O azar tem sido implacável com o Liverpool neste início de temporada. Claro que os Reds estão longe de apresentar um futebol consistente, sobretudo pelas mudanças no elenco desde o fantástico desempenho de 2013/14. Mesmo assim, o imponderável parece perseguir o time de Brendan Rodgers. O duelo contra o Leicester City fora de casa começou assim nesta quarta-feira. Mas, ao menos desta vez, a equipe não se perdeu ao buscar a importante virada por 3 a 1, em noite de Steven Gerrard.

VEJA TAMBÉM: United viveu um Fergie Time às avessas para emendar mais uma vitória

A desgraça do Liverpool se desenhou aos 22 minutos. Em um lance confuso na área, Skrtel conseguiu salvar em cima da linha. O rebote sobrou para Leonardo Ulloa, em um golpe realmente de sorte. O chute do centroavante argentino bateu na trave, nas costas do goleiro Simon Mignolet e entrou. Gol contra, que logo fez chover mais críticas ao arqueiro belga, responsável por uma saída de bola bisonha pouco antes.

Para sorte de Mignolet, os homens de frente conseguiram limpar a barra do goleiro rapidamente. Quatro minutos depois, um bate-rebate na área originou o tento de Adam Lallana. Até o capitão brilhar. Gerrard puxou o ataque e estava no lugar certo para decretar a virada, logo no início da segunda etapa. Seu primeiro gol com bola rolando desde fevereiro de 2013, que teve um peso enorme para reforçar a estrela da lenda. No final, com um homem a mais após a expulsão de Morgan, ainda houve tempo para Jordan Henderson fechar a conta.

Esta é apenas a segunda vez nesta temporada que o Liverpool emendou duas vitórias consecutivas na Premier League. Resultado que mantém a aproximação do Top Four, cinco pontos atrás do Manchester United, e que ainda faz os Reds subirem duas posições – se igualando com Arsenal e Tottenham, que têm um jogo a menos. Resultado importante também para reforçar o papel de Gerrard neste elenco.

Com a venda de Luis Suárez e o insucesso de Balotelli, o peso de ser o craque do time recai bem mais sobre as costas do capitão. Gerrard pode não jogar o mesmo do passado e nem ser o jogador para decidir sozinho, embora ainda possa chamar a responsabilidade em momentos decisivos. A confiança no lance da virada destaca este papel do veterano. E a vibração na comemoração serve para contagiar companheiros e torcedores, para relembrar a capacidade que o velho craque ainda tem de liderar o time.

Abaixo, o gol contra de Mignolet e o tento de Gerrard: