Guardiola: Adaptar, mas sem mudar o que eu acredito sobre futebol

Com apenas quatro vitórias em 15 jogos, o Manchester City passa por uma fase bem complicada na temporada

Guardiola é um treinador brilhante e criativo, que montou equipes que jogaram muitos dos melhores momentos do futebol nos últimos anos e conquistaram vários títulos. A critica mais comum direcionada ao seu trabalho profissional não tem a ver com o domínio da profissão, mas com a insistência em um estilo de jogo que nem sempre funciona. Em outras palavras, a teimosia. E o técnico do Manchester City, apesar de apenas quatro vitórias nas últimas 15 partidas, segue fiel a sua filosofia.

LEIA MAIS: Leicester jogou como o campeão que ainda é para estraçalhar o Manchester City

“Vamos jogar da maneira que sentimos. Não posso fazer algo que não sinto. Precisamos minimizar os erros para vencer os jogos. Mas eu acredito na maneira em que jogamos. Estou aqui para ajudar os jogadores. Estou pensando no que posso fazer para ajudá-los sem mudar. Eu acredito nesse caminho”, disse. “Claro que tenho que me adaptar (ao futebol inglês), mas isso não significa mudar o que eu acredito sobre futebol. Tenho que jogar dessa maneira por esses jogadores porque é a melhor maneira. O clube pensou durante muito tempo que esse é o tipo de futebol (que ele quer jogar)”.

Guardiola, que chegou a abdicar da posse de bola para vencer o Barcelona pela Champions League, cita o jogo contra o Chelsea como um bom exemplo, quando o City criou várias oportunidades e fez uma boa partida, mas saiu derrotado por 3 a 1. “Quero jogar como fizemos contra o Chelsea e não faz muito tempo (3 de dezembro). Eu vi o jogo de novo. Não merecemos o que aconteceu, mas futebol é assim. Podemos liderar a liga, mas agora estamos a sete pontos de distância. Temos que melhorar porque cometemos muitos erros. Tenho que ajudar os jogadores. Eles sofrem como eu e preciso minimizar isso”.

Até agora, Guardiola acredita que a principal missão para ter sucesso no futebol inglês é controlar os rebotes. “Sem isso, você não consegue sobreviver. Na maior parte do tempo, a bola está no ar e isso é incerto. Ninguém sabe o que vai acontecer. Temos que controlar isso. O jeito que jogam em outros países, você não pode se concentrar tanto nisso. O segundo gol contra o Leicester foi um lateral, e o gol saiu no rebote. Mas eu entendi o futebol inglês no dia que eu vi Swansea x Crystal Palace, 5 a 4, nove gols, oito jogadas de bola parada. Você não pode controlar isso. Neste momento, não estamos capaezes de controlar isso”.

Guardiola quer tempo. “Alex Ferguson, que foi meu ídolo, demorou 11 anos para vencer o Campeonato Inglês. Estou no começo e é verdade que não estamos bem em casa, mas preciso que me deem tempo para tentar adaptar meu estilo”, concluiu.