Em seu auge, Arsène Wenger foi famoso por desenvolver jovens talentosos, e Serge Gnabry achou que seria uma boa ideia trocar a base do Stuttgart pela do Arsenal, em 2011, quando tinha apenas 16 anos. Não deu certo. Ele foi muito pouco aproveitado no norte de Londres, com apenas 18 jogos no time principal, e precisou retornar à Alemanha para, finalmente, explodir.

“O Arsenal pode ter sido um extraordinário passo para alguns, mas não para mim”, afirmou, em entrevista à DAZN. “Se um clube como o Arsenal faz uma proposta e diz que o quer, com um treinador como Arsène Wenger, conhecido por dar oportunidade a jovens, é uma grande oportunidade. Eu realmente queria essa oportunidade”.

Atualmente uma das esperanças do Bayern de Munique para a temporada que começa nesta sexta-feira, o ponta alemão afirmou, porém, que não se arrepende de ter passado pela Inglaterra, onde também defendeu o West Brom, por uma temporada, com apenas três jogos. “Minha passagem pela Inglaterra me moldou, com seus altos e baixos. Eu faria o mesmo novamente”, afirmou.

Após apenas 872 minutos em campo pelo Arsenal, a maioria nas copas inglesas, Gnabry transferiu-se para o Werder Bremen e se destacou com 11 gols em 27 partidas da Bundesliga. Foi contratado pelo Bayern e passou uma temporada emprestado ao Hoffenheim. “A saída do Arsenal foi porque eu não queria novamente jogar apenas a copa algumas vezes. Eu disse: ‘Ok, eu preciso dar um passo atrás’. Em Bremen, eu tive muito tempo de jogo. Foi por isso que passei a gostar de jogar futebol novamente”, afirmou.

Titular do Bayern de Munique, Gnabry contribuiu com 13 gols e seis assistências em 42 partidas por todas as competições. “Estou satisfeito com meu tempo de jogo, essa é a coisa mais importante. Com o tempo, quero assumir um papel em que, aos 24 anos, eu possa ajudar os garotos que estão subindo, do jeito que fui ajudado”, disse. “Agora que eu ganhei a liga e a copa com o Bayern, eu também quero ganhar a Champions League. Esse é o sonho que eu e todos nós nos time temos”.