A Eurocopa não está grande coisa em relação à qualidade dos jogos. Por isso mesmo, fazer o pior jogo da competição era uma tarefa difícil. Mesmo assim, Portugal e Croácia conseguiram. Foi um jogo sofrível. Jogo sem gols é ruim, mas pior mesmo quando os dois times conseguem passar todo o tempo normal sem um chute que acerte o gol. Um só. Foi preciso prorrogação. Um lamento para todos que viam o jogo, porque ele era horrível.

LEIA TAMBÉM: Na Euro, o Brexit também venceu: Gales manda a Irlanda do Norte para casa

É possível ter um 0 a 0 e um bom jogo. Passou longe do que se viu em Lens. Portugal e Croácia jogaram tão pouco futebol que foi digno de ambos serem eliminados. Um tinha que passar. E ninguém parecia merecer. Foi assim até o final, 11 minutos da prorrogação, quando saiu o gol que definiu o confronto. Um gol justamente de Quaresma, que entrou no segundo tempo. Mas até lá, foi um sofrimento. Inclusive para assistir.

Portugal chegou à Eurocopa com uma boa expectativa. Não tanto porque o time empolgava nos amistosos ou tenha feito uma eliminatória espetacular, mas porque o grupo era fácil. Áustria, Hungria e Islândia não era exatamente um grupo difícil. Pelo contrário. O problema é que Portugal não conseguiu vencer ninguém, avançou com três empates e se tornou adversário da Croácia, um time que, até ali, tinha jogado bem melhor. Tinha. Porque no jogo entre os dois times, não houve um time muito melhor.

O primeiro tempo do confronto foi muito menos interessante do que o jogo se desenhava. Muitas faltas, pressão, mas poucas chances de gol. A Croácia conseguiu ter mais a posse de bola. Os portugueses levaram mais perigo em bolas paradas. Cristiano Ronaldo esteve bem marcado e a bola chegou pouco. Na Croácia, o meio-campo também não conseguiu ter espaço. O resultado foi um jogo bastante sem graça em Lens.

O segundo tempo voltou um pouco melhor. A Croácia já teve uma chance em cruzamento de Srna para Vida, que cabeceou para fora. Portugal também ameaçou com um chute de Renato Sanches, que entrou no intervalo, mas foi para fora.

A Croácia tinha 60% de posse de bola, mas Portugal era duro na marcação. Duro mesmo, a ponto de fazer faltas e mais faltas para interromper os ataques croatas. O equilíbrio era grande no segundo tempo, dividindo mais a posse de bola e o mau futebol. Os dois times faziam muito pouco, criavam pouco. O jogo se arrastava.

O apito final deveria ser um alívio, mas não foi: o modorrento 0 a 0 foi para a prorrogação. E foram mais 30 minutos de jogo ruim, quase nada criado. Aos sete minutos do segundo tempo da prorrogação, uma rara, raríssima chance: Vida, de cabeça, em uma bola parada. Mandou fora, é claro.

No final da prorrogação, a Croácia pareceu querer tirar o tempo perdido. Acertou a trave. Aos croatas pareciam que finalmente iam amassar os portugueses no final da prorrogação. Mas foi justamente em um ataque da Croácia que nasceu um mortal contra-ataque português, quando o jogo já parecia ter o destino selado para os pênaltis.

Eram 11 minutos da prorrogação e a zaga portuguesa tirou a bola que ameaçava a meta. Renato Sanches recebeu em ótima condição, abriu na esquerda para Nani. O ponta chutou uma bola que atravessou a área, que caiu em Cristiano Ronaldo. Se Nani cruzou de trivela ou chutou muito mal? Não saberemos. Sabemos o que veio depois. O camisa 7 chutou bem, o goleiro defendeu, mas Quaresma, de cabeça, completou para a rede. Gol de Portugal. Explosão da parte portuguesa do estádio.

A Croácia, claro, tentou ir para cima com tudo nos poucos minutos que restavam. Mas não deu. Vida, no último lance do jogo, desperdiçou a chance do empate, com goleiro na área e tudo. A Croácia está eliminada da Eurocopa. Volta para casa com a sensação que poderia ter ido mais longe. O problema é que deixou o futebol na primeira fase. Acabaram eliminados com um gol no final da prorrogação, quando finalmente tinham decidido atacar. Tarde demais.

Portugal, por sua vez, se mantém vivo em uma chave que não é nem das mais difíceis. Aliás, pelo contrário. Terá nas quartas de final a Polônia, um time que pouco jogou até aqui na Eurocopa também. Resta saber se teremos um jogo melhor. Não é muito difícil. O jogo será na próxima quinta-feira, em Marselha. A nau portuguesa parece que só sabe enfrentar batalhas, com alta dose de sofrimento. Considerando os adversários, é possível ir até a final.

Croácia 0x1 Portugal

Croácia: Subasic; Srna, Corluka (Kramaric), Vida e Strinic; Badelj e Modric; Brozovic, Rakitic (Pjaca) e Perisic; Mandzukic (Kalinic). Técnico: Ante Cacic

Portugal: Rui Patrício; Cédric, Pepe, Fonte, Guerreiro; João Mário (Quaresma), Adrien Silva (Danilo), William Carvalho e André Gomes (Renato Sanches); Nani e Cristiano Ronaldo. Técnico: Fernando Santos

O gol de Quaresma, que decidiu o jogo: