Gennaro Gattuso ganhou força nas últimas semanas, com uma série de bons resultados e também um desempenho do seu Milan muito melhor do que na primeira metade da temporada. O técnico falou em entrevista coletiva sobre o problema do time marcar poucos gols e como ele tem se preocupado com a questão defensiva. Também valoriza o seu trabalho dizendo que nos últimos anos, o Milan sequer estava na disputa pela vaga na Champions – o que ele tem razão, é verdade.

LEIA TAMBÉM: Depois da tempestade, Gattuso agora convence donos do Milan e deve ficar se for à Champions

“Há muito em jogo contra o Cagliari e há ainda mais pressão com Lazio e Roma vencendo”, afirmou o treinador do Milan. O técnico citou os dois times de Roma que também brigam neste momento pelo quarto lugar, que dá vaga à Champions League.

“Nos últimos seis ou sete anos, o Milan chegou à primavera [março no hemisfério norte] e não estava nem na disputa por uma vaga na Champions League. Nós temos que ir jogo a jogo, mas estamos em uma posição importante para isso”, declarou ainda o ex-jogador. “Nossas próximas partidas podem parecem mais fáceis no papel, mas não há nada fácil na Serie A e isso nos dirá se nós amadurecemos. Nós temos que encarar todos os jogos com concentração e desejo, esse é o segredo. Eu quero ver um time do Milan que não permita que o adversário ataque. Eu ficaria feliz em vencer todos os jogos por 1 a 0”, continuou Gattuso.

“Nós não marcamos muitos gols porque nós não preenchemos bem a grande área, e há algum problema aí. Por outro lado, Suso diz que ele tem que se sacrificar mais jogando quase como lateral e isso é verdade. Nós temos que trabalhar juntos para não tomar gols, mas precisamos ter a mesma determinação quando atacamos também”, explicou o treinador.

Um dos pontos cruciais da melhora do desempenho do Milan foi a chegada do atacante Krzysztof Piatek, que veio do Genoa. Ele, porém, tira espaço de Patrick Cutrone. “Patrick trabalha duro todos os dias, ele tem aquele fogo dentro dele, mas também tem crescido mentalmente e profissionalmente. Ele não pensa apenas nele mesmo, mas no grupo todo, mesmo se naturalmente ele fique decepcionado quando não joga”, disse Gattuso.

“Nós iremos continuar com a nossa atual abordagem tática. Eu sei que há pessoas que querem que nós apenas ataquemos, mas nós temos que jogar como um time, com sacrifício um pelo outro. Vocês na imprensa dão crédito para a defesa, mas o time está muito compacto e isso é mérito de todos”, seguiu o treinador.

Para Gattuso, o bom desempenho do goleiro Gianluigi Donnarumma tem a ver com o seu reserva. “Eu acho que ter Pepe Reina perto dele realmente ajudou, como alguém forte, um profissional exemplar como o espanhol dando conselhos a ele todos os dias”, afirmou o treinador.

Só que se uns recebem elogios, outros são criticados, como o camisa 10 do time, Hakan Çalhanoglu, criticado pelo ministro do interior italiano, Matteo Salvini, torcedor do clube. “Eu não jogo meus jogadores no mar. Hakan sabe que ele tem que fazer muito mais, mas seu desempenho não tem sido um desastre total. Eu leio algumas pessoas que dizem que o elenco se rebela quando ele joga, mas eu não vi nada desse tipo”, respondeu Gattuso ao ser questionado sobre o jogador.

“Eu não dou nada de graça e eu não jogo ninguém fora. É o mesmo com Andrea Conti, ee está se recuperando, mas ele não joga porque é o modo como eu vejo. Eu tenho jogadores que acho confiáveis”, contou o técnico. “Lucas Biglia está fora há três meses, então sua recuperação levará mais tempo para que ele possa jogar e ter 100%. Os últimos exames mostraram  que Cristian Zapata precisa de ao menos outros 15 dias antes de poder treinar com o grupo”.

O Milan volta a campo neste domingo, 17h30 (horário de Brasília), contra o Cagliari. O jogo será transmitido pela RAI. Confira a Programação de TV completa.