La Liga ainda não possui perspectivas sobre a conclusão de sua temporada, embora a tendência é que o torneio realize suas últimas rodadas durante os próximos meses. E enquanto muitos clubes fazem as contas sobre o prejuízo financeiro, o Getafe tomou uma atitude interessante em relação a quem frequenta suas arquibancadas: os 13,5 mil sócios-torcedores que compraram os carnês de temporada em 2019/20 ganharão gratuitamente novos carnês para 2020/21.

“Não vamos cobrar. Que saibam que não vão pagar nada, eu pagarei do meu bolso. Não precisei acionar os credores, não precisei de ajuda do governo, os jogadores estão com os pagamentos em dia. Não temos dinheiro sobrando, mas ainda assim me arrisco e, se não tiver dinheiro no caixa do clube, botarei do meu próprio bolso”, afirmou Ángel Torres, presidente do Getafe, em entrevista ao T4.

Responsável por tirar o Getafe da crise em 2002 e logo depois levar o clube pela primeira vez à elite do Campeonato Espanhol, Torres fez sua fortuna com uma cooperativa que constrói casas nos subúrbios da capital. Ainda assim, não tem o perfil de dirigente megalomaníaco, que faz gastos populistas para agradar os torcedores. Sua oferta é bem mais um reconhecimento ao esforço da torcida.

Ángel Torres teve um papel importante até mesmo na paralisação das competições pela Europa, durante o agravamento da pandemia. O dirigente se recusou que o Getafe viajasse para enfrentar a Internazionale pelas oitavas de final da Liga Europa, pouco antes da paralisação total das competições. Em pouco tempo, os números mostraram como sua posição em prol da proteção do elenco foi acertada.

“Consegui que me parabenizassem a Uefa, a Inter e a secretaria do estado, quando alguns pensavam que me enforcariam em praça pública”, declarou Torres. “Alguém prometeu que o Getafe ia viajar para que as partidas acontecessem, mas eu defendo meu time. Alguém me disse que eu não sabia como funcionava a Uefa”.

O presidente do Getafe, em compensação, aguarda um retorno em breve do futebol – apesar da situação da pandemia: “O futebol é mais importante do que as pessoas pensam. É um motivo de alegria. Fico alegre que algumas equipes começarão a treinar amanhã. Se no futebol há contagiados, vão à melhor clínica que existe”. E também não aprova decisões prévias, avaliando que tudo deva ser resolvido em campo: “O Getafe briga pela Champions, mas há um convênio firmado em 2019 e não se pode suspender o campeonato assim. Não se pode nomear a dedo quem vai à Europa”.

Torres ainda aponta dificuldades ao Getafe nesta retomada – nos aspectos esportivo e financeiro: “Somos uma equipe de veteranos e isso vai nos afetar. Se não houvesse paralisação, seguramente estaríamos na Champions. Agora disse ao treinador que o objetivo é acabar entre os seis primeiros. E, no mercado, esse ano vai ser muito difícil. O presidente do Napoli me liga a cada três noites. Nosso objetivo agora mesmo tem que ser o de não vender. Também espero, na Espanha, é que os que recorreram ao governo não possam contratar. Só falta agora que algum desses times queira tirar um jogador do Getafe pagando 20 milhões. Isso não tem sentido”.

O Getafe atualmente ocupa a quinta colocação no Campeonato Espanhol, emparelhado à Real Sociedad na briga pela classificação à Liga Europa. Além disso, os Azulones protagonizam uma campanha histórica na Liga Europa. Após eliminar o Ajax nos 16-avos de final, a equipe de Pepe Bordalás deverá enfrentar a Inter na próxima etapa.