Mario Balotelli foi impedido de entrar no centro de treinamento do Brescia, o Torbole Sports Centre, quando apareceu para treinar na manhã desta terça-feira. Segundo a Gazzetta dello Sport, o clube decidiu não permitir a entrada do atacante, que teve que dar meia volta. Há uma disputa em curso entre o jogador e o clube. O contrato vai até 2022, mas há uma cláusula que permite que ele saia do clube caso o clube seja rebaixado. Ao que tudo indica, o ex-jogador da seleção italiana, de 29 anos, deve mesmo deixar o clube da Lombardia.

Segundo o relato da Gazzetta, o jogador está com uma licença médica que ainda não terminou e por isso ele não receberia permissão para entrar. Há uma batalha entre o jogador e o clube, que quer rescindir o contrato do atacante, que tem 19 jogos nesta temporada e marcou cinco gols.

Balotelli tentou antecipar a sua volta aos treinamentos, mas não foi possível fazer isso. “Agora escrevam que eu não quero treinar”, disse Balotelli ao deixar o centro de treinamento, depois de ser barrado, segundo Tuttomercadoweb. Ele é esperado para voltar aos treinos nesta quarta-feira.

Na quinta-feira passada, 4 de junho, Balotelli colocou nas redes sociais que ainda estava doente e, por isso, não poderia treinar. Ele não treinou naquela quinta-feira por problemas gastrointestinais. No sábado, nova controvérsia com o clube esperando que ele fosse treinar e o presidente Massimo Cellino teria ficado furioso com a ausência do jogador. Houve especulações que o contrato já tinha sido rescindido, o que não aconteceu.

O técnico do clube, Diego Lopez, foi muito duro com Balotelli ao dar entrevista ao Corriere dela Sera, no último sábado. “Na vida, fatos contam, não palavras”, afirmou o treinador. “Nós somos o que fazemos, não o que dizemos ou escrevemos. Há apenas uma verdade aqui: o time seguiu um caminho, Mario seguiu outro”. O treinador ainda disse: “Ele tem muito a dar, mas ele precisa fazer mais, muito mais”.

Balotelli também estava insatisfeito como o processo estava sendo conduzido e, por isso, não aceitou encerrar o contrato por acordo mútuo. Com isso, forçou que o clube tenha que rescindir unilateralmente, o que geraria uma compensação.

Como seu contrato vai até o dia 30 de junho em caso de rebaixamento e o Brescia está em último lugar na Serie A, ele deve mesmo deixar o clube. Provavelmente sem sequer fazer mais uma partida. Com 16 pontos, o Brescia está a nove pontos do Genoa, 17º e primeiro clube fora da zona do descenso. Restam 12 rodadas para o fim da temporada.

A Serie A será retomada no próximo dia 20 de junho e o Brescia volta a campo no dia 22, em partida fora de casa contra a Fiorentina.