Gladbach causa frustração a uma Inter que ficou devendo em San Siro e foi salva por Lukaku

Empate em Milão amenizou o prejuízo da Inter, que tomou a virada e mais uma vez começa mal a Champions League

O Borussia Mönchengladbach conseguiu um bom resultado contra a Internazionale em Milão, em empate por 2 a 2 na estreia dos times pela Champions League. Ficou perto de conseguir até mais, já que vencia por 2 a 1 até os acréscimos. Em casa, a Inter até conseguiu sair em vantagem, mas tomou a virada na reta final do jogo e não saiu com a derrota porque o empate veio nos acréscimos. Romelu Lukaku, com  dois gols, mais uma vez foi destaque de um time pouco criativo e que continua sofrendo muitos gols.

LEIA MAIS: Guia da Champions League 2020/21

O técnico Antonio Conte colocou em campo um time bem modificado em relação ao que atuou contra o Milan, no fim de semana. Matteo Darmian entrou na ala direita, Christian Eriksen entrou no meio e Alexis Sánchez no ataque. Eles substituíram Achraf Hakimi, que testou positivo para Covid-19 antes do jogo, Marcelo Brozovic e Lautaro Martínez, respectivamente. Estes dois últimos ficaram no banco de reservas.

O Borussia Dortmund, por sua vez, só teve duas alterações no time que empatou por 1 a 1 na Bundesliga diante do Wolfsburg: a entrada do lateral esquerdo Ramy Bansebaini no lugar de Oscar Wendt, e Alassane Plea no lugar de Lars Stindl.

O primeiro tempo foi um deserto de ideias. A Inter, em casa, jogava muito espaçada em campo e pouco criava. O primeiro tempo teve cinco chutes, todos da Inter, e só um deles no gol. Nenhuma chance de gol foi criada.

O segundo tempo começou com alteração. Conte tirou Alexis Sánchez, entrou Lautaro Martínez. O argentino logo participou de forma importante do jogo. Aos quatro minutos, Lautaro chegou pela ponta esquerda, cruzou, a bola passou por todo mundo, chegou em D’Ambrosio, que tocou para trás, Darmian chutou mascado e a bola sobrou logo nos pés de Lukaku, que só empurrou com o pé direito para o gol: 1 a 0.

O Gladbach tentou sair para o jogo, mas tinha dificuldade. Mesmo assim, conseguiu um lance perigoso aos 15 minutos. Depois de uma bola perdida no meio-campo, os alemães foram ao ataque e Marcus Thuram, dentro da área, foi derrubado por Arturo Vidal.  O árbitro Bjorn Kuippers não marcou nada. Quando a bola saiu de campo, ele foi chamado pelo VAR. Após revisar o lance, apontou a marca da cal: pênalti. Ramy Bensebaini cobrou muito bem e a bola tocou na rede lateral, sem defesa. Era o gol de empate do Gladbach: 1 a 1.

A Inter tentou partir para cima e acertou a trave, em uma finalização de Lautaro Martínez. Antonio Conte mudou o time. Tirou Christian Eriksen e colocou Marcelo Brozovic, além de tirar Ivan Perisic e colocar Alessandro Bastoni. Foi justamente no setor mexido pelo técnico que o gol do Borussia Mönchengladbach saiu.

Florian Neuhaus fez um passe em profundidade para Jonas Hofman, nas costas de Vidal, que fazia a marcação no setor. Nem Kolarov, nem Bastoni estavam por ali. Hofmann avançou, livre, e frente a frente com o goleiro Samir Handanovic, tocou por baixo do esloveno e marcou. Foi a virada dos alemães: 2 a 1 em San Siro.

Novamente, a Inter foi para cima. Kolarov fez um belo cruzamento para a área, Darmian tocou de cabeça e obrigou Yann Sommer a uma grande defesa. No escanteio, Kolarov colocou a bola na primeira trave, Bastoni desviou de cabeça e sobrou para Lukaku empatar, na segunda trave: 2 a 2, já aos 46 minutos.

Apesar da tentativa de pressão da Inter, não houve tempo para mais nada. O empate por 2 a 2 é pior para os nerazzurri, que carregam um peso grande. Nos dois últimos anos, o clube italiano não conseguiu chegar às oitavas de final, caindo ainda na fase de grupos. Será preciso jogar mais para não repetir o fracasso de anos anteriores. Ao Gladbach, por sua vez, resta a empolgação de um jogo que conseguiu o empate menos jogando menos. Ainda mais com a vitória do Shakhtar contra o Real Madrid.

Inter x Borussia Mönchengladbach (Imagem: Sofascore)