, Ajax), Aleksandar Damcevski (D, Chernomorets-BUL), Erik Falkenburg (M, AZ) e Kingsley Boateng (A, Milan-ITA)
Principais saídas: Jordy Buijs (D, Heerenveen), Kees Kwakman (M, Bidvest Wits-AFS), Anouar Hadouir (M, Moghreb Tétouan-MAR), Alex Schalk (A, Go Ahead Eagles), Rydell Poepon (A, ADO Den Haag), Danny Verbeek (A, Utrecht) e Stipe Perica (A, Chelsea-ING)

O elenco da “Pérola do Sul” ficou bastante enxuto, em comparação com outras temporadas. E a “limpeza” fez com que jogadores bastante conhecidos da torcida deixassem o NAC. Há o perigo de que tais mudanças sejam bastante danosas à equipe: Jordy Buijs, Kwakman e Poepon foram destaques na tentativa de evitar a queda à segunda divisão. Por outro lado, as contratações pontuais foram elogiáveis: Amieux é lateral esquerdo razoável, e Falkenburg teve ótimas atuações no Go Ahead Eagles. A segurança de Ten Rouwelaar no gol e a chegada do ganense Boateng, emprestado pelo Milan, são mais esperanças de manutenção na elite do futebol holandês.

Escudo - Heracles Heracles Almelo
Técnico: Jan de Jonge
Destaque: Bryan Linssen (atacante)
Fique de olho: Jason Davidson (zagueiro)
Temporada passada: 14º
Copas europeias: Nenhuma
Objetivo: Salvar-se do rebaixamento
Principais chegadas: Bram Castro (G, MVV Maastricht), Ramon Zomer (D, Heerenveen), Joey Pelupessy (M, Twente), Bas Sibum (M, Beveren-BEL) e Mark-Jan Fledderus (M, Roda JC)
Principais saídas: Remko Pasveer (G, PSV), Ben Rienstra (D, Zwolle), Kwame Quansah (M, sem clube), Mikhail Rosheuvel (A, AZ), Mark Uth (A, Heerenveen) e Matthew Amoah (A, sem clube)

Os Heraclieden já tiveram desempenho bem fraco na última temporada, com péssimo retrospecto em casa. Para piorar, a defesa foi atingida fortemente pelo mercado de transferências, com as saídas de Pasveer e Rienstra. Foi exatamente aí que o clube decidiu agir: Castro é um goleiro experiente, e Zomer pode fazer boa parceria com o australiano Davidson, que esteve na Copa. No ataque dos Almelöers, a esperança é de que o reforço Fledderus, de técnica razoável, faça com que o alemão Cziommer fique menos sobrecarregado na função de armar as jogadas para Linssen concluir.

CambuurCambuur
Técnico: Henk de Jong
Destaque: Mohamed El Makrini (meio-campista)
Fique de olho: Martijn Barto (atacante)
Temporada passada: 12º
Copas europeias: Nenhuma
Objetivo: Salvar-se do rebaixamento
Principais chegadas: Etiënne Reijnen (D, AZ), Calvin Mac-Intosh (D, Telstar), Dejan Meleg (M, Ajax), Berend Schootstra (M, Heerenveen), Daniël de Ridder (A, RKC Waalwijk), Furdjel Narsingh (A, Zwolle) e Bob Schepers (A, Utrecht), Albert Rusnak (M, Manchester City-ING)
Principais saídas: Tim Coremans (G, ADO Den Haag), Ramon Leeuwin (D, Utrecht), Martijn van der Laan (D, Groningen), Marcel Ritzmaier (D, PSV) e Jody Lukoki (A, Ajax)

Os auriazuis tentarão prosseguir com o espírito aguerrido que lhes salvou do rebaixamento na última temporada. O técnico Henk de Jong terá de remontar a defesa, que perdeu jogadores importantes com as saídas de Leeuwin e Van der Laan. Além disso, Lukoki e Manu, que tiveram boas atuações, voltaram a Ajax e Feyenoord após os empréstimos respectivos. Só que a ida às compras resultou em contratações satisfatórias para o nível do Cambuur, como Reijnen, De Ridder, Narsingh e Schepers. Os resultados nos amistosos de preparação têm sido equilibrados. E a esperança de conseguir manter-se na elite aumenta.