O Zamora fez justiça à pior campanha da fase de grupos e foi atropelado pelo Grêmio, nesta quinta-feira, em Porto Alegre. Os donos da casa golearam por 4 a 0 e poderiam ter feito um placar ainda mais elástico se finalizassem um pouco melhor, principalmente no segundo tempo. Seria interessante ter feito isso para buscar a primeira campanha da fase de grupos, mas se contentam com a terceira, que já dá aos gaúchos uma boa vantagem para o mata-mata.

LEIA MAIS: Pivô, oportunismo e frieza: Lucas Barrios mostrou as qualidades de um bom centroavante

Um homem em especial teve bastante trabalho na noite desta quinta-feira: o goleiro Salazar. Precisou fazer cinco defesas importantes antes do cronômetro chegar a 20 minutos. Parou Barrios três vezes e barrou Luan e Pedro Rocha no mesmo lance. Aos 21, Pedro Rocha mandou na trave. Uma hora a bola entraria e entrou logo na sequência: o próprio Rocha deu um elástico, foi à linha de fundo e cruzou para Luan abrir o placar. Com a porteira aberta, o Grêmio marcou mais duas vezes em um espaço de quatro minutos. Barrios completou cruzamento de Gata Fernández para ampliar, e Luan marcou o terceiro, em pênalti sofrido por Cortez.

A parada estava resolvida, e Renato Gaúcho pegou a calculadora. Com a derrota do River Plate no jogo que abriu a rodada desta quinta-feira, poderia fazer a melhor campanha se superasse Lanús e Atlético Mineiro no saldo de gols. Precisava marcar mais dois tentos para passar os argentinos e quatro para ficar à frente dos mineiros. Pelo volume de jogo do Grêmio no primeiro tempo, dava. Mas não deu, muito por falta de capricho na hora de finalizar.

E olha que, aos 18 minutos da etapa final, saiu o quarto: Gata Fernández deu belo passe para Pedro Rocha, que saiu na cara de Salazar, driblou o goleiro e mandou para as redes. Começou a empilhar chances perdidas. Pedro Rocha bateu para fora. Fernández cabeceou para fora. Salazar defendeu tentativa do camisa 9 gremista. Já na reta final, Fernandinho sofreu o segundo pênalti da noite. Luan cobrou novamente e desta vez parou nas mãos de Salazar.

O golzinho que o Grêmio precisava para passar pelo menos o Lanús e fazer a segunda melhor campanha da fase de grupos da Libertadores poderia ter saído aos 40 minutos, quando Pedro Rocha saiu na cara de Salazar. Mas tentou encobri-lo, quando talvez houvesse decisões melhores para tomar, e perdeu um tento feito. Renato Gaúcho ficou um pouco contrariado no banco de reservas da Arena.

Seria apenas a cereja do bolo. A terceira campanha já permite que o Grêmio decida as fases de mata-mata contra todos os adversários, exceto Galo e Lanús. Pegou um grupo fácil e passeou, com direito a poupar jogadores para o Campeonato Gaúcho. Fez bem o seu trabalho. Agora, volta as atenções ao Campeonato Brasileiro enquanto espera o sorteio e o começo das oitavas de final.