O clássico entre Real Madrid e Barcelona teve uma participação decisiva dos goleiros dos dois times, os merengues conseguiram uma vitória por 2 a 0, com gol de um brasileiro. Vinícius Júnior marcou o primeiro gol do jogo, em uma partida que outros brasileiros também foram bem. Tanto Marcelo, na lateral esquerda, quanto Casemiro, no meio-campo, tiveram atuações de destaque, assim como os dois goleiros dos times, que impediram um placar mais movimentado. Os blancos assume a ponta de La Liga com a vitória, superando os rivais catalães.

Os goleiros Thibaut Courtois, do Real Madrid, e principalmente Marc-André Ter Stegen, do Barcelona, tiveram participações decisivas para impedir que o jogo tivesse mais gols. O goleiro belga do Real Madrid fez quatro defesas importantes ao longo dos 90 minutos, sempre aparecendo em momentos que foi preciso. Já Ter Stegen impediu que a superioridade do Real Madrid no segundo tempo se transformasse em gols com defesas difíceis. A diferença é que Ter Stegen não conseguiu ir bem nas duas bolas que entraram, embora ele não tenha culpa direta em nenhum dos dois gols.

Como vieram a campo

Real Madrid e Barcelona entraram em campo com formações para tirar espaços um do outro. O Real Madrid partiu de um 4-1-4-1, com linha de quatro na defesa, Casemiro entre as linhas e uma linha um pouco mais à frente com Federico Valverde pela direita, Isco e Kroos pelo meio e Vinícius Júnior pela esquerda. À frente deles, Karim Benzema. Isso sem a bola. Com a bola, Vinícius Júnior avançava e se aproximava muito do ataque. Ficava espetado no ataque. Isco se revezava em cair pela direita junto com Valverde, mas sempre com tendência a ficar mais pelo meio.

No Barcelona, um 4-4-2 com duas linhas fechadas. Além da linha defensiva tradicional, o meio-campo tinha Arturo Vidal atuando aberto pela direita, Arthur e Sergio Busquets pelo meio e Frenkie De Jong aberto pela esquerda. Lionel Messi e Antoine Griezmann ficaram no ataque.

Os dois times pareciam muito preocupados com os problemas que poderiam ter pelos lados do campo e, assim, colocaram jogadores por ali para preencher espaços. A variação era com a bola. O Barcelona usava os laterais para chegar ao fundo, mais do que qualquer outro jogador. O Real Madrid usou os jogadores abertos, especialmente Vinícius Júnior, mas também algumas vezes com Valverde, que é um jogador rápido.

Primeiro tempo melhor do Barcelona

Arthur, do Barcelona, chuta para defesa de Courtois (Barcelona/Twitter)

O Real Madrid foi quem primeiro criou chances. Aos seis minutos, Benzema pegou um rebote e chutou de primeira, mas mandou por cima do gol. Aos 20 minutos, Marcelo chegou bem pela esquerda, mas na hora de cruzar, tentou um passe fechado. Isco reclamou, porque chegava vindo de trás com liberdade. Logo em seguida, foi a vez do Barcelona. Griezmann tocou para Messi, que abriu para Jordi Alba. O lateral chegou pela esquerda e cruzou rasteiro para o meio. Antoine Griezmann finalizou de primeira, mas pegou mal e mandou por cima.

Messi chutou pela primeira vez ao gol aos 30 minutos. Depois de uma jogada trabalhada por Arturo Vidal, que passou por Griezmann, ele tocou para o camisa 10 chegar pela direita. E de pé direito, chutou sem muita força. Defesa fácil do goleiro Thibaut Courtois. Só que a próxima seria muito mais difícil.

Aos 33 minutos, Griezmann achou Arthur e o brasileiro ganhou no corpo e chutou. Courtois defendeu, impedindo um gol que parecia certo. Depois, em uma jogada trabalhada pelo meio, rapidamente, e Messi recebeu para chutar de primeira, na entrada da área. Um chute forte que Coutois espalmou para o lado. Mais uma boa defesa do goleiro do Real Madrid.

O primeiro tempo terminou com o Barcelona tendo chegado mais perto de marcar o primeiro gol. Courtois fez duas defesas importantes que impediram que os blaugranas abrissem o placar. O Real Madrid chegou mais em cruzamentos, com mais dificuldade em construir as jogadas pelo meio.

Real Madrid pressiona e Ter Stegen brilha

O começo do segundo tempo era do Real Madrid, tocando bola no campo de ataque. As chances, porém, não apareciam. Foi o Real Madrid que começou a chegar com perigo depois dos primeiros minutos. E aos 10, um lance crucial: Isco recebeu na esquerda, puxou para o meio e chutou, de maneira bem característica, buscando o ângulo. E a bola tinha destino, a gaveta. Só que Marc-André Ter Stegen fez uma defesa milagrosa, buscando o ângulo e tocando na bola para impedir o gol. Uma defesa que vale gol.

O Real Madrid cresceu no jogo. Carvajal chegou na linha de fundo, aos 60 minutos, e cruzou para a área. Isco, sozinho, cabeceou com precisão e a bola novamente parecia ter destino certo. Mais uma vez, Ter Stegen impediu o gol com um milagre. A bola ainda escapou e ia entrar, mas Gerard Piqué, atento, impediu em cima da linha.

Depois de acertar tanto nas defesas, Ter Stegen errou na saída de bola. Ele tocou mal pelo meio, Carvajal, espertou, interceptou a bola, avançou, fez a finta e fez um passe de cavadinha para Karim Benzema. O atacante chutou de primeira, mas mandou por cima do gol.

O técnico Quique Sétien decidiu colocar um atacante aos 14 minutos segundo tempo. Tirou o meio-campista Arturo Vidal e colocou Martin Bareithwaite. E logo no seu primeiro lance, ele aprontou uma celeuma: recebeu nas costas da defesa, tentou o toque e Courtois fez a defesa que fez a bola rebater para o meio, onde a defesa tirou. No lance seguinte, o atacante recebeu pela direita, levou até a linha de fundo e cruzou forte, com perigo, mas a bola foi tirada.

O Real Madrid chegaria mais uma vez com perigo aos 25 minutos. Toni Kroos tocou para Vinícius Junior, na ponta esquerda, e o brasileiro avançou e chutou. Piqué deu um carrinho para tentar bloquear o chute, mas o que aconteceu é que houve um leve desvio do zagueiro na bola, que dificultou para Ter Stegen. A bola entrou no canto do goleiro: 1 a 0.

Foi o primeiro gol de Vinícius Júnior no clássico contra o Real Madrid. Ele saiu apontando para o escudo do Real Madrid na comemoração e levou a torcida à loucura. E a história dos brasileiros ainda teria mais um capítulo feliz para o Real Madrid, minutos depois.

Aos 29, Lionel Messi recebeu nas costas da zaga e avançou, com perigo. Marcelo correu muito para chegar na marcação e deu um carrinho crucial, que tirou a bola de Messi. Um desarme fundamental. Marcelo vibrou muito, comemorando como se fosse um gol – e muito celebrado para a torcida também.

Zinedine Zidane trocou Isco por Luka Modrid aos 79 minutos (34’/2T). Isco já participava pouco do jogo àquela altura. No outro lado, Sétien colocou Ansu Fati no lugar de Griezmann, mas o jovem pouco conseguiu fazer no tempo que teve em campo. No final, o Real Madrid ainda gastou com outras duas substituições. Entraram Lucas Vázquez e Mariano Díaz nos lugares de Federico Valverde e Karim Benzema.

Mariano, então, aproveitou uma chance que teve para matar o jogo. Foi lançado, deu um drible de corpo no zagueiro Samuel Umtiti, e saiu nas costas do defensor. Correu com a bola pela ponta direita e finalizou já caindo, no próprio canto de Ter Stegen, que não conseguiu defender: 2 a 0, aos 92 minutos (47’/2T) e clássico definido.

Mariano Díaz, do Real Madrid, comemora seu gol contra o Barcelona (Real Madrid/Twitter)

Com a vitória, o Real Madrid salta para a primeira posição na tabela com 56 pontos, um a mais que o Barcelona, que ficou com 55. Mais do que isso, ganhou uma vantagem importante: como o primeiro critério de desempate é o confronto direto, o Real Madrid passa a ter vantagem (já que o jogo do primeiro turno foi 0 a 0).

O Barcelona, portanto, precisará fazer mais pontos que o Real Madrid para ser campeão. Se a pontuação for a mesma, os merengues é que comemoram o título de La Liga. Em uma edição tão equilibrada de La Liga, não é uma vantagem pequena.

Classificações Sofascore Resultados