A continuidade de Ernesto Valverde no comando do Barcelona gera muitas críticas. A conquista do Campeonato Espanhol nos dois anos que o basco comanda o time não foram suficiente para aliviar as críticas. As duas eliminações na Champions League foram bastante doloridas. Depois de vitórias contundentes em casa, o time acaba perdendo com derrotas acachapantes no campo adversário. A diretoria parece disposta a manter o treinador e ganhou um apoiador de peso: Pep Guardiola.

De férias na Catalunha, Guardiola foi ao jogo de basquete entre Baxi Manresa e Real Madrid. Foi acompanhar seu pai, Valentí Guardiola, e o presidente do Baxi Manresa, Josep Sáez, empresário da região que tem 51 anos e é ex-jogador das categorias de base do clube e chegou à presidência em 2017. Pep Guardiola é de Santpedor, que fica na mesma região, na Catalunha.

Continuidade de Valverde

“Ernesto me parece espetacular para além da grande amizade que nos une. Realizou um trabalho muito bom. É certo que perdeu a Champions, todos perdemos. Um time que ganha duas ligas consecutivas e com bom futebol, comemoro que continue. O Barcelona segue sendo fiel ao seu estilo”, analisou o treinador, que dirige o Manchester City.

Derrota para o Liverpool

“Tanto Barcelona quanto o Liverpool são equipes muito boas, o Liverpool é campeão da Europa, fortíssimo. Quando há tanto nível, se um não está no seu nível, é quando perde”, avaliou o treinador.

Sobre Klopp

“Temos uma rivalidade bonita, mas não só com ele, há cinco equipes muito fortes e por isso a Premier League é uma competição tão dura. Na próxima temporada partiremos do zero e veremos o que acontece”.

Ida ao Camp Nou

“O estágio como treinador passou, agora é hora das novas gerações e, sempre que posso, vou para o Camp Nou.”

É curioso que Guardiola diga que o Barcelona mantém sua identidade, quando o time joga de um modo que é tão criticado justamente por ser distante do estilo que se diz ser do clube. O bom futebol citado por Guardiola também parece ser algo que não se conecta com a realidade. O time jogou bem em alguns momentos, é verdade, mas na média da temporada foi um time de muito destaques individuais e pouco destaque coletivo. Talvez o atual treinador do City quis defender um companheiro de classe, sem criticá-lo publicamente, ou quem sabe assistiu pouco ao time do coração em meio ao caos que foi a Premier League da atual temporada. Vai saber.