Ter experiência na Premier League não é garantia alguma de que você nunca irá pagar mico em algum escalão mais baixo do futebol. Roy Carroll, goleiro do Notts County com passagens por Manchester United e West Ham, entre vários outros clubes, aprendeu isso da maneira mais dolorosa: protagonizando um dos gols mais bizarros do ano na derrota de sua equipe para o Cambridge United por 3 a 1, neste sábado, pela quarta divisão inglesa.

VEJA TAMBÉM: O homem que aguentou 117 minutos com a clavícula quebrada para dar ao Liverpool sua 1ª FA Cup

Após abrir o placar no primeiro tempo, o Notts County havia visto o Cambridge empatar aos cinco minutos da segunda etapa, mas, jogando em casa, o resultado ainda era bom. Até que, aos 32 minutos do segundo tempo, Carroll foi sair jogando e começou a ser atrapalhado por Ben Williamson, meio-campista adversário. Irritado com o comportamento do oponente, resolveu chutar a bola em cima dele, esperando que o árbitro paralisasse a jogada e talvez advertisse Williamson. Mas as coisas não saíram como ele havia imaginado.

Para a sorte de Williamson, a bola acertou suas costas, subiu e foi caindo em direção ao gol. Vendo que o meia corria até a bola para se certificar de que ela entrasse e notando que a arbitragem nada havia marcado, Carroll até correu até o gol, mas já era tarde demais. Toda a indignação do experiente goleiro de 38 anos não adiantou, o gol acabou validade e foi crucial para a vitória dos anfitriões por 3 a 1.

Não dá para culpar muito Carroll. Mesmo com a vasta trajetória e com a série de clubes da primeira divisão em seu currículo, esse não é o tipo de situação pela qual se passa com alguma frequência. Por outro lado, dá para dizer que o futebol te propicia isso: aprendizados mesmo no fim da carreira.