O Grêmio conquistou apenas um ponto nas três primeiras rodadas da fase de grupos da Libertadores, o que colocava em risco a classificação dos gaúchos, presentes nas oitavas de final das últimas três edições. Mas o Grêmio venceu a Universidad Católica por 2 a 0, nesta quarta-feira, e, ganhando as três partidas finais, chegou à próxima fase.

O resultado e a atuação também foram importantes por não terem demonstrado nenhum abalo depois do lunático 5 x 4 contra o Fluminese, no fim de semana, quando o Grêmio chegou a estar vencendo por 3 a 0 aos 22 minutos do primeiro tempo. Pode, agora, voltar as atenções totalmente para o Campeonato Brasileiro, no qual também começou mal, com um empate e duas derrotas.

A missão contra a Universidad Católica era conseguir pelo menos o empate que valeria a classificação. O Grêmio foi além e dominou o adversário. Depois de um início morno, abriu o placar, aos 22 minutos, quando Michel deu um lindo lançamento para Alisson, que dominou bem e tocou na saída do goleiro Dituro.

O gol abriu o caminho para o Grêmio, que teve oportunidades boas com Kannemann e Jean Pyerre antes do intervalo. Dituro voltou a trabalhar no começo do segundo tempo, em chute de Everton, e nada poderia fazer quando Leonardo cruzou rasteiro pela direita e Thaciano apenas empurrou às suas redes.

Não foi bom o começo do Grêmio na Libertadores, mas, quando estamos falando de um bom time como este treinado por Renato Gaúcho, a solução para sair dos apuros é jogar bola. E isso foi feito.

.

.