A expectativa era de uma grande vaia de 78 mil vozes em Dortmund, no maior caldeirão da Alemanha. Mas isso não aconteceu. Depois do 0 a 0 no primeiro tempo, os alemães voltaram com tudo no segundo e golearam os americanos por 4 a 1, mesmo placar da recente derrota para a Itália, em Florença.

O sorriso no rosto de Jürgen Klinsmann a cada um dos gols do Nationalelf não escondia a tranqüilidade que o resultado lhe trará nos próximos meses, até a definição do time que irá à Copa.

Bastian Schweinsteiger, recentemente acusado por um jornal de Munique de estar envolvido na máfia da manipulação de resultados, recebeu apoio da torcida e abriu o placar logo no primeiro minuto da segunda etapa. Ele cobrou falta da esquerda e a bola passou por todo mundo na área estadunidense antes de chegar às redes de Kasey Keller.

Depois da entrada de Oliver Neuville, o ataque alemão ganhou força e, depois de um gol seu, abriu as portas para a goleada. Aos 28 minutos, Klose escorou de cabeça na entrada da grande área e Neuville marcou com categoria, de trivela.

Dois minutos depois, foi a vez de Neuville retribuir a gentileza: ele deixou o atacante do Werder Bremen na cara do gol e só teve o trabalho de tirar a bola de Keller. Logo em seguida, Klose, ao lado de Oliver Kahn o melhor alemão em campo, cruzou da direita e Michael Ballack fez de cabeça o quarto gol dos donos da casa.

Os americanos só conseguiram diminuir aos 37, com Steve Cherundolo, depois de chocar-se com Kahn na entrada da área.

O próximo jogo da Alemanha será em 30 de junho, contra o Japão, em Leverkusen.