De volta à primeira divisão do Campeonato Português, o Gil Vicente encarou uma pedreira logo na primeira rodada. O Porto era o seu adversário e sustentava uma sequência de 18 anos sem perder em sua estreia na liga nacional. As chances de derrota aos pequeninos eram imensas. E isso torna ainda mais celebrada a grandiosa vitória que o time conquistou diante de sua torcida. Os Galos anotaram 2 a 1 no placar e ainda forçaram algumas defesas impressionantes do goleiro portista Agustín Marchesín.

O Gil Vicente é treinado por Vitor Oliveira, veterano do futebol português que possui 11 acessos no currículo. Embora tenha subido com o Paços de Ferreira, o técnico aceitou a proposta dos Galos e assumiu um trabalho na primeira divisão. Neste sábado, apresentou uma equipe mais organizada que o Porto, determinada em conquistar o resultado desde o primeiro tempo. Marchesín fez uma sequência de milagres fantástica, que adiou a dor de cabeça aos visitantes.

Aos 15 minutos do segundo tempo, o Gil Vicente abriu o placar. Lourency concluiu com precisão o contra-ataque de sua equipe. O Porto empatou aos 28, em cobrança de pênalti convertida por Alex Telles contra o goleiro Denis – ele mesmo, reforço recente dos gilistas, após deixar o Figueirense. Mesmo assim, os Galos chegaram à vitória quatro minutos depois. Em cruzamento rasteiro, o búlgaro Bozhidar Kraev dominou tranquilamente e fuzilou para as redes. A festa estava instaurada na cidade de Barcelos.

O Porto não terá nem tempo de descansar. Na próxima terça-feira, a equipe se reencontra com o Krasnodar, em duelo decisivo pela penúltima fase preliminar da Champions. A vitória por 1 a 0 na Rússia, ao menos, evita os riscos. Já o Gil Vicente poderá desfrutar do resultado ao longo da semana. Quem sabe, para o “Rei do Acesso” também virar o mago da permanência.