Giroud teve uma série de propostas, mas acabou travado diante da falta de contratações do Chelsea

Olivier Giroud se tornou um dos alvos prediletos durante o fechamento da janela. O centroavante, sem espaço no Chelsea, passou a ser cortejado por vários clubes nos últimos dias. O Barcelona namorou, a Lazio quis, a Internazionale se aproximou. O Tottenham parecia o mais próximo de levá-lo, em mais uma possível mudança do francês em Londres. No entanto, ele precisará passar os próximos meses esquentando o banco em Stamford Bridge. Os Blues só o liberariam em caso de reposição e, como não houve acordo para que Dries Mertens deixasse o Napoli agora em janeiro, Giroud não foi a lugar algum.

Não é só no Brasil que existe uma escassez de centroavantes. Até por situações específicas da temporada, como lesões, Giroud virou a solução temporária a muitas equipes. O Tottenham parecia mesmo o mais necessitado, diante da ausência de Harry Kane. E não seria ruim ao francês ganhar sequência com a equipe de José Mourinho, pensando na sua preparação à Eurocopa. Não rolou. Os Spurs precisarão se virar com o que têm.

A raiz da questão estava em Dries Mertens. Sem um clima favorável no Napoli após a crise recente, o belga se mostrou disposto a deixar o Estádio San Paolo e o Chelsea se colocou como possível destino. O negócio até parecia palpável, com o contrato do centroavante pronto para expirar em junho. Todavia, tanto o Napoli quanto Mertens rejeitaram as ofertas e não aceitaram a saída imediata – já que existe abertura a uma reconciliação e à renovação. Com a transferência travada, os Blues não bateram o martelo para que Giroud fosse a qualquer outro lugar.

Durante entrevista nesta sexta-feira, Lampard já tinha declarado que as chances de Giroud permanecer eram de 95%, sem acreditar muito em uma contratação de última hora. O treinador preferiu não se alongar na discussão: “Sentei aqui em todas as coletivas e respondi que, se fosse bom para todas as partes, ele poderia sair. Olivier foi impecável neste período. Tenho muito respeito por ele como jogador”.

Por mais que o embargo ao Chelsea no mercado tenha sido encerrado antes do previsto, o clube não aproveitou a janela de transferências para levar reforços. Lampard até indicou certa irritação ao falar sobre o tema: “Estava claro que eu queria trazer reforços, acho que falei isso expressamente durante as últimas semanas, e não aconteceu”. Vale lembrar, o Chelsea não pôde comprar jogadores no início da temporada. As adições poderiam ajudar a estabilizar uma equipe que oscilou um bocado durante o primeiro semestre, mesmo superando as expectativas iniciais.

Giroud, por sua vez, disputou apenas sete partidas na temporada e só em duas delas apareceu como titular. Sua última atuação aconteceu em novembro, pela Premier League, e sequer vem sendo relacionado. Já o último gol ocorreu em agosto, pela Supercopa Europeia. Ainda convocado constantemente à seleção francesa e titular nas Eliminatórias da Euro, com seis gols marcados, precisará se valer do moral com Didier Deschamps para não perder o lugar. Atrás de Tammy Abraham e Michy Batshuayi na atual hierarquia do ataque dos Blues, só deve recobrar seu espaço em uma eventualidade.