Ryan Giggs fechou o seu primeiro contrato como técnico principal de um time. E será da seleção do seu país. Aos 44 anos, o ex-ponta do Manchester United foi confirmado como treinador da seleção galesa, em um contrato de quatro anos. Jogador histórico do país, ele vestiu a camisa da seleção em 64 jogos, com 12 gols marcados. Ele substitui Chris Coleman, que conduziu o time na campanha na Eurocopa de 2016, quando foi até a semifinal, e também nas Eliminatórias para a Copa 2018. O treinador deixou o cargo em novembro para assumir o Sunderland, na segunda divisão inglesa.

LEIA TAMBÉM: Guardiola: “Para se tornar um grande clube como United e Liverpool, é preciso ganhar títulos”

Sua única experiência como treinador até então foi um curto período de quatro jogos, depois da demissão de David Moyes do Manchester United, ao final da temporada 2013/14. Foi também o final da sua carreira como jogador. Depois, ficou como assistente técnico de Louis van Gaal no Manchester United por duas temporadas. Deixou o clube ao final de 2015/16. Quem assumiu para a temporada seguinte foi José Mourinho e Giggs passou a procurar outro trabalho.

Formado pelo Manchester United, se profissionalizou no futebol em 1990 e é parte da chamada Classe de 92, com jogadores que despontaram pelo clube naquele ano de 1992, junto com David Beckham, Gary Neville, Phil Neville, Paul Scholes e Nicky Butt. Passou a carreira toda jogando pelo United, conquistando muitos títulos: 13 edições da Premier League; quatro Copas da Inglaterra, três Copas da Liga, duas Champions League e dois Mundiais de Clubes.

Pela seleção, Giggs jogou de 1991 a 2007, sem nunca conseguir levar a seleção galesa a uma grande competição, seja Eurocopa, seja Copa do Mundo. Já no final da carreira, foi convocado para participar da seleção britânica que jogou na Olimpíada de Londres, em 2012, e foi o capitão do time. Se tornou o jogador mais velho a marcar no torneio, com 38 anos e 243 dias.

“Eu estou muito orgulhoso de receber a honra de dirigir a seleção. Os desafios que temos à nossa frente com a Liga das Nações e as Eliminatórias para a Eurocopa 2020 me empolgam muito”, afirmou Giggs sobre o novo cargo. “Eu mal posso esperar para começar a trabalhar com os jogadores para prepara-los para os jogos cruciais que teremos no final deste ano”.

Será interessante ver Giggs em seu primeiro trabalho como técnico principal. A seleção galesa de fato precisava de um novo técnico e o trabalho com seleções, na Europa, acaba sendo menos prestigiado que as grandes ligas. Com os Galeses, Giggs poderá mostrar sua capacidade. E terá um desafio importante, já que Gales vem relativamente bem nos últimos anos, especialmente na Eurocopa de 2016.

Seu primeiro desafio será a Ligas das Nações e as Eliminatórias para a Eurocopa 2020, tentando seguir o sucesso da última edição. E, mais do que isso, tentará fazer como técnico aquilo que nunca alcançou como jogador: levar Gales a uma Copa do Mundo. A Copa do Mundo de 2022, que será no Catar (por enquanto), será a última com 32 seleções. Será que o ídolo galês consegue montar um time capaz de chagar ao Mundial? Ele terá como principal estrela um jogador que também veste a camisa 11, como ele vestia: Gareth Bale. Se Giggs conseguir ir bem, pode conseguir realizar algo que começou em 2014: ser técnico do Manchester United um dia.

O primeiro jogo de Ryan Giggs no comando da seleção galesa será no dia 22 de março, contra a China, em torneio amistoso que acontecerá no país asiático.


Os comentários estão desativados.