Gol de bicicleta no fim deu a vitória à Universidad Católica, mas não chegou a realmente ameaçar a vaga do Inter

O Internacional poderia até perder para a Universidad Católica que provavelmente se classificaria – a menos que uma tragédia revertesse sua vantagem no saldo de gols. Perdeu, mas sem tragédia. Até porque, nos últimos segundos, o Grêmio conseguiu o empate contra o América de Cali e ainda colaborou para que o Colorado avançasse às oitavas de final com o segundo lugar do grupo e um ponto a mais que os colombianos, apesar da derrota por 2 a 1, em Santiago.

O time de Eduardo Coudet fez o que tinha que fazer nos três primeiros jogos da fase de grupos, com duas vitórias em casa e um empate no primeiro Grenal. Depois, foi se segurando até a linha de chegada. Não ganhou nenhuma das partidas do segundo turno, mas havia chegado à rodada final com a vaga praticamente garantida. Mesmo com a derrota, e mesmo se o América de Cali tivesse mantido a vitória sobre o Grêmio, o Inter ainda teria vantagem relativamente confortável de três gols no saldo.

Os números de posse de bola e finalização foram parecidos no primeiro tempo, mas a Universidad Católica pareceu mais perigosa nos primeiros 20 minutos. Alfonso Parot, aos cinco, chutou cruzado da esquerda. Zampedri se esticou para tentar desviar, até chegou a tocar na bola, mas não conseguiu direcioná-la. D’Alessandro recebeu o passe de Yuri Alberto e bateu de frente, em cima de Matías Dituro. Aos 20, Gastón Lezcano acertou o travessão.

Mas quem conseguiu abrir o placar foi o Internacional. César Pinares subiu em cima de Musto dentro da área, e o árbitro marcou pênalti. D’Alessandro cobrou com firmeza. Acontece que, no minuto seguinte, Zampedri avançou pelo meio e arriscou. E aí, levou sorte. A bola desviou em Víctor Cuesta e encobriu Marcelo Lomba. O goleiro do Colorado ainda teve que fazer uma grande defesa após uma bicicleta de Edson Puch antes do intervalo.

No começo da etapa final, Rebolledo finalizou com perigo, à direita do gol de Marcelo Lomba. E, em seguida, o jogo começou a ficar bastante faltoso, com dois cartões amarelos para a Universidad Católica. Coudet mexeu, aos 27 minutos, com as entradas de Thiago Galhardo e Bruno Praxedes nas vagas de Nonato e D’Alessandro. E o Inter quase conseguiu marcar o segundo gol.

Yuri Alberto aproveitou um erro da defesa da Católica e chegou a driblar o goleiro Matías Dituro e bateu para o gol, mas estava praticamente sem ângulo. Valter Huerta ainda cortou em cima da linha. Depois, Edenílson puxou um longo contra-ataque e rolou na direita para Alberto, que demorou um pouco para finalizar e permitiu a recuperação de Alfonso Parot, que fez um bloqueio crucial.

Aos 43 minutos do segundo tempo, Cuesta tentou proteger uma bola lançada, mas não conseguiu. Caiu e deixou para Puch cruzar. Moledo conseguiu fazer o corte, mas Zampedri emendou uma bicicleta no canto de Marcelo Lomba e arrancou a vitória que garantiu a Universidad Católica na Copa Sul-Americana para o restante da temporada.

O Internacional não chegou a correr um risco real de ficar fora das oitavas de final, embora, pensando no mata-mata, tenha que ligar um sinal amarelo de alerta pelas atuações pouco sólidas nessas últimas partidas da Libertadores.

.