Bérgamo sofreu o impacto do coronavírus como nenhuma outra cidade italiana. A província de 1,1 milhão de habitantes contabiliza quase 3 mil vítimas fatais. Por mais que a Lombardia seja a localidade mais afetada pela pandemia, ainda assim Bérgamo corresponde a mais de 20% das mortes na região de 10 milhões de habitantes. O duelo entre Atalanta e Valencia disputado em Milão, pelas oitavas de final da Champions League, teria sido um dos potenciais responsáveis pela explosão de casos na região. No entanto, o ala Robin Gosens também vê o futebol como uma oportunidade de trazer alento à população, com a continuidade da campanha continental.

“As pessoas de Bérgamo adoram a Atalanta, então nós queremos retribuir e dar tudo para fazer nossos torcedores felizes. Também espero que todos possamos aprender a apreciar as pequenas coisas depois disso, porque ser livre para se locomover e se sentir saudável são as partes mais preciosas da vida”, declarou Gosens, em entrevista à Sky Italia.

A Atalanta disputou também a segunda partida contra o Valencia, dentro do Mestalla, mas com portões fechados. Somando oito gols e duas vitórias nos dois encontros, os Orobici avançaram às quartas de final da Champions e aguardam uma definição sobre a continuidade do torneio. De qualquer maneira, Gosens ressalta a importância de se respeitar as orientações das autoridades médicas até que seja seguro o suficiente.

“Espero que possamos voltar a jogar em breve, claramente com um protocolo que garanta a segurança para todos que trabalham com o futebol. Jogar a Champions League é algo fantástico e continuará sendo assim, se pudermos retornar em agosto. Eu realmente espero que possamos seguir o que começamos nesta competição, pois não seria correto terminar a campanha desta maneira”, afirmou o alemão.

Por reconhecer seus erros no início da pandemia, o governo italiano vem sendo um dos mais cautelosos quanto à retomada do futebol. Há uma disputa nos bastidores entre aqueles que desejam a volta das atividades e as autoridades locais – estas, majoritariamente contrárias ao retorno neste momento. Parte dos clubes tenta reiniciar os treinos, pensando sobretudo no prejuízo econômico, mas o Ministério da Saúde reafirma sua contrariedade.

Gosens, inclusive, reconhece o impacto que a COVID-19 teve na rotina de Bérgamo durante as últimas semanas. Contudo, o alemão não sofreu grandes perdas em sua vida pessoal e assistiu à calamidade de fora: “Foi difícil lidar com esse período, embora felizmente ninguém que eu conheça pessoalmente tenha falecido por causa do coronavírus. Eu tenho usado o tempo extra para estudar psicologia e me preparar às provas”.

Capitão da Atalanta, Papu Gómez chegou a declarar que a disputa dos jogos contra o Valencia “foi horrível”, porque ninguém realmente tinha ideia da letalidade do coronavírus e ignorou a dimensão do que poderia acontecer. O argentino avaliou que a desinformação durou bastante em Bérgamo e também acredita que o compromisso na Champions serviu como um detonador, “por toda a loucura” que desencadeou na população e pelo deslocamento massivo a Milão. Conciliar a paixão pela Atalanta e as cicatrizes que o clube pode representar será, também, um desafio menor a Bérgamo.