Antes de contratar Bob Bradley, o Swansea conversou com Ryan Giggs e quase chegou a um acordo para que o galês se tornasse o novo treinador da equipe. Seria o primeiro emprego do ex-jogador do Manchester United como técnico principal e permanente, mas as negociações não foram concretizadas. Com a chegada de José Mourinho a Old Trafford, Giggs encerrou seu relacionamento com o clube em que passou a vida inteira para perseguir a carreira de treinador e até agora não encontrou nenhum time para trabalhar.

LEIA MAIS: Guardiola comenta polêmica de Rooney: “Também já fiquei bêbado quando estava com a seleção”

Giggs não tem pressa. Quer o projeto certo para dar o primeiro passo nessa nova vida. “Você sabe como é o futebol, os trabalhos vêm e vão rapidamente, então, se tiver que ser ano que vem, que seja”, disse, em entrevista ao Soccer AM. “Conversei com o Swansea e estava bem perto de conseguir o emprego. Foi uma boa experiência falar com eles, mas não era para ser. Mas também disse que, se houver times com as mesmas ambições que eu, com a mesma filosofia de trabalho, usando as categorias de base, ambições realísticas, bem administrado, eu conversaria com eles”.

Como era de se esperar, Giggs mantém conversas constantes com Alex Ferguson. “Eu falo com Sir Alex o tempo todo. Obviamente, ele foi uma influência tão grande na minha vida e na minha carreira. Por que eu não faria isso? Quando ele me vê relacionado a algum clube, ele me liga e pergunta o que eu estou pensando. Eu falo com ele mais agora do que quando trabalhávamos juntos”, disse.

Giggs já assumiu o Manchester United interinamente com a demissão de David Moyes e foi auxiliar técnico de Louis Van Gaal durante dois anos.