Gilberto marcou duas vezes, aproveitando todas suas qualidades de artilheiro, e conseguiu a virada no Castelão para o Bahia, que parecia pronto para vencer a segunda partida consecutiva, aliviando a pressão sobre o técnico Roger Machado, mas, aos 48 minutos do segundo tempo, Matheus Gonçalves arrancou o empate por 2 a 2 para o Ceará, pela quarta rodada da Copa do Nordeste.

Apesar da vitória por 3 a 0 sobre o Nacional do Paraguai, na última quarta-feira, pela Copa Sul-Americana, o momento do Bahia continua longe de ser perfeito, com apenas quatro triunfos do time principal desde outubro, em um período que compreende 22 partidas.

O fim de setembro foi a última vez que o Bahia conseguiu emendar duas vitórias consecutivas, contra Botafogo e Avaí, desconsiderando o Campeonato Baiano, que o clube disputa com o tal time de transição, treinado por Dado Cavalcanti.

O ponto mais baixo foi a eliminação para o River do Piauí, na primeira fase da Copa do Brasil, que além de tirar o Bahia de uma competição que poderia render uma campanha interessante, ainda tem sérias repercussões financeiras, com a perda de premiações projetadas que poderia receber se chegasse longe.

O Ceará está invicto em 2020, mas com cinco empates e duas vitórias, contando Campeonato Cearense, Copa do Brasil, na qual derrotou o Bragantino do Pará por 2 a 1, e Copa do Nordeste. No começo de fevereiro, demitiu Argel Fucks e contratou Enderson Moreira.

Aos nove minutos, Vinícius puxou o contra-ataque e passou para Leandro Carvalho, pela direita. Ele chutou cruzado para o meio de grande área, onde estava Charles, impedido. Aos 17, Vinícius não tocou para ninguém: recebeu o passe de Sobis e encheu o pé de fora da área, marcando um golaço no ângulo de Anderson.

Leandro Carvalho também tentou de longe, sem o mesmo sucesso, antes de o Bahia empatar, aos 39 minutos. A dividida no meio-campo sobrou para Gilberto, por trás da defesa. O atacante dominou, entrou na área e bateu de perna esquerda para marcar o primeiro gol do Bahia.

Antes do intervalo, Élber gastou todo o seu gás com uma excelente arrancada desde o campo de defesa. Na entrada da área, soltou à esquerda com Juninho Capixaba, que tentou tocar por cima de Fernando Prass, que fez uma boa defesa.

O Bahia cresceu no segundo tempo, com João Pedro tentando uma pintura após elevar a bola por cima da marcação antes de bater para fora. Sobis respondeu ao receber dentro da área, puxar à perna esquerda e bater, mas Juninho estava esperto para bloquear.

Arthur Caíke testou Fernando Prass de fora da área, e o Bahia conseguiu a virada, aos 26 minutos. Flávio roubou a bola no campo de defesa, Clayson ficou com a sobra e lançou Gilberto com um passe de três dedos. Prass saiu do gol e foi driblado com um toque do camisa 9 que, depois, precisou apenas empurrar a bola ao gol vazio.

O Bahia quase ampliou, aos 38, quando Saldanha recuperou a bola na lateral e deu um bom passe para Caíke, que tocou na saída de Prass. O chute saiu fraco, mas tinha direção e, por isso, Eduardo Brock precisou salvar.

O Ceará subiu em busca do empate no final da partida e quase o conseguiu com a boa jogada de Felipe Baixola, que roubou a bola na intermediária ofensiva, avançou até a entrada da área e bateu de perna direita. O chute desviou na defesa para escanteio.

Aos 48 minutos, porém, o próprio Felipe cruzou da esquerda para Matheus Gonçalves finalizar. A bola bateu na defesa do Bahia e sobrou para Matheus enfim encontrar o espaço para fazer o segundo gol do Ceará e garantir o empate do time da casa.

O Vovô, porém, segue sem vencer na Copa do Nordeste, com quatro empates em quatro rodadas e está na sétima posição do seu grupo. O Bahia tem cinco pontos, em terceiro na sua chave.

.

.