O Manchester United vive um momento de turbulência depois de sofrer a segunda derrota consecutiva na Premier League para o Tottenham, na segunda-feira. O técnico José Mourinho ficou irritado na coletiva de imprensa depois do jogo. Se discute muito se o técnico será demitido, depois de duas temporadas que o time jogou menos do que o esperado. Curiosamente, dos três primeiros jogos no Campeonato Inglês, o melhor deles foi justamente o que perdeu de forma mais categórica, contra o Tottenham. A pressão aumenta e há uma parte da torcida do clube que pede a sua demissão. Três ex-jogadores do clube defenderam a permanência do treinador português: Ryan Giggs, Bryan Robson e Gary Neville, todos jogadores com uma história importante pelos Diabos Vermelhos.

LEIA TAMBÉM: Owen sobre a reta final da carreira: “Eu odiava. Não via a hora de me aposentar”

Perguntado se poderia substituir José Mourinho no Manchester United, o lendário ex-jogador foi enfático. “O Manchester United tem um treinador fantástico que já está lá”, afirmou Giggs “O clube está passando por um momento duro, mas você tem que superar isso. Eu não vejo onde o Manchester United poderia ir depois de Mourinho. Eu acho que eles têm o cara certo e eles deveriam continuar com ele. O clube os jogadores e os torcedores deveriam continuar juntos”.

Mourinho pediu respeito após a derrota para o Tottenham, em uma coletiva de imprensa que durou pouco. “É sempre difícil para um técnico depois de um resultado como esse”, disse Giggs. “Eu estava no jogo e eu entendo a frustração de José, porque em outro dia o United teria vencido o jogo. Eles não venceram e então pela forma como o jogo acabou com o terceiro gol, pareceu pior do que foi. Perdendo o jogo antes, tudo ganha ritmo”.

“A coisa boa sobre futebol é que você sempre tem o próximo jogo para dar a volta por cima. Se trata de concentração no jogo contra o Burnley, tudo mais é barulho que você não pode controlar. Você pode controlar apenas o que você faz. O Manchester United tem um técnico fantástico, um grupo fantástico de jogadores e um clube fantástico. Eles irão sair dessa, espero que o mais rápido possível”.

Ryan Giggs, ex-jogador do Manchester United e técnico da seleção de Gales (Foto: Getty Images)

Bryan Robson: “Depois de três jogos não se fala em demitir o técnico, se apoia”

Outros ex-jogadores do United foram na mesma linha. Bryan Robson, ex-capitão do Manchester United, defendeu o treinador. “É muito fácil. A minoria dos torcedores nos clubes pede a cabeça do técnico depois de alguns maus resultados e são frequentemente aqueles que falam mais alto. O histórico que José tem se mantém. Depois de três jogos, você não fala em demitir o técnico, você o encoraja e o apoia”, disse o ex-jogador em entrevista à MUTV.

“O que eu gostaria de ver é que José escolhesse dois zagueiros que ele confia e vê-los por uma série de jogos”, afirmou Robson. “Nós precisamos de dois zagueiros que conheçam um ao outro apropriadamente. Como Rio Ferdinand e Nemanja Vidic e outros, mas os zagueiros também sempre estão no time”, continuou. “Seria bom ver isso por uma série de jogos e conseguir partidas sem sofrer gols”.

Gary Neville: “Você não pode ficar pulando de técnico em técnico”

Um dos importantes comentaristas de futebol do Reino Unido, o ex-jogador do Manchester United, Gary Neville, disse que o Manchester United não deveria demitir o técnico. “Nós vimos Louis van Gaal ser demitido depois de ganhar uma Copa da Inglaterra, nós vimos David Moyes ser demitido com quatro jogos restantes na temporada, então não estamos falando mais de um clube de futebol que está se comportando como historicamente fez”, disse o comentarista no Monday Night Football, na Sky Sports.

“Eu aceito que são tempos diferentes e eu aceito as dificuldades e desafios, mas minha visão que eu mantenho aqui agora é que Ed Woodward deu um contrato a ele na temporada passada, apenas sete ou oito meses atrás, e ele deveria ver esse contrato até o final e fazer o trabalho”, afirmou Neville.

“Você não pode ficar pulando de técnico em técnico. Eu ouvi as histórias de Mourinho sobre seu terceiro ano e todo o resto disso e você não pode discordar delas porque é a mesma história. Mas eu diria que é tempo agora para o Manchester United acertar as contas e para José Mourinho e Ed Woodward para resolverem se houver um problema ali”, continuou o ex-lateral direito. “Ache o time certo para o resto da temporada porque o clube é maior que qualquer indivíduo. Eles precisam se acertar porque não é hora de luta interna e política”.

Apesar de Mourinho ter chegado ao quarto ano de clube apenas uma vez na carreira, Neville ressaltou que ele só foi demitido duas vezes ao longo da temporada. “Ele terminou o contrato na Internazionale, ele terminou o contrato no Porto e ele foi até o final do seu contrato no Real Madrid”, afirmou Neville. “Foi apenas no Chelsea, que é um clube de loucura, que isso aconteceu. Na Inter Porto e Real Madrid, ele foi até o final do contrato, então não vamos reescrever a história. No Chelsea, todo mundo morre um pouco cedo. É esse tipo de clube, ele não está sozinho ali”.

“Foi duro para ele no Real Madrid e ele chegou ao final da temporada. Eu não vejo acontecendo durante a temporada. Sugerir que o Manchester United seja como o Chelsea não é certo. Eu tenho que dizer que o Manchester United faz as coisas de modo um pouco diferente”, afirmou ainda o ex-jogador.

“Nos últimos anos, houve uma quebra das crenças. Jamie Carragher disse semana passada que a moral e a tradição e trazer garotos britânicos foi pela janela quando eles demitiram David Moyes e trouxeram Louis van Gaal. Eu entendo isso e eu entendo isso, mas ainda é muito cedo, três jogos na temporada, para começar a sugerir que deveria haver uma mudança de técnico”, continuou Neville.

“Nada poderia estar mais longe da verdade. José Mourinho tem que ser permitido seguir e completar esta temporada. Se ele fizer bem, ele pode seguir na próxima temporada também, que é quando o seu contrato acaba”, concluiu o ex-defensor.