O Manchester City de Pep Guardiola causou um impacto tremendo no futebol inglês. Depois de um primeiro ano sem título em 2016/17 – o Chelsea de Antonio Conte foi quem levou o título da Premier League -, conquistou duas vezes a liga inglesa sendo um time avassalador, tanto em resultados quanto em desempenho, alcançando a marca de 100 pontos. No segundo título, porém, teve a companhia de um ótimo Liverpool, que ficou só um ponto atrás na temporada 2018/19. Nesta temporada, porém, o Liverpool foi além e ficou com a taça. O técnico catalão elogiou muito o time de Jürgen Klopp, a quem considera o adversário mais difícil que já teve.

“Sim, por uma grande vantagem, o rival mais difícil que eu enfrentei na minha carreira foi o Liverpool da temporada passada e desta”, afirmou o treinador ao DAZN. “Ele dominou todos os recordes. Se você os permitir te dominar, eles irão te prender em uma área e você não vai sair. Quando você os domina, eles correm e encontram espaços que ninguém mais acha”.

“Eles são muitos rápidos para voltarem para a defesa. Eles são muito fortes em termos de estratégia. Seus jogadores são mentalmente muito fortes. É o rival que eu tenho que pensar mais sobre como vencê-los”, continuou Guardiola.

“Se você me perguntar qual time eu tive mais dificuldade em decifrar e lidar, é o Liverpool. Nos primeiros anos que eu cheguei à Inglaterra, o Liverpool estava um pouco menor do que está agora e o Real Madrid era muito mais forte. Agora, o Liverpool é o rival mais duro que eu já enfrentei na minha carreira como técnico”.

“O Real Madrid me fez um técnico melhor”

O Manchester City terminou em segundo lugar na Premier League, mas a temporada ainda não acabou. O time ainda tem o desafio da fase final da Champions League. E primeiro, precisa assegurar a passagem às quartas de final, depois de vencer o jogo de ida contra o Real Madrid na Espanha por 2 a 1.

“É um time muito forte, em todos os sentidos e historicamente, é claro”, disse Guardiola sobre o rival na Europa. “Eles me fizeram um técnico melhor. Com José Mourinho, com [Manuel] Pellegrini, com todos os técnicos que eles tiveram. Eles [Real Madrid] fizeram o que fizeram, ganhar três Champions League seguidas, tiraram dois títulos de La Liga do Barcelona quando o Barça dominava completamente essa competição nesta década como ninguém nunca tinha feito”.

O atual técnico é Zinedine Zidane, ex-jogador como Guardiola, e que o catalão respeita muito. “Eu admiro as duas versões, o jogador e o técnico. As duas. Eu acho que como jogador, Zidane era ‘UAU’. Eu gostaria de ter jogado com ele. Eu tive o azar de enfrentá-lo pela seleção francesa”, comentou o técnico do Manchester City.

“Ele faz bem ao futebol, nos bons e nos maus momentos, e eu fico feliz por isso. Eu estou feliz que as coisas estão indo bem para ele porque pessoas como ele fazem muito bem ao futebol”, continuou.

É inegável que o título da Champions League é o grande objetivo do Manchester City, ainda que dominar o campeonato local seja sempre algo muito valorizado por seus torcedores e pela diretoria. Conquistar a Europa, algo inédito na história do clube, é algo que todos pensam desde a chegada para Guardiola. O técnico precisa lidar com essa expectativa depois de um início de carreira em que ele conseguiu levar dois títulos pelo Barcelona. Não conseguiu repetir o título europeu nem pelo Bayern de Munique e nem pelo Manchester City. Ao menos por enquanto.

“Eles me perguntam o que eu vou sentir em ganhar algo que eu nunca ganhei [no City]. Eu não sei. Eu não sei o que irei sentir. Eu honestamente tentei no primeiro ano, no segundo e no terceiro, no quarto e em todos os anos que eu estou aqui. Se há uma chance, eu vou tentar vencer. Mas se eu não vencer, eu terei fracassado? Eu terei fracassado, mas o importante é tentar”.

A passagem de Guardiola pelo City não poderá ser classificada como fracasso pelo número de títulos que conquistou, ainda mais com o futebol jogado pelo clube. Assim como no Bayern de Munique, porém, a conquista da taça europeia é algo que o técnico se sente obrigado a conquistar, até pelas ambições dos dois clubes – ainda que de naturezas diferentes e históricos também bem diferentes.

NA TV
Manchester City x Real Madrid
Champions League – oitavas de final, jogo de vota
Sexta-feira, 7 de agosto – 16h (horário de Brasília)
Facebook, TNT, EI Plus