Parece que Paul Scholes não é o único ídolo do Manchester United que pendurou as chuteiras e mudou seu conceito sobre a Premier League. Ao ter sua primeira experiência – e talvez única – como treinador, na Espanha, Gary Neville constatou que a liga inglesa está longe de ser a melhor. É importante recordar que tanto ele quanto Scholes não passaram cinco ou seis anos jogando o Campeonato Inglês. Foram 20 anos, 20 temporadas lutando pelo troféu mais importante da Inglaterra, o que faz a constatação ser bastante curiosa.

LEIA MAIS: Scholes: “Prefiro ver um jogo de futebol amador à Premier League”

“A Premier League pode ser a mais excitante, a mais assistida e a que tem a melhor marca no mundo. Mas não é a melhor. A melhor liga é a espanhola”, afirmou Gary Neville ao falar sobre os problemas da seleção inglesa, que, segundo ele, “falha nos grandes torneios porque nós ingleses não somos bons o suficiente. É preciso mudar as bases do futebol no país”.

O que foi considerado o melhor lateral direito do mundo por Alex Ferguson não chegou a ser nem um técnico mediano enquanto treinou o Valencia, quando Nuno Espírito Santo pediu demissão do cargo no meio da temporada 2015/16. Em menos de três meses no Mestalla, o ex-jogador do Manchester United não fez nada mais do que fracassar. Foram apenas dez vitórias em 28 jogos disputados sobre o comando dos Che. Mas mesmo que sua experiência pessoal tenha sido um tanto negativa em La Liga, Gary Neville acredita que a Espanha tem um campeonato mais completo em termos de futebol do que a Premier League.

Nos últimos quatro anos, os times da liga espanhola dominaram a Europa. A Champions League, que antes era aspirada só por Barcelona e Real Madrid, ganhou uma nova equipe da Espanha para brigar por um título seu: o Atlético de Madrid. Time que, por sinal, chegou à final com o arquirrival em 2013/14 e 2015/16, além de ter vencido duas das sete edições da Liga Europa. Já o Sevilla foi tricampeão do segundo torneio mais importante do continente ao longo das três temporadas passadas.