Foram diversas provações à torcida do Grêmio nesta quarta-feira. Da emoção durante o minuto de silêncio pelas vítimas da tragédia de Santa Maria ao susto pelo acidente nas arquibancadas, o jogo foi parte apreensão em sua maior. Depois de perder em Quito, os gremistas tinham o domínio contra a LDU, mas convertiam em gol. Até que Elano apareceu para garantir o 1 a 0, levando a decisão para os pênaltis. E, nela, brilhou Marcelo Grohe ao defender uma cobrança, dar o triunfo por 5 a 4 e colocar os gaúchos na fase de grupos da Libertadores.

A proposta de jogo durante o primeiro tempo era clara: o Grêmio atacava e a LDU defendia. O problema é que os equatorianos eram mais eficientes em sua tarefa que os brasileiros. A linha de cinco homens armada por Edgardo Bauza segurava os gremistas que, apesar do controle da bola, mal entravam na área rival – todas as quatro finalizações do time nos 45 minutos iniciais vieram de fora da área.

Mapa de calor do Grêmio: a área foi pouco explorada
Mapa de calor do Grêmio: a área foi pouco explorada

A grande válvula de escape do Tricolor era Eduardo Vargas. O chileno não sentiu o peso da estreia diante da torcida e fazia ótima partida, dando vigor ao time nas investidas pelas pontas. Foi exatamente em uma falta sofrida pelo novato, após aplicar um chapéu em um marcador, que os gaúchos criaram sua melhor oportunidade na etapa inicial. Elano cobrou em direção ao ângulo e Alexander Domínguez salvou.

Já no segundo tempo, Vanderlei Luxemburgo decidiu aumentar a presença física de seu ataque, trocando Fernando e Marcelo Moreno por William José e André Lima. Deu certo. Embora abusasse o Grêmio demais do jogo aéreo, cruzando a maioria das bolas precipitadamente, a insistência rendeu um número maior de finalizações.

De qualquer maneira, acabou sendo em um lampejo de fora da área que o gol da classificação saiu. Aos 16 minutos, Elano arriscou de longe e acertou o ângulo, em arremate perfeito. Depois do lance, a alegria se transformou em preocupação por conta de um acidente nas arquibancadas: o alambrado cedeu na famosa “avalanche” tricolor, com alguns torcedores se ferindo.

Recomeçada a partida, a LDU esboçou uma pressão nos minutos seguintes, mas não foi muito adiante. Os gremistas continuaram rondando a área nos minutos finais e ficaram também em vantagem numérica, depois da expulsão de Koob Hurtado, sem criar grandes ocasiões para balançar as redes novamente.

Por fim, a decisão acabou seguindo nos pênaltis. O Grêmio perdeu sua segunda cobrança, com Domínguez espalmando o chute de Saimon. Porém, Reasco compensou ao carimbar a trave para a LDU. E, nas séries alternadas, Marcelo Grohe se tornou o herói ao parar a batida de Morante, selando a passagem para a fase de grupos. Os gremistas comporão o Grupo 8 ao lado de Fluminense, Huachipato e Caracas.

São Paulo permite a virada, mas não atrapalha a classificação

Praticamente classificado depois dos 5 a 0 aplicados no Morumbi, o São Paulo foi à La Paz para cumprir tabela contra o Bolívar. E começou provando mais uma vez sua superioridade. Os anfitriões é que pareciam sentir a altitude no estádio Hernando Siles, com os brasileiros abrindo três gols de vantagem em 35 minutos, com Luis Fabiano,  Jadson e Osvaldo.

No entanto, o Tricolor permitiu que Ferreira descontasse ainda no primeiro tempo. E o desleixo dos são-paulinos proporcionou a virada do Bolívar na volta do intervalo, com dois tentos de Cabrera e outro de Ferreira. Ainda assim, a derrota por 4 a 3 não foi suficiente para atrapalhar a classificação do São Paulo, que entra no Grupo 3, o mesmo de Atlético Mineiro, Arsenal e The Strongest.