O que você tenta fazer para resolver um jogo complicado? Aposta na bola parada? Bem, difícil encontrar alguém que resolva como Otero fez nesta quarta, no Estádio Independência. O golaço olímpico do venezuelano abriu o caminho para o Atlético Mineiro contra o Paraná na Copa do Brasil. Depois da derrota por 3 a 2 na visita a Curitiba, os alvinegros temeram em certos momentos do jogo em Belo Horizonte. Contudo, a maestria do meia no chute venenoso foi primordial à passagem do Galo às quartas de final da competição nacional, vencendo os tricolores por 2 a 0.

Além da desvantagem no placar agregado, o Atlético precisava lidar com vários desfalques no time titular. E a pressão não surtiu efeito imediato. Pior, o Paraná teve até mesmo suas chances de marcar. Entretanto, quando a situação estava completamente aberta, Otero desequilibrou com uma cobrança de escanteio fechadíssima. O questionamento sobre o posicionamento do goleiro Léo é natural, saltando e não conseguindo desviar a bola. De qualquer maneira, não dá para menosprezar a capacidade do meia, enchendo o chute de curva e acertando o segundo pau. Perfeição rara até em outros gols olímpicos.

Já no segundo tempo, coube a Fred matar o jogo. Recebeu belíssimo passe de Cazares no contra-ataque e, com o caminho aberto, deu um leve toque por cobertura na saída de Léo. O centroavante se chocou com o goleiro, que precisou ser retirado de campo com uma lesão no olho. Precisando de dois gols naquele momento, o Paraná não conseguiu reverter a situação. Favoritismo sublinhado do Galo, ainda que a duras penas.