A briga pelo título no Campeonato Inglês tem sido acirrada. Depois da campanha histórica do Manchester City em 2017/18, com 100 pontos em 38 jogos, tanto Liverpool quanto o próprio City estão próximos da mesma marca. O Manchester City assumiu a liderança da Premier League com a vitória por 2 a 0 sobre o Manchester United com 89 pontos em 35 jogos. Pode chegar a 98 pontos. Já o Liverpool, que tem 88, pode chegar a 97. Dois desempenhos espetaculares dos times na temporada e, por isso, o técnico Pep Guardiola falou que os dois times são merecedores do título.

“Os dois merecem o título, Liverpool e nós. O time que perder não terá nada a lamentar, porque terá dado tudo”, afirmou o treinador, logo depois da vitória em Old Trafford, que fez com que o Manchester City retomasse a liderança, igualando o número de jogos do Liverpool. O City chegou a 29 vitórias, dois empates e quatro derrotas nos 35 jogos que fez, enquanto o Liverpool tem 27 vitórias, sete empates e apenas uma derrota – justamente para o Manchester City. No saldo de gols, primeiro critério de desempate, o City leva vantagem – 67 a 59 neste momento.

No jogo, o técnico afirmou que um ponto crucial para a vitória foi a insistência e também a entrada de Leroy Sané, em uma necessidade, ainda no começo do segundo tempo. “Eu entendo a pressão que nós ainda temos para estar aqui [na corrida pelo título]. Mas nós falamos no intervalo que nós temos que aproveitar uma chance e jogar para vencer. Não importa se nós perdermos, nós temos que tentar ganhar”, disse o treinador do Manchester City. “Gündogan foi para se tornar volante, mais dinâmico e agressivo, atacando as linhas”, analisou o treinador.

De fato, o segundo tempo foi bastante diferente do primeiro, quando o jogo ficou muito mais equilibrado. Usando uma estratégia defensiva, o United fechou os espaços para poder minimamente equilibrar a partida. O City voltou tentando pressionar ainda mais e a mudança tática com a saída de Fernandinho, machucado, e o recuo de Bernardo Silva para o meio-campo acabou sendo crucial para que o português tivesse mais liberdade e acabasse marcando o gol que abriu a defesa dos Red Devils.

Com a vantagem conquistada com a vitória, o Manchester City passa a estar com um ponto a mais que o Liverpool, que cai para o segundo lugar na tabela da Premier League. Restam três rodadas para o fim da temporada. O City enfrenta Burnley, fora de casa, no próximo domingo. Depois, recebe o Leicester City no Etihad Stadium, antes de fechar a temporada contra o Watford, no Vicarage Road. “Agora nós nos preparamos para ir até Burnley e vencer. Eu sei que não será fácil. As pessoas irão falar muito… Amanhã não iremos ficar vendo na TV. Nós temos que ir até lá e vencer”, disse o técnico.

O zagueiro e capitão do Manchester City, Vincent Kompany, comentou também o jogo. “Nós não começamos tão bem quanto nós gostaríamos… Mas nós permanecemos calmos e defendemos bem quando precisamos. No segundo tempo, nós estávamos lá para marcar os gols”, afirmou o belga. “Para mim, é significativo [vencer o United] porque é um dérbi. Para a liga, nada está definido ainda. Burnley é um jogo fora de casa difícil e nós temos Leicester e Brighton. Ainda há muito a se jogar. Nós não podemos esperar que nossos adversários percam pontos, então nós temos que conquistar três vitórias. Mas vitórias são difíceis de conseguir na Premier League”.

No final, fomos vencidos por um time melhor, mas nós tivemos uma reação dos torcedores e jogadores, nós tivemos uma chance. Nós tivemos esforços, mas não acertamos o gol muitas vezes. Mas deu para ver o esforço… Em última análise, houve uma diferença em qualidade e é por isso que eles estão na liderança da liga.
Ole Gunnar Solskjaer, técnico do Manchester United

O técnico do Manchester United, Ole Gunnar Solskjaer, tentou dar uma visão otimista do desempenho do time. Falou de uma melhora, mas a comparação é com aquele que, provavelmente, foi um dos piores jogos desde que Alex Ferguson se aposentou. “Nós tivemos uma reação. No final, fomos vencidos por um time melhor, mas nós tivemos uma reação dos torcedores e jogadores, nós tivemos uma chance. Nós tivemos esforços, mas não acertamos o gol muitas vezes. Mas deu para ver o esforço… Em última análise, houve uma diferença em qualidade e é por isso que eles estão na liderança da liga. Nós não podemos ficar felizes com isso e cabe a nós diminuir a diferença”, analisou o treinador do United.

“Hoje você não pode dizer que os jogadores não correram. Você pode ver claramente que eles tinham atitude e foco. É claro que ficamos decepcionados. Rashford será muito importante para nós, ele tem a atitude certa”, disse ainda o norueguês. A atitude de Rashford pode ser traduzida nas suas palavras, que foram muito mais duras em relação ao que é ser Manchester United do que a do treinador.

“Ficou muito claro nesta noite quem foi o melhor time. Hoje nós não jogamos como Manchester United. Tem sido assim nas últimas semanas, para ser justo. Isso não está certo. O mínimo é dar tudo de si pelo clube e torcedores. Não importa se o desempenho de hoje foi melhor [que outras recentes] porque nós perdemos o jogo. É um dérbi e não podemos fazer isso”, afirmou Marcus Rashford, de forma enfática.

“Nós mostramos que nós podemos fazer isso e nós não estamos fazendo. Isso é o mais decepcionante. Nós temos que voltar a isso. Esqueça os quatro primeiros, esqueça a Champions League, nós temos que jogar como Manchester United”, disse ainda o atacante.