O Manchester City retorna nesta segunda-feira à disputa da Premier League, mas o discurso do técnico Pep Guardiola já é olhando para a próxima. O time está a 26 pontos do Liverpool, mas se vencer o jogo contra o Burnley, pode diminuir para 23, com oito jogo para o fim do campeonato. O técnico quer que o seu time use a decepção pela distância que o Liverpool abriu na ponta nesta edição para sair na frente na próxima.

O Manchester City é o atual bicampeão inglês, com dois títulos com pontuações altíssimas e na temporada passada, 2018/19, superando um Liverpool que já era impressionante por apenas um ponto. O técnico falou sobre um dos desafios para o time que é campeão de não deixar que automaticamente se desligue ou que não consiga manter o ritmo alto depois da conquista. Ele espera que o time reaja de forma forte ao perder o título desta temporada – algo que, neste momento, é uma questão meramente de poucas rodadas para ser confirmado.

“Espero que nós possamos aprender desde o começo da temporada”, afirmou Guardiola. “Depois de ganhar a Community Shield contra o Liverpool, nós perdemos pontos que talvez não esperávamos. Mas eu não sei o que irá acontecer. Eu acho que toda temporada os adversários se tornam mais fortes”.

“O Liverpool irá continuar o time forte que eles são; nós estamos vendo como o Chelsea está investindo no mercado de transferências; Tottenham irá recuperar muitos jogadores lesionados, com Son, Harry Kane e outros jogadores com um técnico experiente como [José] Mourinho eles sempre serão fortes. O Arsenal com mais tempo com Mikel [Arteta] e Leicester, vocês sabem”, continuou.

Guardiola não olha mais para o título, mas sim para os pontos que garantam o time como segundo colocado. “Se trata de conseguir o mais rápido possível os pontos para assegurar a classificação para a Champions League e em duas ou três semanas que nós iremos saber a sentença da Uefa”, afirmou o treinador, se referindo ao julgamento do recurso do Manchester City contra a condenação por violações do Fair Play Financeiro. Se mantida, o clube ficará dois anos sem poder disputar qualquer competição europeia.

Outro assunto que surgiu na coletiva de imprensa do técnico do Manchester City foi a esperada saída de Leroy Sané ao final da temporada. O próprio técnico afirmou que o alemão não quer renovar o contrato e deixará o clube. Apesar da iminente saída do jogador, Guardiola não considera uma prioridade repor a saída do ponta. “Nós temos talento suficiente lá na frente”, afirmou. “Gabriel [Jesus] pode jogar na esquerda, Phil Foden pode jogar na esquerda, nós temos Raheem [Sterling] ali”.

“Nós temos outras prioridades, talvez. E eu não sei, depois do coronavírus, se a situação economicamente e financeiramente para os clubes está mudando. Eu não sei qual é a situação. Nós iremos ver no final desta temporada”, analisou o treinador.

Quem também foi citado pelo treinador, mas desta vez de forma positivo, foi o lateral esquerdo Benjamin Mendy. Apesar das muitas lesões, Guardiola acredita que o jogador tem um longo futuro com a camisa dos Citizens. “É o nosso desejo e especialmente o desejo dele. Ele tem uma qualidade especial, com sua energia e seu potencial. Como lateral esquerdo, ele é um jogador extraordinário”, disse.

NA TV
Campeonato Inglês: Manchester City x Burnley
ESPN Brasil (Clique aqui, assine e ganhe 7 dias grátis)