Greve de jogadores paralisa o Campeonato Boliviano e pode afetar as Eliminatórias

La Verde pode ficar sem os seus convocados que atuam no país por causa de atrasos salariais dos clubes

Nos últimos anos, a Bolívia esteve limitada a ser uma mera coadjuvante nas Eliminatórias, quase sempre brigando para não terminar na lanterna. Para A Copa de 2018, no entanto, La Verde pode causar impacto. E não exatamente dentro de campo. Os atrasos salariais de alguns clubes do país chegaram ao limite nesta segunda-feira. O Fabol, sindicato dos futebolistas bolivianos, anunciou greve geral de todos os profissionais no país. E promete ir além, caso a questão não seja resolvida em breve. Segundo a entidade, os jogadores convocados à seleção para o início do qualificatório não se apresentarão, tentando pressionar também a federação por uma solução.

“Esgotamos todas as instâncias. Hoje, lamentavelmente, temos que anunciar que o Campeonato Boliviano se paralisa. E os jogadores convocados à seleção, a não ser que cumpram o prometido, tampouco se apresentarão. As conversas com a liga vinham avançando, mas há algumas semanas não temos uma resposta positiva dos clubes, e isso faz com que tomemos a medida que havíamos antecipado”, declarou David Paniagua, advogado da Fabol e responsável pelas negociações.

Jorge Wilstermann e San José de Oruro sustentam as dívidas reclamadas pelo sindicato, calculadas em US$ 300 mil. Para dificultar a questão, os presidentes de ambos os clubes estão afastados de seus cargos atualmente: Gróver Vargas, do Wilstermann, está preso preventivamente por legais de sua empresa particular com a justiça boliviano, enquanto Iván Ramos solicitou licença por motivos de saúde. Independente disso, em solidariedade, os jogadores dos demais times resolveram também abraçar a causa, depois de atuarem normalmente pela sétima rodada do Torneio Apertura neste final de semana.

A Bolívia entra em campo pelas Eliminatórias nos dias 9 e 13 de outubro, recebendo o Uruguai em La Paz e visitando o Equador em Quito. Na última convocação de La Verde, para os amistosos contra Argentina e República Dominicana, apenas três jogadores que atuam no exterior foram chamados. Sinal de que a inadimplência dos clubes poderá realmente se tornar questão de interesse nacional dentro de algumas semanas.