O alcoolismo continua sendo um calvário para Paul Gascoigne. O ex-meia da seleção inglesa voltou às manchetes neste final de semana, depois que seu agente afirmou que Gazza sofreu recaída. O caso mobilizou outros ex-jogadores de destaque na Premier League, entre eles Peter Schmeichel e Tony Adams.

“Ele precisa de ajuda imediata. Gascoigne não está bem, independente do que aconteceu com ele nas últimas cinco ou seis semanas, quando não o vi. Ele estava absolutamente bem, mas teve uma recaída nos últimos tempos. Sua vida sempre está em perigo, porque ele é um alcoólatra. Talvez ninguém consiga salvá-lo”, declarou Terry Baker, agente de Gascoigne, em entrevista à Radio BBC.

Ex-companheiro de Gascoigne na seleção, Adams passou pelo mesmo problema e administra uma clínica para ajudar alcoólatras. A entidade, inclusive, se ofereceu para auxiliar Gazza, se manifestando através de um porta-voz: “Tony e a clínica continuam a oferecer tratamento para viciados, inclusive alcoólatras”.

Já Schmeichel afirmou que a Associação de Jogadores Profissionais (PFA) precisa agir: “Nós somos todos responsáveis pela maneira como conduzimos nossas vidas, mas isso não significa que não podemos ajudar os outros. Penso que a comunidade do futebol precisa fazer mais para ajudar Gazza e outros como ele. Ao invés de conseguir artigos de luxo para os seus membros, a PFA poderia se comprometer mais para ajudar pessoas como Gascoigne”.

Aposentado desde 2004, Gascoigne sofre de outras doenças mentais e emocionais, como transtorno obsessivo compulsivo, bulimia e bipolaridade. Em 2008, o ex-jogador passou por um programa de reabilitação do alcoolismo, mas chegou a ser preso duas vezes por dirigir embriagado desde então.