O Manchester United sofreu neste sábado. O time não teve uma grande atuação, mas mesmo assim conseguiu criar uma dezena de chances para marcar gols. Foram incríveis 25 chutes a gol do Manchester United, mas só oito deles acertaram o gol. O Stoke, por sua vez, chutou seis vezes e acertou uma no gol. O placar de 1 a 0 para os Potters estava cravado no placar até os 48 minutos do segundo tempo. Até que veio o gol salvador: Wayne Rooney cobrou uma falta no ângulo, ironicamente de uma posição que ele tinha pouco ângulo, e marcou o gol de empate. Mais: o seu gol número 250 pelo Manchester United, que o torna o maior artilheiro da história do clube.

LEIA TAMBÉM: Quando a defesa não é confiável, fazer dois gols nem sempre é suficiente e o Liverpool sentiu isso na pele

A marca foi alcançada em um jogo que nem foi grande coisa para o clube – ou mesmo para ele, embora tenha melhorado o time quando entrou. O Manchester United viveu uma situação comum nesta temporada: uma imensa dificuldade em marcar gols. Nem mesmo Zlatan Ibrahimovic, que briga pela artilharia do campeonato, esteve em um bom dia. Deixou de finalizar algumas vezes e viu o time desperdiçar as chances que criava.

Aos 18 minutos do primeiro tempo, Pieters chegou pela esquerda e chutou, a bola desviou em Mata e entrou, enganando De Gea. Foi o primeiro gol do time de Stoke-on-Trent, em uma das poucas chances do time da casa. Aliás, nem dá para chamar de chance: foi um cruzamento que se transformou em gol por um acaso.

O Manchester United teve a chance de empatar aos 30, quando Ibrahimovi entrou na área e fez um passe para o outro lado, onde estava Mata. O espanhol tocou por cima do gol, em uma chance claríssima. Um prenúncio do número de chances que o time desperdiçaria.

Foram chutes para fora, bolas cruzadas na área sem que alguém conseguisse tocar, finalizações ruins. O time teve 65% de posse de bola, mas a atuação, mesmo com tantas finalizações, não foi grande coisa. O time sofreu com falta de criatividade, mesmo com grandes jogadores em campo – Mkhitaryan e Mata, por exemplo. Foi na base da pressão que o time tentou o empate. Parecia que não era o dia do time.

Aos 48 minutos do segundo tempo, na sua última chance, o Manchester United arrancou o empate. Era uma falte pelo lado esquerdo do campo. O normal, dali, era cruzar para a área. Rooney, que entrou aos 22 minutos, não quis nem saber: bateu forte, no ângulo, e marcou um golaço. Um gol histórico.

Os 250 gols de Rooney o colocam à frente de um dos maiores jogadores da história do Manchester United, Sir Bobby Charlton. Pena que em um jogo que o time não fez uma grande partida, e em uma temporada que Rooney está longe dos seus melhores dias. Mesmo assim, é uma marca histórica e salva um ponto para o Manchester United.

Ainda assim, um tropeço que custa caro para o Manchester United, que ainda tenta subir na tabela e entrar de vez na briga pelas quatro primeiras posições da Premier League. O empate mantém o time fora deste grupo. Com 41 pontos, o time pode inclusive ver a distância para os times de cima aumentar. Isso além de ter visto a distância para o time de baixo, o sétimo colocado Everton, diminuir. Os Toffees venceram e ficaram com 36 pontos.

Rooney entra para a história do Manchester United. E os torcedores esperam que não seja uma temporada que o time termine fora da zona de classificação à Champions League. Seria mais uma.