Efetivamente, o gol da classificação do Cluj aos playoffs da Champions League foi o terceiro, marcado por Billel Omrani, mas, nos acréscimos, George Tucudean fez o quarto, um tento que não apenas garantiu a vitória dos romenos contra o Celtic, por 4 a 3, fora de casa, como também teve um gostinho duplamente especial para o atacante.

A carreira de Tucudean, artilheiro dos últimos dois Campeonatos Romenos, ficou em risco este ano porque o jogador de 28 ano precisou passar por duas cirurgias no coração, uma em abril, outra em julho. Tudo correu bem, e Tucudean retornou aos gramados com oito minutos contra o Maccabi Tel Aviv, no final de julho. Alguns dias depois, foi titular e marcou na goleada por 4 a 1 sobre o Chindia Targoviste, pela liga nacional.

Mas ainda estava assustado. “Eu me sinto bem agora”, disse, à The Athletic. “Eu me recuperei bem, comecei a trabalhar normalmente com o time. O mais importante para mim é conseguir aproveitar o futebol o máximo possível. Eu ainda estou um pouco assustado, mas os médicos me asseguraram que nada de ruim pode acontecer comigo. Eu espero que esses problemas tenham passado. Houve pensamentos, eles ainda existem”.

 

Em entrevistas à imprensa romena, como esta ao Digisport, antes do jogo da Champions League, Tucudean indicou que esses pensamentos consideravam uma aposentadoria precoce, apesar das garantias dos médicos. Por enquanto, segue em frente, e teve a chance de enfrentar o Celtic, pelo qual passou aos 15 anos para fazer um teste, mas acabou não ficando.

“Fiquei com uma família na Escócia, mas decidi voltar para casa. Um companheiro de time meu ficou. Quando estava na Escócia, treinei com alguns jogadores famosos do Celtic, como Shunsuke Nakamura, Jan Vennegoor of Hesselink, Artur Boruc e Massimo Donati. Eu fui ao jogo do Celtic contra o Barcelona, quando havia 60.000 torcedores que fizeram uma atmosfera incrível. Essas são as partidas das quais você quer fazer parte quando é um jogador e dar tudo de si”, disse.

Por vias tortas, ele conseguiu atuar em um grande jogo decisivo em Celtic Park. E fez o gol da vitória. Duas situações que provavelmente lhe pareciam impossíveis na mesa de cirurgia alguns meses atrás. Não foi à toa que saiu de campo chorando.